Boris lança ultimato e ameaça com eleições antes do Brexit

Will Oliver / EPA

Se esta terça-feira o Parlamento britânico apoiar os Trabalhistas e aprovar a proposta do partido de Jeremy Corbyn para adiar novamente o Brexit, Boris Johnson já tem plano B.

De acordo com fonte do Executivo, citada pelo jornal The Guardian, se esse for o cenário, Johnson vai convocar eleições antecipadas para 14 de outubro.

Depois de uma reunião de emergência, o primeiro-ministro anunciou à porta de Downing Street que não vai para já convocar eleições. Aos jornalistas, durante uma declaração em Downing Street, o primeiro-minsitro defendeu que se a moção dos Trabalhistas for aprovada será “um cortar de pernas” aos negociadores britânicos. “Tornará qualquer negociação absolutamente impossível”, sublinhou.

“Quero que todos saibam que em nenhuma circunstância vou pedir a Bruxelas mais um adiamento. Vamos sair a 31 de outubro – sem ‘se’ ou “mas’”, assegurou Johnson na comunicação à imprensa, que foi sonorizada por protestos contra o Brexit. “Não iremos aceitar qualquer tentativa para recuar nas nossas promessas”, acrescentou, defendendo que os deputados britânicos devem “votar a favor do Governo” e recusar o adiamento “sem sentido” proposto por Jeremy Corbyn para 31 de janeiro.

Esta terça-feira, dia em que o Parlamento reabre, a oposição tentará, com o apoio dos rebeldes conservadores, o agendamento protestativo de uma proposta legislativa para impedir um Brexit abrupto.

O texto, a debater e votar quarta-feira, deverá exigir que o Executivo peça novo adiamento da saída aos 27 caso o prazo de 31 de outubro se aproxime sem que haja um acordo aprovado ou uma autorização parlamentar para sair sem acordo.

Os críticos do Brexit duro dividem-se quanto a saber se o tempo adicional — indefinido, mas que poderia ser até 31 de janeiro de 2020, segundo a editora de política da BBC, Laura Kuenssberg — serviria para tentar renegociar os termos do Brexit ou para organizar um novo referendo.

Este confronto no parlamento coincide com uma audiência num tribunal de Edimburgo (Escócia) para avaliar o pedido de uma providência cautelar para bloquear a suspensão do parlamento britânico prevista para começar na próxima semana e durar cinco semanas, precisamente até 14 de outubro.

Este clima de instabilidade está a pesar nos mercados acionistas europeus, levando à queda dos índices, isto ao mesmo tempo que no mercado de dívida soberana se assistem novos mínimos históricos na dívida de vários países do euro. No cambial, a moeda britânica sente a pressão, recuando para o valor mais baixo desde janeiro de 2017, estando a negociar abaixo da fasquia dos 1,20 dólares, segundo a Bloomberg.

UE pode considerar Brexit um “desastre natural”

A União Europeia pondera qualificar o Brexit como um “desastre natural” de forma a libertar fundos europeus para ajudar Estados-membros.

A União Europeia está a estudar a possibilidade de considerar a saída do Reino Unido como um desastre natural, de forma a poder desbloquear cerca de 500 milhões de euros, fundos anualmente disponíveis para ajudar os países que enfrentam condições meteorológicas adversas.

A ideia é, de acordo com o The Guardian, usar este fundo de solidariedade, criado em 2002 para responder a emergências como terramotos, incêndios e inundações, para ajudar os Estados-membros que poderão ser mais prejudicados — Holanda, Alemanha, Dinamarca e Espanha, por exemplo — no caso de uma saída sem acordo do Reino Unido.

O assunto deverá ser discutido esta semana em Bruxelas, depois de o ministro dos Negócios Estrangeiros austríaco, Alexander Schallenberg, ter admitido a possibilidade de o país se manter membro da União Europeia para lá de dia 31 de outubro.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Uma pessegada.

    (pensava que fossemos os únicos capazes de cenas destas, mas os bifes esmeram-se….)

    O problema é que vão mesmo sair sem acordo e – obviamente – fica tudo em águas de bacalhau, sem pagarem um tostão. Ficam devedores, certo, mas como será possível à UE “cobrar a dívida” a um país soberano?

  2. Um maluco dos castelos e dos fantasmas.
    Ele vai partir. Está de saída.É um derrotado.
    Promessas de um trump que quer ver os outros mal.
    Este lulu acreditou .

RESPONDER

Dubai vai construir uma cidade marciana no deserto

O Dubai tem em mãos um projeto ambicioso: a construção de uma cidade marciana. O projeto foi apresentado por uma empresa sediada em Copenhaga e Nova Iorque e é uma parte do plano dos Emirados …

Coreia do Norte voltou a rejeitar negociações com os Estados Unidos

A Coreia do Norte disse, esta terça-feira, que não tenciona retomar o diálogo com os Estados Unidos, quando o vice-secretário de Estado norte-americano, Stephen Biegun, chegou à Coreia do Sul para discutir diplomacia nuclear. Num comunicado …

Construiu uma cadeira de rodas com bicicletas elétricas para a namorada. Agora, vai produzi-la em massa

Para Zack Nelson, construir esta  peça inovadora de engenharia foi "super divertido e surpreendentemente simples". Há cerca de um ano, Zack Nelson, o youtuber de tecnologia do canal JerryRigEverything, uniu duas bicicletas elétricas para criar uma …

A reeleição de Trump nunca esteve tão ameaçada. A culpa é do pessimismo dos americanos

A gestão do Presidente norte-americano face à pandemia e a perspetiva de uma crise económica ameaçam a reeleição de Donald Trump. Um estudo de opinião da Fundação Peter G Peterson para o The Financial Times indica …

Ministros da Indonésia promovem colar de eucalipto como cura para a covid-19

O ministro da Agricultura da Indonésia foi muito criticado por especialistas por alegar que um colar feito de eucalipto pode ajudar a impedir a transmissão da covid-19. Segundo o The Guardian, o ministro da Agricultura da …

SATA pede auxílio ao Estado no valor de 163 milhões de euros

A SATA, companhia aérea detida a 100% pela Região Autónoma dos Açores, precisa do valor até ao final do ano para pagar dívidas. A SATA pediu um auxílio ao Estado de 163 milhões de euros para …

Cortiça portuguesa usada em foguetões da Space X

A Corticeira Amorim forneceu a Space X, de Elon Musk, para componentes usados nos foguetões espaciais da empresa, adiantou o presidente da empresa, António Rios Amorim. "É o nosso maior cliente [deste segmento] neste momento desde …

Pandemia põe em risco mais de 40% dos empregos no Algarve

Além do Algarve, outros destinos turísticos europeus, como ilhas do sul da Grécia, Canárias e Baleares, estão também em risco. As regiões onde o turismo tem mais peso enfrentam um risco maior de destruição de emprego, …

Imunidade de grupo não vai travar pandemia, diz estudo espanhol

Um estudo espanhol, que abrangeu mais de 60 mil pessoas, colocou em causa a viabilidade da imunidade de grupo como forma de combater a pandemia de covid-19, estimando que apenas 5% da população tenha desenvolvido anticorpos …

Na Colômbia, a "rebelião dos grisalhos" lutou contra o confinamento e a juíza deu-lhes razão

Um grupo de ilustres septuagenários, que liderou a iniciativa local da "rebelião dos grisalhos", na Colômbia, conseguiu uma grande vitória judicial. Na Colômbia, a "rebelião dos grisalhos" lutou contra o confinamento, exigindo mais tempo na rua …