“No-deal”. Boris antecipa plano pós-Brexit sem acordo com a UE, Bruxelas já prepara os estados-membros

Olivier Hoslet / EPA

Primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, e Presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, disse ontem que existe uma “forte possibilidade” de as negociações sobre um acordo de comércio pós-Brexit com a União Europeia terminarem sem acordo.

“Penso que precisamos ser muito, muito claros, agora existe uma forte possibilidade de termos uma solução que é muito mais parecida com uma relação australiana com a UE do que uma relação canadiana com a UE”, afirmou, numa entrevista veiculada pela comunicação social britânica.

Isto porque a Austrália não tem um acordo de comércio abrangente com a UE, enquanto o Canadá negociou um acordo de comércio com Bruxelas que eliminou quotas e tarifas aduaneiras sobre a maior parte dos bens, mas que mantém limitações em termos de serviços.

“Isto não significa que seja uma coisa má, há muitas formas de transformar isto em vantagem para os dois lados. Existem muitas oportunidades para o Reino Unido”, acrescentou o chefe do executivo britânico.

Boris Johnson exortou as pessoas e empresas para se prepararem para o 1.º de janeiro de 2021, quando deixar de estar em vigor o período de transição, porque “vai haver mudanças de qualquer maneira”.

O Reino Unido e a UE indicaram domingo como prazo para encontrar uma solução para o impasse das negociações após um jantar entre Johnson e a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, na quarta-feira em Bruxelas.

Os principais pontos de discórdia desde continuam a ser o acesso europeu às águas de pesca britânicas, como resolver disputas no futuro e as garantias exigidas pela UE em Londres em termos de concorrência em troca de um acesso sem direitos aduaneiros ou quotas ao mercado continental.

Na ausência de um acordo, as relações económicas e comerciais entre o Reino Unido e a UE passam a ser regidas pelas regras da Organização Mundial do Comércio e com a aplicação de taxas aduaneiras e quotas de importação, para além de mais controlos alfandegários e regulatórios.

Perante este cenário, a presidente da Comissão Europeia já começa a prever o futuro e, de acordo com a Reuters, terá dito aos líderes dos 27 Estados-membros da União Europeia que um pós-Brexit sem acordo com o Reino Unido é agora uma situação ainda mais provável.

Numa reunião em Bruxelas, Ursula von der Leyen terá optado por preparar os líderes europeus para um cenário em que o período de transição do Brexit termina sem um acordo entre a UE e o Reino Unido. Ainda assim, a presidente terá falado menos de dez minutos sobre o tema, sublinha a agência noticiosa.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Regiões portuguesas entre as que mais colocaram trabalhadores em teletrabalho

  Apesar dos números elevados registados em Portugal, futuro do modelo está ainda em aberto, face à preferência dos patrões em ter os funcionários a trabalhar em ambiente de escritório. De acordo com dados revelados pelo Eurostat, …

Reino Unido em choque. Sabina Nessa pode ter sido assassinada por um estranho ainda em liberdade

Sabina Nessa, de 28 anos, terá sido assassinada enquanto caminhava pelo Cator Park, no sudeste de Londres, na passada sexta-feira. O percurso da sua casa até a um bar ia demorar apenas cinco minutos, mas …

A corrida a secretário-geral da UGT terá dois candidatos

É a primeira vez que a corrida à liderança da UGT conta com dois candidatos: além de José Abraão, atual dirigente da Federação de Sindicatos da Administração Pública (Fesap), Mário Mourão, presidente do Sindicato dos …

Colapso da Evergrande. China pede a governos regionais que se "preparem para a possível tempestade"

As autoridades chinesas estão a pedir aos governos regionais para se prepararem para um possível colapso da Evergrande. O The Wall Street Journal noticia, esta quinta-feira, que as autoridades chinesas estão a pedir aos governos regionais …

Governo vai testar 35 mil funcionários de creches e pré-escolar até 3 de outubro

Os funcionários das creches, do pré-escolar e a rede nacional de amas começaram esta quinta-feira a ser testados à covid-19, numa ação que até 3 de outubro abrangerá 35 mil pessoas em todo o país. O …

Bem-vindo à última fase do desconfinamento: fim do certificado em restaurantes, máscara em transportes e lares

"Estamos em condições para avançar para a terceira fase de desconfinamento." Foi com esta frase que António Costa deu início à conferência de imprensa após o Conselho de Ministros desta quinta-feira. Portugal vai avançar para a …

EUA reabrirá campo de detenção de migrantes perto da prisão de Guantánamo

A administração do Presidente dos Estados Unidos (EUA) Joe Biden se prepara para reabrir um campo de detenção de migrantes na Baía de Guantánamo, após um aumento de migrantes e requerentes de asilo no sul …

Défice desce para 5,3% do PIB no 2.º trimestre do ano

O défice orçamental do primeiro semestre deste ano é de 5,5% do PIB. A meta do ministro das Finanças para o ano de 2021 é de 4,5%.  O défice orçamental fixou-se em 5,3% do PIB no …

É a maior contração desde 1995. INE revê queda do PIB para 8,4%

A queda foi pior do que se esperava: o Produto Interno Bruto (PIB) recuou 8,4% e não 7,6%, indicam os recentes dados do Instituto Nacional de Estatística (INE). O Produto Interno Bruto (PIB) caiu 8,4% em …

EUA aprovam terceira dose da Pfizer para maiores de 65 anos e grupos de risco

A Food and Drugs Adminustration (FDA) anunciou, na noite de quarta-feira, ter dado luz verde à administração de uma terceira dose da vacina da Pfizer em alguns casos. O organismo que regula a comercialização de medicamentos …