/

Há um buraco negro supermassivo a fazer três refeições por dia

8

NASA / CXO / CSIC-INTA / G.MINIUTTI ET AL.; DSS

Imagens raio-X do brilho em torno do buraco negro da galáxia GSN 069

No centro da galáxia GSN 069 mora um buraco negro supermassivo que está a consumir grandes quantidades de material num horário regular, a cada nove horas.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Os cientistas já tinham observado dois buracos negros de “massa estelar”, isto é, que pesam aproximadamente 10 vezes a massa do Sol. No entanto, nunca tinham detetado este tipo de comportamento num buraco negro supermassivo.

O buraco negro mora bem no centro da galáxia GSN 069, a 250 milhões de anos-luz da Terra, e contém cerca de 400.000 vezes a massa do Sol. Os cientistas usaram os telescópios espaciais Chandra (NASA) e XMM-Newton (ESA) para concluir que este buraco negro consome, aproximadamente, quatro luas (semelhantes à da Terra) três vezes por dia.

Giovanni Miniutti, do Centro de Astrobiologia da ESA, adiantou em comunicado que o “buraco negro segue um plano nutricional como nunca vimos antes”. “Este comportamento é tão sem precedentes que tivemos de cunhar uma nova expressão para o descrever: erupções quase periódicas de raios-X.”

“Combinando dados dos dois observatórios de raios-X, seguimos as explosões periódicas durante, pelo menos, 54 dias”, explicou Richard Saxton, do Centro Europeu de Astronomia Espacial de Madrid, em Espanha. “Este acompanhamento deu-nos uma oportunidade única de testemunhar o fluxo de matéria num buraco negro supermassivo que acelera e desacelera repetidamente”.

Durante as explosões, a emissão de raios-X torna-se 20 vezes mais brilhante do que durante os momentos de silêncio. A temperatura do gás que cai no buraco negro também aumenta, de meio milhão de graus Celsius durante períodos de silêncio para, aproximadamente, 1,3 milhões durante explosões.

Segundo o Europa Press, os cientistas acreditam que a origem da emissão de raios-X “é uma estrela que o buraco negro quebrou parcial ou completamente e que consume lentamente”, adiantou Margherita Giustini, também do Centro de Astrobiologia da ESA.

“Euanto às repetidas explosões, a história é completamente diferente, cuja origem precisa de ser estudada com novos dados e novos modelos teóricos”.

  ZAP //

8 Comments

  1. Caracas …. como as pessoas mentem …
    Se o primeiro buraco negro foi fotografado há pouco tempo usando vários telescópios para formar uma suposta foto …
    Agora todo mundo acha um buraco negro fácil fácil!!!.
    Virou bagunça

    • Caro Wesley claro, há muitos anos que se conhecem buracos negros, não por terem sido vistos, mas pelas reações que provocam em seu redor. Como a sua gravidade tudo absorve, inclusivé a luz, o ter sido possível fotografar um é que foi notável.

    • Wesley, estude antes de falar asneiras. Já se conhece milhões de buracos negros! Kkkkk
      Cerca de 1 para cada galáxia conhecida, algumas tem mais de um…

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.