Bitcoin ajudou a financiar ciberespionagem eleitoral da Rússia, acusam os EUA

A bitcoin terá ajudado a financiar o esquema de ciberespionagem nos Estados Unidos levado a cabo por 12 agentes russos durante as eleições presidenciais de 2016.

Segundo um relatório, apresentado esta sexta-feira pelo vice-procurador-geral dos Estados Unidos, Rod Rosenstein, no âmbito das investigações do procurador especial Robert Mueller à interferência de agentes russos no processo eleitoral dos EUA, a bitcoin ocupou um lugar central no financiamento do esquema de ciberespionagem nos EUA levado a cabo por 12 agentes russos durante as eleições presidenciais de 2016.

Na acusação contra os serviços secretos militares da Rússia (GRU), lê-se que “para evitar deteção, os atacantes usaram uma rede de computadores em todo o mundo, incluindo nos EUA, e pagaram por esta infra-estrutura com criptomoedas“.

O uso da bitcoin, a moeda mais usada para comprar servidores, registar domínios, entre outras operações, possibilitou aos atacantes “evitar uma relação tradicional com as instituições financeiras, permitindo-lhes escapar ao escrutínio sobre a sua identidade e fundos”.

Em 2016, as transações passaram despercebidas, mas o seu registo acabou por ajudar a identificar os responsáveis. De acordo com o jornal Público, os 12 agentes russos terão realizado transações no valor de cerca de 95 mil dólares americanos, em bitcoins, sem levantar suspeitas.

As transações ficam registadas na blockchain, a base de dados descentralizada em que assenta a bitcoin, mas as identidades são ocultadas através de identificadores alfanuméricos.

No entanto, explica o jornal, os espiões russos terão ido ainda mais longe ao usar centenas de emails diferentes, associados a identidades fabricadas, para registar as transações. Segundo o relatório, “por vezes, como parte do processo de pagamento”, os atacantes “forneciam os vendedores com moradas absurdas como ‘usa Denver AZ’ ou ‘gfhgh ghfhgfh fdgfdg WA'”.

Mas, apesar do carácter anónimo da bitcoin, os 12 agentes russos foram detetados a utilizar os mesmos computadores nos quais realizam as transações com bitcoins para levar a cabo os ataques, informam as autoridades norte-americanas. A maioria vinha sob a forma de ataque de phishing, em que emails com vírus foram enviados aos membros da campanha de Hillary Clinton para lhes roubar o acesso às contas.

Além disso, o relatório apresentado esta sexta-feira nota ainda que os serviços militares secretos russos também criaram parte das criptomoedas que utilizaram para pagar infra-estrutura utilizada nos ciberataques.

Este relatório é uma prova de que a bitcoin pode mesmo ser utilizada em operações de lavagem de dinheiro e manipulação política. Christine Lagarde, diretora-geral do Fundo Monetário Internacional, diz ser preciso travar “o lado negro” das criptomoedas.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Estrela hiper-fugitiva foi expulsa do disco da Via Láctea

De acordo com investigadores da Universidade de Michigan, uma estrela veloz pode ter sido ejetada do disco estelar da Via Láctea por um enxame de estrelas jovens. Os cientistas dizem que a estrela não teve …

Cientistas portugueses participam na criação do maior telescópio do mundo

O SKA, Square Kilometre Array, está já em construção e será o maior telescópio do mundo. Cientistas portugueses estão a participar no seu design e alguns dos testes serão feitos em território luso. A construção do …

Bolsonaro pondera não assinar qualquer acordo na próxima cimeira do clima

O Brasil está a considerar não assinar qualquer acordo climático na próxima COP25, anunciou este sábado em Santiago o Presidente brasileiro Jair Bolsonaro, após uma reunião que manteve no sábado no Palácio de La Moneda …

Portugal vs Sérvia | Massacre luso com pólvora seca

Segunda jornada do Grupo B da qualificação para o Euro 2020, segundo empate de Portugal, ambos em casa. Após o nulo ante a Ucrânia na primeira jornada, os campeões da Europa não foram além de …

O "homem-milagre". Carteiro português esteve morto 21 minutos e acordou a caminho da morgue

Declarado morto pelos médicos, depois de ter tido um ataque cardíaco, e "ressuscitado" 21 minutos depois, quando já ia a caminho da morgue, o português João Araújo continua a ser conhecido como o "homem milagre" …

Um dos fármacos mais promissores para tratar o Alzheimer falha nos testes em humanos

Uma onda de choque instalou-se na comunidade de pesquisa sobre o Alzheimer na sexta-feira, depois que a empresa farmacêutica Biogen anunciou a suspensão - na fase final em humanos - dos testes com o fármaco …

Gerente de agência de viagens deixou 84 clientes em terra. Em tribunal, foi absolvida

Paula chegou a tribunal acusada de burla qualificada por ter deixado 84 clientes da agência de viagens que geria no Montijo com as férias ou viagens estragadas em agosto de 2016. Chegou a ser detida …

Italiana de 91 anos distinguida pelos seus feitos na II Guerra Mundial. Aos 17 anos, salvou 38 pessoas

Gabriella Ezra, de 91 anos, vai receber a Estrela de Itália. O Estado decidiu homenageá-la depois de a embaixada italiana em Inglaterra, onde Gabriella vive, ter recebido uma carta do filho, Mark, de 65 anos, …

Moscovo enviou dois aviões com soldados e armamento para a Venezuela

Duas aeronaves russas aterraram no aeroporto de Caracas, este sábado, trazendo 100 soldados e 35 toneladas de armamento. As tropas chegaram sob supervisão do chefe do comando principal das forças terrestres russas, Vasilly Tonkoshkurov. A chegada …

Escolas retiram relógios analógicos das salas porque os alunos "não sabem dizer as horas"

As escolas estão a retirar os relógios analógicos das salas de aula porque os adolescentes não sabem ler a hora, disse um sindicato de professores do Reino Unido. Para remediar o problema e substituir os relógios …