Bloco de Esquerda “não manda no parlamento nem manda no país”

Miguel A. Lopes / Lusa

O líder parlamentar do PS, Carlos César invocou hoje o sentido de “responsabilidade financeira” e a rejeição de “aventureirismos” para defender o faseamento do fim das taxas moderadoras e afirmou que o Bloco de Esquerda não manda no país.

Carlos César fez estas declarações após ter visitado a Avisacal, empresa exportadora do setor alimentar instalada em São Pedro do Sul, distrito de Viseu, no âmbito de uma deslocação integrada nas Jornadas Parlamentares do PS, que decorrem até terça-feira.

Questionado sobre se houve uma reviravolta política do PS, que agora pretende fasear ao longo da próxima legislatura as isenções no pagamento de taxas moderadoras, Carlos César negou contradições nesta matéria, invocou o princípio da responsabilidade financeira do Governo e respondeu diretamente, usando palavras duras, às críticas que têm sido feitas pelo Bloco de Esquerda.

“Aceitamos uma acusação: O PS atua com sentido de responsabilidade, com conta peso e medida nas opções a tomar. Se nós fossemos sempre atrás do estilo de aventura de que tudo é fácil, tudo é barato e tudo pode ser feito – argumentos que o Bloco de Esquerda, em especial, mas também alguns dos nossos parceiros alimentam frequentemente -, teríamos um país com uma mão à frente e outra atrás de novo. Voltaríamos ao tempo da bancarrota. Mas com o PS isso não volta a acontecer”, reagiu o presidente do Grupo Parlamentar do PS.

Interrogado sobre a ideia transmitida pelo Bloco de Esquerda de que grande parte das taxas moderadoras devem acabar já em janeiro de 2020, o líder da bancada socialista declarou: “O Bloco de Esquerda não manda na Assembleia da República, nem manda no país”.

Segundo o líder da bancada socialista, até agora, “foi aprovada uma legislação tendente a acabar com as taxas moderadoras”.

“No debate parlamentar [do diploma do Bloco de Esquerda], o PS disse que esse princípio é aceitável em nome da melhoria da acessibilidade das pessoas ao sistema de saúde, mas tem de ser feito com gradualidade. Isso foi dito explicitamente no debate”, insistiu Carlos César.

Ou seja, de acordo com o presidente do Grupo Parlamentar do PS, o diploma do Bloco de Esquerda sobre taxas moderadoras foi apenas aprovado na generalidade, tendo agora de ser discutido e alterado em sede de especialidade.

“Nas comissões, verificaremos que intensidade no tempo deve ser dada a essa medida [para o fim das taxas moderadoras]. Aquilo que vai resultar do debate é a maioria que for constituída para esse feito”, advertiu.

Carlos César defendeu depois que o atual Governo é já responsável “por uma diminuição em 25% das taxas moderadoras” face aos valores praticados em 2015.

“Entendemos que é importante prosseguir na diminuição das taxas moderadoras, de forma naturalmente faseada, tal como dissemos no debate parlamentar que ocorreu. Como tal, não aceitamos acusações de que o PS está a recuar em matérias como esta”, afirmou o líder da bancada socialista.

Perante os jornalistas, Carlos César defendeu que a prioridade do PS “é a recuperação social”, designadamente no apoio às famílias, “ativação da economia, mas, tendo como base, uma política de finanças públicas saudável”.

// Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Bom dia.
    Independentemente da razoabilidade ou não do conceito, foi o sentido de “responsabilidade financeira” e a rejeição de “aventureirismos” que nos faz estar a pagar as “imparidades”, leia-se fraudes, na actuação dos bancos, não é?
    Cumprimentos

RESPONDER

Falcao colocado na órbita do FC Porto

O avançado do Mónaco está a ser apontado pela imprensa francesa como possível reforço do FC Porto. De acordo com o portal Le10Sport, os dragões estão no mercado a tentar garantir a contratação de Radamel Falcao, internacional …

TAP deu prémios em ano de prejuízos quando era totalmente pública

O presidente executivo da TAP disse que os prémios atribuídos relacionam-se com a melhoria de indicadores e que não é a primeira vez que a companhia paga prémios em ano de prejuízos, incluindo quando era …

MP pede à Hungria extensão do Mandado de Detenção Europeu de Rui Pinto

O Ministério Público (MP) pediu à Hungria o alargamento do Mandado de Detenção Europeu (MDE) de Rui Pinto para assim poder acusar o colaborador do Football Leaks por novos factos apurados na investigação relacionada com …

Alcochete. Bruno de Carvalho está na lista internacional de terroristas

Juntamente com os outros 43 arguidos do processo do ataque à Academia de Alcochete, Bruno de Carvalho, antigo presidente do Sporting CP, está na lista internacional de terroristas. A advogada de Fernando Mendes, antigo líder da …

O primeiro golfinho boto-branco ibérico visitou praias de Matosinhos e Porto. Chama-se Gaspar

O primeiro golfinho boto-branco registado na Península Ibérica tem visitado as praias do Porto e de Matosinhos e, além de ser bastante "sociável", os pescadores acreditam tratar-se de uma fêmea por já o terem avistado …

Centro nos EUA com condições "cruéis e ilegais" mantém quase 2 mil crianças detidas

A Amnistia Internacional (AI) denunciou nesta quinta-feira as condições "cruéis e ilegais" em que vivem quase duas mil crianças migrantes, a maior parte desacompanhada, num centro de detenção em Homestead, na Florida, Estados Unidos (EUA), …

Governo vai agravar penalização por uso do telemóvel ao volante

O Governo anunciou esta quinta-feira que está a fazer “alterações cirúrgicas” ao Código da Estrada que passam por agravar a penalização ao uso do telemóvel durante a condução e reduzir o período de notificação das …

Encontrado no Alentejo anfiteatro romano da antiga Lusitânia

O quinto anfiteatro romano conhecido na província da Lusitânia foi identificado por arqueólogos na cidade romana de Ammaia, no concelho de Marvão, no Alto Alentejo. Num comunicado enviado à agência Lusa, a Câmara de Marvão, distrito …

Depois da glória o calvário. Jesus assobiado após eliminação do Flamengo da Copa do Brasil

O Flamengo do português Jorge Jesus foi eliminado nos quartos de final da Copa do Brasil de futebol, ao perder frente ao Athletico Paranaense, por 3-1, nas grandes penalidades, após um empate a 1-1 no …

Cerca de 20 milhões de crianças não tomaram vacinas que lhes podem salvar a vida

No último ano, quase 20 milhões de crianças não tomaram vacinas que potencialmente lhes poderiam salvar a vida, deixando-as imunes a doenças como sarampo. Os dados são revelados pelas Nações Unidas, que alertam para “a preocupante …