Boris dá luz verde à segunda linha de alta velocidade no país apesar dos custos

Neil Hall / EPA

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, autorizou o projeto de linha ferroviária de alta velocidade HS2, que ligará Londres ao centro e norte do país, apesar do alto custo e das oposições ambientalistas.

Boris Johnson autorizou, esta terça-feira, o projeto de linha ferroviária de alta velocidade HS2, que ligará Londres ao centro e norte do país, apesar do alto custo e da oposição de políticos e ambientalistas. “O Governo deu sinal verde à linha ferroviária de alta velocidade“, disse o primeiro-ministro britânico na Câmara dos Comuns.

O governante garantiu que pretende controlar a gestão e os gastos com o projeto, cujo custo deverá ultrapassar os 100 mil milhões de libras (cerca de 118 mil milhões de euros). Para isso, Boris irá nomear um ministro que se dedicará inteiramente ao HS2 (Alta Velocidade 2).

As previsões de custos dispararam”, admitiu o primeiro-ministro, “mas a má gestão não mudou, na minha opinião, o valor fundamental do projeto”.

O chefe do Governo britânico não avançou o custo total da obra, adiantando apenas que a primeira fase, em que a linha ferroviária chegará a Birmingham, no centro da Inglaterra, deverá custar entre 35 e 45 mil milhões de libras (entre 41,5 e 53 mil milhões de euros).

O traçado da linha irá obrigar a cavar túneis longos, desviar rios e adquirir terras, nomeadamente na capital britânica. O objetivo é aumentar a frequência dos comboios e diminuir consideravelmente a duração das viagens.

O projeto High Speed 2 será a primeira linha ferroviária a ser criada no norte de Londres nos últimos 150 anos e a segunda de alta velocidade no país, após a HS1, no sul de Inglaterra.

A primeira parte da construção, até Birmingham, só deverá estar pronta a partir de 2031, estimando-se que a segunda parte só fique operacional em 2040.

A comunidade empresarial, tal como a confederação patronal CBI, saudou a decisão do Governo. Já o líder da oposição trabalhista criticou a gestão passada dos conservadores. “O primeiro-ministro criticou a gestão das infraestruturas feita pelos conservadores, mas foi o seu partido que privou o país de investimento nos últimos 10 anos, criando as maiores desigualdades regionais da Europa”, afirmou Jeremy Corbyn.

Para os conservadores, o dinheiro que será investido nesta nova infraestrutura seria mais útil “se fosse usado na modernização de infraestruturas de transportes locais”.

O primeiro-ministro também prometeu revelar, nas próximas semanas, a estratégia para fazer uma “revolução nos transportes”, adiantando já ter canalizado seis mil milhões de euros para melhorar, nos próximos cinco anos, as redes de autocarros e as ciclovias.

Segundo garantiu, estes investimentos em transportes deverão permitir que o Reino Unido cumpra o compromisso de alcançar a neutralidade de carbono até 2050. No entanto, várias organizações ambientais protestaram hoje contra os anúncios do Governo, apontando o impacto do HS2 nos habitats naturais e em espécies ameaçadas.

“Somos completamente a favor de uma revolução nos transportes que reduza a poluição e as emissões de carbono, mas colocar uma escavadora em locais em estado natural e selvagem não é uma boa solução”, alertou a organização não governamental Greenpeace.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Governo disponível para retomar reuniões no Infarmed (mas nega falta de informação)

O Governo manifestou esta quinta-feira “abertura para retomar as reuniões” no Infarmed sobre o ponto de situação da epidemia de covid-19, mas rejeitou falhas na informação ao parlamento e aos partidos. Na conferência de imprensa do …

Israel e Emirados Árabes Unidos alcançam "acordo histórico" mediado pelos Estados Unidos

O Presidente norte-americano, Donald Trump, anunciou esta quinta-feira que Israel e os Emirados Árabes Unidos concordaram em estabelecer relações diplomáticas plenas, como parte de um acordo para impedir a anexação israelita de terras ocupadas pelos …

Em contingência, Câmaras de Lisboa passam a definir horários do comércio. O (pouco) que muda este sábado

A generalidade de Portugal continental continuará em situação de alerta e a Área Metropolitana de Lisboa em situação de contingência até ao final do mês devido à pandemia de covid-19, anunciou o Governo. Segundo explicou esta …

Três meses depois do anúncio, o apoio de emergência às Artes ainda não chegou

Cinquenta das 311 entidades abrangidas pela Linha de Apoio de Emergência às Artes, dotada de 1,7 milhões, ainda não tinham esta quinta-feira recebido o valor que lhes foi atribuído, três meses depois do anúncio dos …

Avaliação dos professores, "mock exams" e testes no outono. Britânicos podem "escolher" as próprias notas

O Governo britânico deu aos estudantes de liceu três alternativas diferentes para obterem o resultado das suas avaliações deste ano letivo, que foi atípico devido à pandemia de covid-19. De acordo com o jornal britânico The …

Governo reitera que não há exceções para a Festa do Avante. Críticas multiplicam-se

A ministra de Estado e da Presidência destacou que o Governo “não tem competências legais ou constitucionais” para proibir iniciativas políticas como a Festa do Avante!, mas salientou que não serão admitidas exceções às regras. Na …

Trabalhadores que estiveram em lay-off durante pelo menos 30 dias também vão ter bónus

O Conselho de Ministros aprovou um decreto-lei que clarifica que os trabalhadores que estiveram em lay-off por mais de 30 dias consecutivos, mesmo sem completar um mês civil, vão receber o complemento de estabilização. "Criado com …

Marcelo pede tolerância zero contra o racismo (e pede “sentido nacional” a Governo e oposição)

O Presidente da República recomendou esta quinta-feira aos democratas “tolerância zero” e “sensatez” para combater o racismo, ao comentar as ameaças de que foram alvo três deputadas e outros sete ativistas. “Os democratas devem ser muito …

43% das escolas no mundo sem condições de higiene para reabertura segura

Mais de 40% das escolas no mundo não têm acesso a condições básicas de higiene, como água para lavar as mãos e sabão, aumentando os riscos de reabertura no contexto da pandemia de covid-19, alertam …

Mais seis mortes, 325 novos casos e 237 recuperados

Portugal regista esta quinta-fira mais seis mortes por covid-19, 325 novos casos de infeção e mais 237 pessoas dadas como recuperadas em relação a quarta-feira, segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo …