Buraco da camada do ozono dá sinais de estar a encolher

Mais de 30 anos após a sua descoberta, o buraco da camada de ozono sobre a Antártida está a dar sinais de recuperação. Esta aparente melhoria está, em boa parte, relacionada com a proibição do uso de certos gases em produtos como os aerossóis.

Com base em dados recolhidos entre setembro de 2000 e setembro de 2015, cientistas dos EUA e do Reino Unido concluíram que o buraco na camada de ozono, descoberto em 1985, encolheu cerca de quatro milhões de quilómetros quadrados, o que corresponde a uma área maior que a Índia.

“É uma grande surpresa”, disse Susan Solomon, investigadora do MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts), à revista Science, explicando que não esperava que se chegasse a tais resultados tão cedo.

O artigo científico, publicado na Science, revela que grande parte desta recuperação se deve à implementação das medidas definidas com o Protocolo de Montreal, um tratado internacional de 1987 ratificado pelas Nações Unidas que promoveu a proibição do uso dos clorofluorocarbonetos (CFC), compostos utilizados desde os anos 1920 em aerossóis, produtos para refrigeração e produtos de limpeza.

“É expectável que a camada de ozono recupere em resposta a estas medidas, ainda que a um passo muito lento”, lê-se no artigo.

Os CFC podem permanecer na atmosfera entre 50 a 100 anos, pelo que os seus efeitos nefastos ainda se farão sentir por largos anos, e por isso a “cicatrização” completa do buraco na camada de ozono não deverá acontecer antes de 2050 ou 2060, realçam os cientistas.

O estudo conclui que os sinais são positivos para o ambiente e comprovam que os vulcões também desempenham um papel essencial na destruição da camada de ozono.

Este impacto das erupções vulcânicas na camada de ozono ficou comprovado em 2015, quando a erupção do vulcão Calbuco, no Chile, interrompeu a tendência registada até então de encolhimento do buraco na camada de ozono devido às partículas projetadas pelo vulcão para a atmosfera.

“Depois de uma erupção, o enxofre forma partículas minúsculas que se tornam as sementes das nuvens estratosféricas polares”, explica Susan Soloman à BBC. “Estas nuvens aumentam quando se verifica uma erupção vulcânica e isso leva a uma maior perda de ozono”, acrescenta a investigadora.

Quando os vulcões se unem aos químicos produzidos pelo Homem, é uma mistura tóxica e a Antártida é particularmente vulnerável”, explicou a investigadora do MIT ao The Guardian.

Localizada a cerca de 10 quilómetros da superfície da Terra, esta camada sofre variações cíclicas no seu tamanho.

Considerada uma das barreiras protetoras da Terra, a camada de ozono protege o planeta dos raios ultravioleta prejudicais à saúde. A ONU estima que cerca de dois milhões de casos de cancro da pele por ano poderiam ser evitados através da eliminação progressiva dos CFC.

ZAP

PARTILHAR

RESPONDER

A fronteira mais importante da China é imaginária: a Linha Hu

A Linha Hu, também conhecida como linha Heihe-Tengchong, é uma linha imaginária que divida a China em duas partes com áreas quase iguais. Estende-se da cidade de Heihe até Tengchong. Desenhada pela primeira vez em 1935, …

Algumas pessoas moram em aeroportos durante meses (ou até mesmo anos)

Aeroportos não servem de casa apenas para os sem-abrigo. Há pessoas que, involuntariamente ou não, ficam lá durante meses e, em alguns casos, até mesmo anos. Em janeiro, as autoridades de Chicago prenderam um homem de …

Senado da Carolina do Sul aprova fuzilamento como método de execução

Com esta decisão, a Carolina do Sul poderá converter-se no quarto estado do país a incorporar este método de execução de pena de morte, depois do Utah, Oklahoma e Mississípi. De acordo com a agência noticiosa …

"Oxigénio tornou-se ouro". Criminosos lucram com a sua escassez no México

A pandemia de covid-19 deixou a Cidade do México a atravessar uma grande escassez de oxigénio médico. Criminosos estão a aproveitar para lucrar com a situação. A capital mexicana registou um pico de infeções e hospitalizações …

Meteorito do tamanho de um damasco caiu em França (e os astrónomos precisam de ajuda para encontrá-lo)

Os entusiastas do Espaço estão a ser instados a procurar um meteorito do tamanho de um damasco que caiu no fim de semana passado no sudoeste de França.  O meteorito, com peso estimado em 150 gramas, …

Professora pediu a alunos para fingir que eram escravos e escreverem carta para África

Uma professora de uma escola secundária no Mississippi, nos Estados Unidos, está a ser alvo de críticas devido a uma fotografia de um trabalho de casa divulgada nas redes sociais. Foi pedido aos alunos do 8.º …

Obra de Churchill que pertencia a Angelina Jolie vendida por valor recorde

O quadro pintado pelo antigo primeiro-ministro britânico foi vendido por 8,3 milhões de libras. A pintura foi um presente de Winston Churchill para o presidente dos Estados Unidos, Franklin D. Roosevelt, e agora foi leiloada …

Milhares fugiram, mas Sakae Kato ficou. O homem que salva gatos abandonados em Fukushima há 10 anos

Durante a última década, um homem em Fukushima, no Japão, tem salvado todos os gatos na área abandonada de onde milhares de pessoas fugiram durante o desastre da central nuclear - e ainda continua a …

Governador de Nova Iorque "reescreveu relatório" para esconder mortes em lares

  Assistentes do governador de Nova Iorque, Andrew Cuomo, terão reescrito um relatório das autoridades de saúde locais, no verão de 2020, que apontava para um número de mortes por covid-19 nos lares de idosos muito …

"Europa vai andar para trás". Pandemia faz "descarrilar conquistas de igualdade"

Empregos perdidos, horários de trabalho reduzidos e violência doméstica crescente provam que o impacto da pandemia foi mais forte nas mulheres e fez “descarrilar as conquistas de igualdade”, alerta o Instituto Europeu para a Igualdade …