Presidente brasileiro aprova pacote legislativo anti-crime com 25 vetos

Marcelo Sayao / EPA

O Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro

Jair Bolsonaro aprovou, com 25 vetos, o pacote legislativo anti-crime, aprovado há duas semanas pelo Senado, e manteve figura do juiz de garantias contra a vontade do ministro da Justiça, Sérgio Moro.

Jair Bolsonaro aprovou com 25 vetos o pacote legislativo anti-crime, aprovado há cerca de duas semanas pelo Senado brasileiro, mantendo a figura do juiz de garantias contra a vontade do ministro da Justiça, Sérgio Moro.

A figura do juiz de garantias não constava no projeto de pacote legislativo original, apresentado por Moro em fevereiro, tendo sido posteriormente introduzida pela Câmara dos Deputados.

O ministro da Justiça e Segurança Pública disse ao jornal Estado de S. Paulo que iria propor ao Presidente o veto de “toda a parte do juiz de garantias”, mas Bolsonaro acaba por caucionar a disposição, que, na prática, obriga a que cada processo penal seja acompanhado por dois juízes.

O juiz de garantias será responsável pelo “controlo da legalidade da investigação criminal e pela salvaguarda dos direitos individuais”, de acordo com o texto da lei, citado por aquela publicação brasileira.

A revelação dos diálogos entre Sérgio Moro e os procuradores da Operação Lava Jato, divulgados pelo site The Intercept Brasil, acendeu o debate em torno da criação da figura de investigação, que acabou por se impor, apesar das considerações do ministro da Justiça, que considerava, “entre outros motivos”, que “a Justiça brasileira, com um juiz na maioria das comarcas, não tem condições de ter dois juízes em cada uma, e o trabalho à distância não é factível”.

Entre as disposições vetadas agora por Bolsonaro, constam a triplicação da pena quando o crime for cometido ou divulgado em quaisquer modalidades das redes sociais da rede mundial de computadores; a coleta de ADN apenas nos casos de crime doloso praticado contra a vida, liberdade sexual e crime sexual contra vulnerável; e a limitação da prova de captação ambiental somente para a defesa, avança o Estado de S. Paulo.

O Presidente vetou ainda uma disposição que qualificava o crime de homicídio em casos de emprego de arma de fogo de uso restrito e proibido, com o argumento de que a proposta poderia gerar insegurança jurídica, “notadamente aos agentes de segurança pública”, ainda segundo o jornal.

Segundo Bolsonaro, os agentes de segurança poderiam ser “severamente processados ou condenados criminalmente” por utilizarem as suas armas, de uso restrito, no exercício de funções ou em “situações extremas” para a garantia da ordem pública, como em conflitos armados contra fações criminosas.

Na mensagem em que explica os vetos ao Congresso, o chefe de Estado brasileiro justifica que o veto parcial das 25 disposições constantes no pacote legislativo assenta em razões como “contrariedade ao interesse público e inconstitucionalidade”, depois de atendidas manifestações “de ordem técnica e jurídica”.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

PCP quer Costa no Parlamento de 15 em 15 dias (e não vai contribuir para acabar com os debates quinzenais)

O PCP não concorda que será o fim da democracia caso os debate quinzenais passem a mensais. No entanto, não vai contribuir para acabar com este modelo. Ao Expresso, o deputado comunista António Filipe Duarte garantiu …

"Espero contar tudo o que sei". Cientista chinesa fugiu da China para alertar que "não temos muito tempo"

A virologista chinesa Li-Meng Yan, que fugiu para os Estados Unidos, deu uma segunda entrevista à Fox News, na qual alertou que "não temos muito tempo".   Li-Meng Yan, especialista em virologia e imunologia, era uma …

Galp perde 60 milhões de euros em negócios não autorizados

A Galp perdeu 60 milhões de euros em negócios não autorizados com licenças de CO2. A petrolífera já avançou com ações disciplinares e uma auditoria. A Galp informou que foram identificadas transações, não autorizadas pela empresa, …

"Bandeira vermelha". Tóquio em alerta máximo após aumento de novas infeções

A capital do Japão, Tóquio, com 14 milhões de habitantes, está no nível mais alto de alerta para o novo coronavírus após um aumento dos casos registados. “Os especialistas disseram-nos que a situação das infeções está …

Operação Saco Azul. Empresas "zombie" terão desviado 1,8 milhões do Benfica

O presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, e a SAD do clube lisboeta foram constituídos arguidos pelo crime de fraude fiscal, no âmbito da operação ‘saco azul’, confirmou esta terça-feira à agência Lusa fonte oficial …

Maçãs com preços em alta, menos vinho e cerveja a estragar-se (os efeitos da pandemia)

A pandemia de covid-19 está a levar milhares de litros de cerveja a estragar-se, enquanto os produtores de vinho temem uma quebra na produção e, logo, nos lucros. Enquanto isso há menos maçãs e mais …

TAD anula sanção de cinco jogos à porta fechada ao Benfica

O Tribunal Arbitral do Desporto (TAD) deu provimento ao recurso do Benfica e revogou a sanção de cinco jogos à porta fechada imposta pela Federação Portuguesa de Futebol (FPF) ao clube, pelo apoio prestado a …

Costa vira à esquerda, mas Catarina Martins diz que "não pode ser só conversa"

Esta quarta-feira, António Costa lança as negociações para o Orçamento do Estado para 2021 com os partidos que, até aqui, foram seus aliados. O primeiro-ministro insiste que o caminho da sua governação passa por entendimentos à …

No novo ano letivo, a Educação Física continua a ser maior incógnita

No início de julho, o Ministério da Educação anunciou algumas orientações sobre o próximo ano letivo que não contemplavam a Educação Física e o futuro da disciplina continua a ser uma incógnita.  Nas escolas, a falta …

FC Porto já só sonha com o título, mas Amorim não faz vida fácil aos "dragões"

O FC Porto só precisa de empatar com o Sporting CP para ser campeão. Rúben Amorim quer estragar a festa dos portistas, embora não lhe interessem quer acabe por vencer o campeonato. O SL Benfica manteve …