Biologia sintética pode levar a uma catástrofe global no futuro

Apesar dos aspetos positivos da evolução da biologia sintética, há certas preocupações que este avanço científico acarreta. Nas mãos erradas, a modificação genética de um vírus pode ser um problema de grandes dimensões.

A cepa da gripe, H5N1, tem uma maior taxa de mortalidade do que, por exemplo, o vírus Ébola. No entanto, apenas foi responsável pela morte de cinco pessoas nos últimos três anos, uma vez que é pouco contagioso entre humanos.

Todavia, em 2011, duas equipas de cientistas decidiram tentar “reanimar” este vírus, alterando o genoma da H5N1. O resultado foi um vírus altamente mortal e muito mais contagiante do que a sua versão original.

Nesse mesmo ano, Martin Enserink, um dos responsáveis pela experiência, escreveu um artigo para a revista Science e disse que a libertação do vírus modificado “desencadearia uma pandemia de gripe, possivelmente com muitos milhões de mortes”.

Felizmente o vírus não saiu do laboratório e a humanidade está a salvo por enquanto. O Ars Technica realça que com a galopante evolução da biologia sintética desde então, projetos de alteração de genomas como este se tornaram mais triviais.

Numa TED Talk de abril deste ano, Rob Reid explica o poder que os avanços na biologia sintética podem trazer e sugere uma visão preocupante do futuro.

 

Imagine-se que em 2026, um virologista brilhante cria um vírus altamente letal e transmissível entre os humanos. Para entender melhor as pandemias, projetou também o vírus de forma a que incubasse dentro dos corpos durante meses antes de causar qualquer surto.

Num ambiente controlado, este panorama pode parecer perfeitamente seguro, se tivermos em conta que o virologista é perfeitamente bem intencionado. O problema, segundo Rob, serão mesmo os fatores externos. Caso, por exemplo, a universidade do cientista fosse alvo de um ataque informático, a informação do DNA do vírus poderia ser hackeada e exposta online.

Com a evolução da biologia sintética, ferramentas cada vez mais poderosas e de fácil acesso estariam disponíveis. Assim, pessoas com um menor intelecto poderiam modificar o vírus e torná-lo numa autêntica arma. De acordo com Reid, este poderá ser um problema que se pode manifestar já em meados deste século.

Mas quem estaria disposto a cometer um assassinato desta escala? Para responder a esta pergunta é importante considerar a quantidade de pessoas que morrem por atos de violência que procuram matar o maior número de pessoas possível. Assim, Reid explica que estes assassinatos não são limitados pela consciência ou ambição, mas sim pela limitação das armas a que têm acesso.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Já sabemos qual vai ser o primeiro fruto a ser plantado na EEI (e é picante)

Se tudo correr como planeado, em novembro deste ano, a Estação Espacial Internacional (EEI) vai ficar um bocadinho mais picante. De acordo com o Science Alert, os investigadores querem enviar para a Estação Espacial Internacional (EEI) …

O Hubble encontrou um buraco negro que não devia existir

Algo estranho está a acontecer a 130 milhões de anos-luz da Via Láctea na galáxia espiral NGC 3174. Há um disco fino de material a rodear o seu pequeno e esfomeado buraco negro. Discos como os …

Alimentos para bebés têm excesso de açúcar, alerta a OMS

A Organização Mundial de Saúde (OMS) detetou em quatro cidades da Europa que pelo menos um em cada três alimentos infantis tem níveis de açúcar excessivos e são comercializados de forma incorreta como adequados para …

Estilo de vida saudável pode compensar risco genético de Alzheimer

Novas pesquisas sugerem que um estilo de vida saudável pode reduzir em um terço o risco de doença de Alzheimer ou outras formas de demência, mesmo existindo genes que aumentem o risco destas doenças. Investigadores britânicos …

Lançada Barbie em homenagem a David Bowie

A Matel acaba de lançar uma Barbie em homenagem ao músico britânico David Bowie, que faleceu em 2016, noticia esta semana a Associated Press. De acordo com a agência noticiosa, a nova da Barbie visa celebrar …

Netflix retrata a trágica história de Nicolau II, o último czar da Rússia

A Netflix acaba de lançar The Last Czars, uma série documental sobre a história de Nicolau II e a sua família, que acabou por ditar o fim da dinastia de 300 anos dos Romanov e …

Português desce e Matemática volta à positiva nos exames do 9.º ano

As médias dos alunos do 9.º ano nos exames desceram este ano a Português e subiram a Matemática, voltando a uma média positiva, mas com uma taxa de reprovação ainda a rondar os 30%. Os exames …

A famosa "Pirâmide Curvada" do faraó Senefuru foi aberta ao público pela primeira vez em mais de 50 anos

No Egito, foi aberta ao turismo, pela primeira vez desde 1965, a famosa "Pirâmide Curvada", construída por ordem do faraó Senefuru há 4.600 anos. Localizada em Dahshur, a 40 quilómetros a sul do Cairo, a pirâmide, …

Príncipe Carlos diz que temos 18 meses para salvar a humanidade

O príncipe Carlos admite que os próximos 18 meses serão cruciais para a sobrevivência dos seres humanos. Durante este tempo, os líderes mundiais terão de controlar as mudanças climáticas para evitar uma catástrofe irreversível. "Senhoras e …

Novo filme da saga Bond tem Agente 007 feminina

De acordo com jornais ingleses, o filme Bond 25 não terá um novo James Bond, mas sim uma nova Agente 007. No filme, que será uma homenagem ao legado de Roger Moore e de todos …