Biden garante à Polónia que art 5.º da NATO é “dever sagrado” para os Estados Unidos

1

gageskidmore / Flickr

O Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden

O presidente norte-americano, Joe Biden, reafirmou este sábado a Varsóvia que o artigo 5.º do tratado da NATO, estipulando que um ataque a um país membro é um ataque a todos, constitui “um dever sagrado” para os Estados Unidos.

Joe Biden deu essa garantia num encontro com o presidente polaco, Andrzej Duda, cujo país teme a agressividade de Moscovo, após a Rússia ter invadido a Ucrânia.

Repetindo que para os norte-americanos o artigo 5.º é “uma obrigação sagrada”, Biden acrescentou: “Podem contar com isso”, antes de citar uma velha máxima polaca “pela nossa liberdade e pela vossa”.

O slogan remonta a uma insurreição polaca contra a ocupação da Rússia czarista e visava mostrar aos russos que a revolta também os deveria libertar do despotismo dos czares.

Biden disse igualmente que o Presidente russo, Vladimir Putin, “contava com uma NATO dividida”, mas que essa divisão não se verificou.

Por seu lado, Andrzej Duda afirmou que as relações entre a Polónia e os Estados Unidos estão a “florescer” e serão “extremamente fortalecidas” com a visita ao país do seu homólogo norte-americano, realçando que o seu país era um aliado “sério” dos Estados Unidos.

Duda falou ainda da futura cooperação da Polónia com as empresas norte-americanas relacionada com centrais nucleares e disse também que esperava que as empresas do setor aeronáutico polaco pudessem vir a participar na produção dos helicópteros norte-americanos Black Hawk.

Biden está em visita à Polónia depois de ter participado em três cimeiras, da NATO, do G7 e da União Europeia (UE), em Bruxelas, centradas na invasão russa da Ucrânia.

O Presidente norte-americano já visitou as forças armadas americanas estacionadas na Polónia perto da fronteira com a Ucrânia e reuniu-se com os ministros dos Negócios Estrangeiros e da Defesa da Ucrânia, Dmitro Kuleba e Oleksii Reznikov, respetivamente.

  // Lusa

1 Comment

  1. Neutralidade é a melhor proteção. Para onde estamos indo agora? O profeta Daniel escreve: “E [o rei do norte = Rússia desde a segunda metade do século XIX. (Daniel 11:27)] tornará para a sua terra com muitos bens [1945], e o seu coração será contra a santa aliança [a União Soviética introduziu o ateísmo estatal e os crentes foram perseguidos]; e vai agir [isso significa alta atividade no cenário internacional], e voltará para a sua terra [1991-1993. A dissolução da União Soviética e o Pacto de Varsóvia. As tropas russas retornaram a sua terra]. No tempo designado voltará [as tropas russas voltarão para onde estavam anteriormente estacionadas. Isso significa também a desintegração da União Europeia e da NATO. Muitos países do antigo bloco de Leste voltará à esfera de influência russa]. E entrará no sul [por causa do conflito étnico (Mateus 24:7)], mas não serão como antes [Geórgia – 2008] ou como mais tarde [Ucrânia – atualmente. Este conflito também não se transformará em uma conflagração global, mas com certeza isso acontecerá na próxima vez], pois os habitantes das costas de Quitim [o distante Ocidente, ou para ser mais preciso, os americanos] virão contra ele, e (ele) se quebrará [mentalmente], e voltará atrás”. (Daniel 11:28-30a) Mas agora diante de nós – o retorno da Rússia.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.