Boom turístico serve de “escape” a licenciados sem emprego

António Amen / Wikimedia

Igreja e Torre dos Clerigos, Porto.

Igreja e Torre dos Clérigos, no Porto

Entre as caves do vinho, as dezenas de hostels que apareceram no Porto e os novos tours que vão surgindo, o boom turístico da cidade tem servido de solução de curto prazo para muitos licenciados sem trabalho.

“Durante um ano tentei arranjar algo na minha área, mas a resposta era sempre a mesma: não tinha no meu portefólio traduções reconhecidas por nenhuma entidade”, contou à agência Lusa Ana Sousa, formada em Línguas, Literaturas e Culturas.

Foi este vazio de opções que, em março de 2013, um ano depois de ter terminado um mestrado em Estudos de Género, a levou a tentar a sorte nas caves Sandeman, como guia.

“Aceitei por ter visto aí uma oportunidade de melhorar o inglês e o alemão”, explica, garantindo que todos os seus colegas, licenciados nas mais variadas áreas, viram ali um “escape”.

Ainda assim, agora que não lhe renovaram contrato por ter terminado a época alta, não esconde a frustração: “Andei quase 18 anos a estudar para arranjar um trabalho que não é, de todo, aquilo para que estudei. Sentia-me ainda pior por ser tão mal paga tendo tantas competências”, recorda, lamentando o facto de ganhar perto de 500 euros, apesar de trabalhar das 10h às 19h.

O cenário estende-se aos hostels que, ao longo da última década, se foram multiplicando na cidade ao mesmo ritmo que foi crescendo o número de turistas que fazem dela destino de eleição – em 2012 e 2014, o Porto venceu mesmo o prémio de Melhor Destino Europeu.

Segundo dados recolhidos pela agência Lusa, dos 10 hostels da cidade com maior pontuação no Booking.com – um site que permite reservar alojamento e na qual os utilizadores podem avaliar os locais onde ficaram hospedados -, oito contam com jovens trabalhadores licenciados em áreas que vão desde a arquitetura ao design, passando por engenharia, marketing, nutrição, educação, sociologia ou multimédia.

Para todos, o turismo vai servindo de “solução temporária“. É este o caso de Daniela Martins, licenciada em Ciência e Tecnologia do Ambiente que, para fugir ao desemprego, concilia um part-time num hostel com o trabalho numa empresa de free walking tours – visitas turísticas gratuitas, que se baseiam num sistema de gorjetas.

“Comecei a fazer tours um ano depois de me licenciar, quando vi que os currículos que enviava na minha área não mereciam qualquer resposta. Como estava à vontade no inglês e no espanhol, encarei isto como uma forma de ganhar algum dinheiro”, conta, garantindo que não quer “viver do turismo para o resto da vida”.

O caso da Pancho Tours, a empresa para que Daniela trabalha, em funcionamento no Porto desde 2009, é paradigmático: em sete guias, seis têm formação superior e destes apenas uma estudou turismo.

Uma situação que merece críticas aos guias profissionais. “Fiz um curso de três anos, passei um verão inteiro a estudar para o exame e agora vêm estes meninos tirar-nos trabalho”, lamenta Joana Rocha Leite, guia profissional a tempo inteiro desde 1988, pedindo que algo “seja feito” para corrigir a situação.

Apontando o dedo ao facto de estes “concorrentes” não pagarem impostos, a profissional de turismo não poupa críticas aos “jovens que agora acham que o turismo os pode salvar”: “Às vezes são eles que trabalham e nós ficamos em casa, sobretudo em época baixa.”

De acordo com números da Associação de Turismo do Porto e Norte, a hotelaria do concelho registou, em 2013, perto de 2,5 milhões de dormidas, um número que representa um aumento de mais de 100% face aos valores de 2004 (pouco mais de um milhão de dormidas).

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Da "obsessão por cargos" à "subserviência ao PS". Críticos internos do BE descarregam na direção

A convenção do Bloco de Esquerda está marcada para os dias 22 e 23 de maio. Os grupos críticos da direção do partido já têm preparada uma extensa lista de críticas. De acordo com o Observador, …

Pela primeira vez, a idade da reforma pode cair (e a culpa é da pandemia)

A idade da reforma é determinada pela esperança média de vida. No entanto, a pandemia e o consequente aumento da mortalidade podem fazer cair esse indicador, levando a um recuo histórico na idade da reforma. Até …

Onde estão os antigos "donos disto tudo" no desporto?

Sporting parece estar em ano de regresso ao topo do futebol. Mas outros clubes dominadores, ou desapareceram, ou andam discretos. "Felizmente não subimos à I Divisão", admite o presidente do HC Sintra. "Donos disto tudo" pode …

Após chumbo ao aeroporto do Montijo, Governo quer mudar a Lei para tirar poder aos municípios

O chumbo ao aeroporto do Montijo, depois de os municípios da Moita e do Seixal terem reprovado o projecto, não demove o Governo da empreitada. Em cima da mesa estão três soluções e a intenção …

Vacina da Janssen deverá ser aprovada na Europa a 11 de março. Imunizante só requer uma toma

A Agência Europeia do Medicamento convocou uma reunião extraordinária para concluir a avaliação da vacina à covid-19 da multinacional Janssen, com vista a colocá-la rapidamente no mercado. Neste sentido, espera-se que haja mais uma vacina contra …

Medina leva nega. Bloco, PCP e PAN querem concorrer sozinhos em Lisboa

O anúncio de que Carlos Moedas vai encabeçar a candidatura PSD/CDS à Câmara Municipal de Lisboa uniu a direita, mas não mudou a estratégia da esquerda. O Bloco, o PCP e o PAN querem concorrer …

Coates alcançou feito sem paralelo na Europa

Coates não comete uma única falta há mais de um mês, embora tenha sido totalista de minutos nesse período. É o único jogador das principais ligas europeias a consegui-lo. Provavelmente já não se lembra da última …

"Nunca batem certo". Madeira contesta dados do boletim da DGS

As autoridades regionais madeirenses afirmam que "os números fidedignos são os dados reportados, diariamente, pela Direção Regional de Saúde". A Direção Regional da Saúde (DRS) da Madeira contestou, esta terça-feira, os dados reportados nos boletins da …

I Liga pondera reduzir número de equipas a partir de 2022/2023

O desportivo Record avança esta quarta-feira que a Liga de Clube pondera reduzir o número de equipas em competição na I Liga já a partir da época de 2022/2023. Em cima da mesa está a redução …

Sob risco de expulsão, Fidesz de Orbán deixa bancada do Partido Popular Europeu pelo próprio pé

O partido Fidesz, liderado pelo primeiro-ministro húngaro Viktor Orbán, vai deixar a bancada do Partido Popular Europeu no Parlamento Europeu. De acordo com a agência Reuters, o partido Fidesz, que governa a Hungria, anunciou esta quarta-feira …