/

Boris defende acordo do G7 para passaporte de vacinação contra a covid-19

Andy Rain / EPA

O primeiro-ministro inglês, Boris Johnson, quer um acordo internacional do G7 para a existência de passaportes de vacina contra a covid-19 e abrir negociações para um “tratado mundial” para se prepararem para futuras pandemias.

“Tem que haver algum tipo de acordo, a nível do G7, sobre como as viagens e os passaportes vão funcionar no futuro, para começar”, começou por dizer Boris Johnson numa entrevista transmitida no domingo pelo canal canadiano CBC.

“O que precisamos, eu acho, é um tratado global sobre preparação para uma pandemia”, disse o primeiro-ministro britânico, acrescentando que 2020 foi um “ano terrível para a humanidade”.

Boris também lamentou a demora de alguns países a compartilhar equipamentos de proteção, medicamentos e vacinas. “Temos que fazer melhor do que isto”, acrescentou, citado pelo AFP.

Como tal, sugere é “crucial” que os países em desenvolvimento recebam vacinas o mais rápido possível. “Precisamos fazer isto até ao final do próximo ano”, propôs o político britânico, traçando uma meta mais ambiciosa do que alguns propõe de vacinar toda a população mundial até 2024 ou 2025.

O G7 deveria ter-se reunido no verão passado nos Estados Unidos, mas as preocupações com a covid-19 levaram ao cancelamento da reunião. Assim, os líderes de Reino Unido, Canadá, França, Alemanha, Itália, Japão e EUA, juntamente com a União Europeia, vão reunir-se em Cornwall, no Reino Unido, entre 11 e 13 de junho.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE