Benfica suspeito de ter subornado ex-árbitro Bruno Paixão

Bruno Paixão terá recebido milhares de euros da Best for Business quando ainda era árbitro de jogos da Primeira Liga.

A empresa pertence a José Bernardes, que é arguido no processo “Saco Azul”, por alegadamente ter desviado 1,9 milhões de euros do Benfica.

Em maio do ano passado, o ex-árbitro, de 47 anos, anunciou o seu afastamento do setor da arbitragem, no qual estava no desempenho do papel de VAR. A sua despedida ficou marcada pelo pedido de desculpas “por todos os erros que possa ter cometido”.

A TVI avança que o dinheiro pago a Bruno Paixão pela Best for Business está a ser investigado por indícios de corrupção desportiva.

Assim, as autoridades estão a estudar se o pagamento feito a Bruno Paixão terá sido uma forma de o Benfica subornar o antigo árbitro, sublinha o Expresso.

A sanção para este comportamento prevista no Regulamento Disciplinar da Liga Portugal é a descida de divisão. Caso tenha ficado pela tentativa de suborno, o clube em questão “será punido com a subtração de pontos” entre “o mínimo de cinco e o máximo de oito”.

Este mesmo cenário também foi colocado ao FC Porto, em dezembro do ano passado.

O Ministério Público esteve a investigar o FC Porto por entregas de dinheiro a pessoas com alegada “capacidade de influenciar a sorte dos resultados desportivos”.

Em declarações à TVI, o próprio Bruno Paixão admitiu ter recebido os pagamentos da Best for Business, mas justificou que se devia a “um serviço” prestado de “controlo de qualidade” que terá feito enquanto ainda apitava jogos da Liga.

Por sua vez, Paixão negou ter recebido qualquer tipo de pagamento da parte do SL Benfica.

Em comunicado, o SL Benfica afasta-se das acusações: “Nunca a Benfica SAD ou os seus representantes legais foram confrontados com quaisquer factos que envolvessem o nome do Senhor Bruno Paixão e/ou quaisquer acusações de corrupção desportiva”.

  Daniel Costa, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.