Bolsonaro diz que será impossível governar se houver aumento para funcionários públicos

Joedson Alves / EPA

O Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, afirmou esta quinta-feira que não será possível governar se o Congresso brasileiro autorizar aumentos salariais para os funcionários públicos no próximo ano, devido ao desequilíbrio fiscal causado pela pandemia de covid-19.

“Assim é impossível governar o país”, queixou-se Bolsonaro diante de um pequeno grupo de apoiantes, em frente ao Palácio da Alvorada, a sua residência oficial em Brasília.

O Presidente brasileiro comentava uma decisão do Senado (câmara alta do Congresso) que anulou um veto seu aos reajustes salariais no setor público, numa votação que ainda precisa de ser confirmada pela Câmara dos Deputados (câmara baixa do Congresso).

A votação diz respeito a um conjunto de leis criadas para ajudar os estados do país a superar a crise fiscal provocada pela perda de arrecadação de impostos com a paralisação da economia durante a pandemia.

Segundo o Governo brasileiro, a emergência gerada pela pandemia, que já causou mais de 110 mil mortes e 3,4 milhões de infeções no país, exigiu despesas extraordinárias que acentuam o défice fiscal, facto que impede a aprovação de novos reajustes salariais.

“Isso teria um impacto de 120 mil milhões de reais [17,9 mil milhões de euros] no orçamento”, disse Bolsonaro, citando um valor que equivale ao défice das contas públicas que o Governo brasileiro calculou para este ano antes da emergência sanitária do novo coronavírus.

Essa previsão de défice, no entanto, foi multiplicada por seis em função dos gastos extraordinários na área de saúde realizados para tentar conter a proliferação de covid-19, cujo impacto ainda será sentido nas contas públicas em 2021.

O executivo brasileiro deve entregar um primeiro projeto de orçamento ao Congresso ainda este mês.

“Se [a decisão do Senado] for mantida na Câmara dos Deputados, será impossível governar este país”, insistiu Bolsonaro repetidas vezes no breve encontro com apoiantes.

O Ministério da Economia também se pronunciou contra a decisão da câmara alta. Numa nota oficial, a pasta expressou uma enorme preocupação com as consequências que o veto terá para as contas públicas e, principalmente, para os estados e municípios, que assim como o Governo central, enfrentam uma situação fiscal muito delicada.

Na nota, o Ministério da Economia garantiu que “vai trabalhar em conjunto com a Câmara dos Deputados para manter aquele ponto tão importante para a saúde das contas públicas”.

// Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

ADSE recua e volta a comparticipar atos prescritos pelo SNS

A Associação Nacional de Beneficiários (Associação 30 de Julho) revelou que a ADSE recuou, perante uma reclamação da entidade, e vai voltar a comparticipar atos prescritos pelo Serviço Nacional de Saúde (SNS). “Na sequência da reclamação …

O maior sistema de cavernas do mundo é (ainda) mais extenso do que se pensava

O maior sistema de cavernas do mundo estabeleceu um novo recorde depois de uma equipa de topógrafos conseguir mapear mais 13 quilómetros das passagens no Parque Nacional de Mammoth Cave, em Kentucky, nos Estados Unidos. As …

"Por trás lá vem a facada". Costa critica "duplicidade" da postura do Governo da Madeira

O secretário-geral do PS, António Costa, defendeu que as autonomias precisam de “solidariedade e confiança mútua”, assente na verdade, criticando a “duplicidade” da postura do Governo da Madeira no relacionamento com a República. “As autonomias exigem …

Estrela foi banquete de um buraco negro e criou um fenómeno raríssimo

O resultado do encontro entre um buraco negro e uma estrela azarada deu origem a um fenómeno raríssimo detetado por astrónomos. Ao medirem a radiação X enquanto a estrela era devorada, perceberam que estavam perante um …

Um carro movido a energia solar? Bom. Um carro-casa movido a energia solar para fazer 3 mil km? Melhor ainda

Projeto foi desenvolvido por estudantes universitários holandeses, cujo trabalho em veículos movidos a energia solar é já conhecido. O Stella Vita será testado numa viagem de longo curso pelo sul de Espanha já este mês, …

Há uma rua no Texas onde todas as casas foram impressas em 3D

Esta é a primeira comunidade de casas impressas em 3D nos EUA que está pronta a receber habitantes. A construção torna as habitações mais resistentes ao fogo e a inundações. Chama-se East 17th Street e fica …

A filha de Picasso doou nove obras do artista espanhol a França

A família de Pablo Picasso doou nove obras do artista ao Estado francês, que serão agora integradas no Museu Picasso, em Paris. Maya, a filha de Pablo Picasso, doou nove obras do artista como parte de …

Dormir bem? Depois da pandemia, não

O novo coronavírus criou uma "nação" de pessoas com insónias. Trabalhar menos horas pode ajudar. Insónias. Já eram um problema para muita gente até ao início de 2020 mas a pandemia que mudou o mundo também …

"Não posso ficar sentado a ver-nos voltar a 1972". Médico desafia a lei no Texas e admite que já fez um aborto

Um médico texano escreveu uma coluna de opinião no Washington Post a admitir que já fez um aborto no estado, depois da lei que proíbe interromper as gravidezes após seis semanas ter entrado em vigor. Em …

A cidade mais segura do mundo foi revelada (e é europeia)

Copenhaga foi eleita a cidade mais segura do mundo em 2021 pelo Índice de Cidades Seguras (SCI), da Economist Intelligence Unit. Quando se trata de escolher o destino a visitar, a segurança é um dos aspetos …