Bruxelas acusa BMW, Daimler e VW de cartel que limitou concorrência durante oito anos

Bruxelas acusa as empresas de não melhorarem os seus produtos e não concorrerem com qualidade, prejudicando os clientes por terem “sido impedidos de comprar carros com a melhor tecnologia”.

A Comissão Europeia considerou esta sexta-feira que a BMW, Daimler e VW violaram as leis de concorrência da União Europeia (UE), entre 2006 e 2014, por um alegado cartel que limitou a concorrência na área das tecnologias limpas.

Em causa está uma comunicação formal feita esta sexta-feira a estas empresas, ainda numa versão preliminar, na qual Bruxelas as acusa de “violarem as regras concorrenciais da UE, entre 2006 a 2014, por conluio que restringiu a concorrência no desenvolvimento de tecnologias limpas para as emissões de gasolina e diesel nos carros de passageiros“.

“As empresas podem cooperar de várias maneiras para melhorar a qualidade dos seus produtos, mas, segundo as regras de concorrência da UE, não podem fazer exatamente o contrário: não melhorar os seus produtos e não concorrer com qualidade”, vinca em comunicado a comissária europeia para a área da Concorrência, Margrethe Vestager.

A responsável admite que Bruxelas está “preocupada com a possibilidade de este ser um desses casos“, já que, a ter-se concretizado, “os consumidores europeus podem ter sido impedidos de comprar carros com a melhor tecnologia disponível”.

Segundo Margrethe Vestager, Bruxelas vai agora investigar estas suspeitas, dando oportunidade às três fabricantes de “responder às dúvidas” do executivo comunitário.

Se, depois de ouvidas estas empresas, o executivo comunitário considerar que existem provas suficientes de infração, pode imputar uma multa até 10% do volume de negócios anual de cada companhia.

Na nota de imprensa, a Comissão Europeia argumenta que o cartel entre a BMW, a Daimler e a VW (que agrega a Volkswagen, Audi, Porsche) foi criado “no âmbito das chamadas reuniões técnicas dos ‘círculos de cinco‘ fabricantes de automóveis”.

As “preocupações” da Comissão Europeia incidem sobre a limitação à concorrência em tecnologias usadas para reduzir as emissões perigosas de óxidos de azoto nos carros a gasóleo, através de sistemas de redução catalítica seletiva, e para diminuir as emissões de partículas nocivas de gases no escape dos automóveis de passageiros, através de filtros de partículas.

“A opinião preliminar da Comissão é que o comportamento das fabricantes visava limitar a concorrência e a inovação nestes dois sistemas de limpeza de emissões e, ao fazê-lo, negava aos consumidores a oportunidade de comprar carros menos poluentes, apesar de a tecnologia estar disponível para os fabricantes”, adianta Bruxelas.

Lusa // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Carlos Moedas "tem uma costela liberal". IL pondera apoio ao candidato à câmara de Lisboa

O líder da Iniciativa Liberal (IL), João Cotrim de Figueiredo, disse que Carlos Moedas, candidato à câmara de Lisboa apoiado pelo PSD, tem um "perfil liberal", mas que o partido precisa de perceber projeto do …

Primeiro-ministro da Arménia acusa militares de tentativa de golpe de Estado

O primeiro-ministro da Arménia referiu-se hoje a "tentativa de golpe de Estado" depois de o Estado Maior ter pedido o afastamento do governo num contexto de protestos por causa da derrota no último conflito com …

EUA condenam Coreia do Norte a indemnizar militares torturados em 1968

A Justiça dos Estados Unidos (EUA) condenou Pyongyang a indemnizar em 2,3 mil milhões de dólares (cerca de dois mil milhões de euros) os tripulantes de um navio da Marinha norte-americana, que foram capturados e …

Ex-gestores do Novo Banco seguem para Banco do Fomento e para CGD

Os gestores Vítor Fernandes e Jorge Freire Cardoso, que saíram do Novo Banco em divergência com a estratégia da Lone Star, vão desempenhar as funções de presidente do Banco de Fomento e de administrador na Caixa …

EUA acusado de prometer contrapartidas a Cabo Verde pela extradição de testa-de-ferro de Maduro

O antigo juiz espanhol Baltasar Garzón, que coordena a defesa de Alex Saab, detido em Cabo Verde e considerado testa-de-ferro do Presidente venezuelano Nicolás Maduro, acusou na quinta-feira os Estados Unidos (EUA) de prometerem contrapartidas …

Bispo italiano sugeriu a padre que pagasse 20 mil euros a vítima de pedofilia

O bispo católico de Como, em Itália, afirmou ter sugerido a um jovem padre suspeito de pedofilia que pagasse 20 mil euros à suposta vítima para encerrar uma investigação interna ao caso ocorrido numa residência …

Governo reforça financiamento de projetos LGBTI com 50 mil euros

O Governo vai reforçar em 50 mil euros o financiamento de projetos de organizações que atuem na defesa dos direitos das pessoas lésbicas, gays, bissexuais, trans e intersexo (LGBTI), anunciou o gabinete da secretária de …

CDS pede ao Governo "um plano de desconfinamento controlado, à inglesa"

Francisco Rodrigues dos Santos quer que o Executivo apresente um plano de desconfinamento que permita a retoma da atividade de alguns setores. Esta sexta-feira, o presidente do CDS-PP insistiu na necessidade de o Governo apresentar um …

Para os idosos que estão em lares, visitar a família sem isolamento poderá acontecer em maio

A CNIS estima que, com todos os idosos residentes em lares vacinados, maio possa ser o mês da libertação depois de mais de um ano de pandemia, confinamentos e restrições apertadas. DGS diz que orientações …

UE retalia e declara chefe da missão venezuelana "persona non grata"

A União Europeia (UE) decidiu, esta quinta-feira, declarar a chefe da missão venezuelana em Bruxelas persona non grata, respondendo ao anúncio feito por Caracas de dar 72 horas à embaixadora comunitária para abandonar o país. "Por …