Bebés que nascem em casa têm mais e melhores bactérias no intestino

Os bebés que nascem em casa podem ter bactérias intestinais mais diversas. Esta diferença pode ter impacto na imunidade e no metabolismo de uma pessoa em crescimento.

Assim que um bebé nasce, ele é rapidamente colonizado por inúmeros micróbios, incluinto biliões de bactérias, fungos e vírus que residem no nosso corpo. Esta espécie de “passageiros invisíveis” compõem o microbioma humano e acredita-se que os que residem no intestino desempenham um papel muito importante na digestão e no sistema imunológico.

Ainda assim, há muitos pormenores que os cientistas desconhecem acerca do microbioma humano, incluindo como é que é estabelecido e como é que se altera com o tempo.

Alguns cientistas sugeriram que um ambiente excessivamente limpo no começo da vida – como um hospital estéril – pode afetar adversamente o desenvolvimento de uma criança. No entanto, até agora, a maioria dos estudos foi confinada aos hospitais, pelo que ainda não está claro qual o papel que o ambiente do parte pode desempenhar no estabelecimento do microbioma de uma pessoa.

Para tirar as dúvidas, uma recente investigação, cujo artigo científico foi publicado na Scientific Reports, acompanhou 35 recém-nascidos e as suas mães, durante um mês. Dos 35 bebés, 14 nasceram em casa e 21 no hospital. Todos eles nasceram por via vaginal e foram exclusivamente amamentados após o nascimento: duas vias importantes para uma mãe transmitir os seus próprios micróbios.

Durante o mês de acompanhamento, os cientistas recolheram amostras de fezes das mães e dos bebés e concluíram por comparação que os bebés que tinham nascido em casa tinham uma maior diversidade de flora intestinal. Esta mudança foi verificada durante o mês inteiro.

“As razões para as diferenças entre bebés nascidos em casa e em hospitais não são conhecidas, mas especulamos que as intervenções hospitalares comuns como o banho infantil precoce e a profilaxia antibiótica ocular ou até mesmo fatores ambientais – como o ambiente assético do hospital – podem estar envolvidos”, explica a autora do estudo Maria Gloria Dominguez-Bello, investigadora na Rutgers University-New Brunswick.

Estes resultados sugerem que os bebés nascidos em hospitais são imediatamente expostos a menos micróbios e, por isso, possuem um microbioma menos diversificado no primeiro mês de vida.

No entanto, os cientistas salvaguardam que ainda não está claro se estas diferenças no microbioma das crianças que nascem em casa ou nos hospitais são perigosas ou duradouras. Apesar de uma flora intestinal diversificada ser considerada mais saudável, os investigadores ainda estão muito divididos sobre se o microbioma afeta a imunidade e causa doenças.

Serão precisas investigações futuras para esclarecer esta questão. Ainda assim, este novo estudo sugere que a renovação do ambiente hospitalar de modo a que se assemelhe às condições do lar pode ser benéfico

ZAP // ScienceAlert

PARTILHAR

RESPONDER

Liveblog ZAP. "Há muita gente que tem medo de votar em quem quer"

Realizam-se este domingo Eleições Autárquicas em Portugal, nas quais está em jogo a eleição de 308 presidentes de câmaras municipais, os seus vereadores e assembleias municipais, bem como 3091 assembleias de freguesia. Acompanhe tudo no …

Arqueólogos desenterram (acidentalmente) ossadas com 800 anos no Peru

Os restos mortais de oito pessoas, com aproximadamente 800 anos de idade e enterrados com alimentos e instrumentos musicais na mesma câmara funerária, foram encontrados ao sul de Lima, no Peru, durante a instalação de …

Marcelo apela ao voto "por memória deste ano e meio que não esqueceremos"

O Presidente da República considerou que votar nas eleições autárquicas é mais importante do que nunca para o país recomeçar a viver e a sair das crises sanitária, económica e social. Este apelo ao voto foi …

Onde e como? Um guia para votar nas eleições autárquicas

As mesas de voto das eleições autárquicas abriram hoje às 08:00 no continente e na Madeira para a escolha dos dirigentes dos municípios e das freguesias para os próximos quatro anos. Nos Açores, as urnas abrem …

Ensino Superior: 33% dos candidatos ficaram de fora. Veja se ficou entre os colocados

Mais de 49 mil novos estudantes entraram agora para o ensino superior, tendo ficado sem colocação 33% dos candidatos à primeira fase do concurso nacional de acesso, revelam dados divulgados hoje pelo Ministério do Ensino …

Pessoas mais pobres são vistas como menos suscetíveis à dor

Um novo estudo indica que os indivíduos de classe baixa são estereotipados como insensíveis à dor física, o que pode impactar os seus cuidados médicos. “As estatísticas de saúde indicam que as pessoas ricas recebem um …

As crianças têm dez vezes mais micro-plásticos nas fezes do que os adultos

Uma equipa de cientistas da Universidade de Nova Iorque, nos Estados Unidos, usou espectrometria de massa para medir os níveis de micro-plásticos compostos de policarbonato (PC) e de polietileno tereftalato (PET) presentes nas fezes crianças …

MIT desenvolve mão robótica insuflável (que devolve o tato aos amputados)

Apesar de haver membros biónicos altamente articulados, concebidos para detetar os sinais musculares residuais e imitar roboticamente os seus movimentos pretendidos, a destreza de alta tecnologia tem um custo muito alto. Recentemente, engenheiros do Massachusetts Institute …

É agora possível os robôs mexerem-se sozinhos, graças a novos polímeros de alta energia

Através do uso de novos polímeros que armazenam mais energia e são depois aquecidos, investigadores da Universidade de Stanford conseguiram colocar manequins a mexer os braços sozinhos. Era ver robots a mexer os braços sozinhos, pelo …

"Poço do Inferno". Espeleólogos encontram serpentes, mas não demónios

No deserto da província de Al-Mahra, no leste do país, um buraco redondo e escuro de 30 metros de largura serve de entrada para uma caverna de cerca de 112 metros. Uma maravilha natural que …