Beber com frequência (mas pouco) reduz risco de diabetes

SXC

Pessoas que bebem de três a quatro vezes por semana são menos propensas a desenvolver diabetes do que aquelas que bebem com menos frequência ou não bebem, sugere um novo estudo realizado por especialistas dinamarqueses.

Os especialistas concluíram que beber moderadamente reduziu em 32% o risco de diabetes em mulheres e de 27% em homens – em comparação àqueles que consomem álcool menos de uma vez por semana. Aliás, o risco da doença foi menor quando as mulheres consumiam nove bebidas por semana enquanto que, para os homens, a média era de 14 por semana.

“Descobrimos que a frequência com que se bebe tem um efeito independente da quantidade de álcool consumido”, comentou Janne Tolstrup, do Instituto Nacional de Saúde Pública da Universidade do Sul da Dinamarca, que conduziu o estudo.

“Notamos que o efeito é melhor quando se consome álcool em quatro porções do que em apenas uma”, acrescenta.

O estudo, publicado esta quinta-feira no jornal Diabetologia, baseou-se em dados de mais de 76 mil dinamarqueses recolhidos entre 2007 e 2008 pelo órgão público de saúde do país.

Os participantes foram acompanhados em média por cinco anos. Além de responder a questionários sobre estilo de vida, foram recolhidas amostras de sangue e outras informações sobre as suas condições de saúde.

Após os cinco anos, um total de 859 homens e 887 mulheres desenvolveram diabetes. O estudo explica que não foi possível distinguir entre o diabetes tipo 1 e o 2, mas ressalta que a maioria dos indivíduos provavelmente desenvolveu a tipo 2 – que está relacionada com o estilo de vida, enquanto que a tipo 1 é influenciado especialmente pela genética e diagnosticada ainda na juventude.

As descobertas também sugerem que nem todos os tipos de álcool têm o mesmo efeito. O vinho mostrou-se especialmente benéfico, e os especialistas escrevem que uma explicação possível é a presença de polifenóis na bebida (especialmente no tinto), substância que reduz o açúcar do sangue, segundo estudos anteriores.

Os homens que consumiam mais de sete copos de vinho por semana tinham cerca de 30% menos risco de diabetes do que aqueles que consumiam a bebida menos de uma vez por semana. Para mulheres, a média é de um ou mais copos por semana.

No caso de cerveja, homens com consumo de uma a seis unidades por semana reduziram o risco 21%. Não houve diferença, no entanto, para as mulheres.

Já o alto consumo de bebidas destiladas entre as mulheres parece aumentar significativamente o risco da doença – mas não há efeito no caso dos homens.

Ao contrário de outros estudos, este estudo não encontrou qualquer ligação entre o consumo excessivo de álcool e diabetes. Segundo Tolstrup, tal situação pode ter ocorrido pelo baixo número de participantes que relataram consumir álcool em excesso, o que foi estabelecido para o consumo de cinco ou mais copos na mesma ocasião.

Efeito do álcool

Mas os especialistas ressaltam que o novo estudo não é uma desculpa para beber mais do que o recomendado. Emily Burns, da organização Diabetes UK, alerta que o impacto do consumo de álcool sobre o diabetes tipo 2 varia de pessoa para pessoa.

Embora os resultados sejam interessantes, a cientista afirma que “não é recomendável que as pessoas vejam este estudo como um sinal verde para beberem mais do que está descrito nas atuais diretrizes da NHS, o serviço de saúde público britânico”.

A diretriz sugere que os homens e mulheres não devem beber mais do que 14 unidades de álcool por semana, o equivalente a seis “pints” (medida inglesa que corresponde a 560 ml) de cerveja de moderado teor alcoólico ou a dez copos pequenos de vinho de baixo teor alcoólico – espaçado por um período de três dias ou mais, com alguns dias sem o consumo de nenhuma bebida alcoólica.

A equipa dinamarquesa também analisou o efeito de álcool em várias outras doenças e concluíram que beber moderadamente poucas vezes por semana também estava relacionado com um risco menor de problemas cardiovasculares. Mas, consumir qualquer quantidade de álcool aumentou o risco de doenças gastrointestinais, tais como doença hepática alcoólica e pancreatite.

ZAP // BBC

PARTILHAR

RESPONDER

Segurança de Notre Dame demorou 30 minutos a chamar bombeiros

O primeiro alerta de "fogo" terá surgido no painel de controlo do monumento às 18h18 locais, no dia 15 de abril, mas só 25 minutos depois foram verificar se algo se passava na cobertura da …

EUA revelam preocupação com desenvolvimento de armas nucleares russas

Os EUA demonstraram esta quarta-feira preocupação com o desenvolvimento de armas nucleares não estratégicas por parte da Rússia, numa reunião com uma delegação russa, na Suíça, para tentar “reduzir mal-entendidos”. A reunião em Genebra, que juntou …

Bastonário dos Médicos diz desconhecer acordo sobre Lei de Bases da Saúde

O bastonário da Ordem dos Médicos disse hoje desconhecer o acordo parlamentar sobre a Lei de Bases da Saúde e considerou "no mínimo estranho” que os portugueses não tenham acesso a um documento tão importante …

OMS decreta estado de emergência global devido ao Ébola na República Democrática do Congo

A epidemia de Ébola que se faz sentir na República Democrática do Congo foi considerada esta quarta-feira uma emergência global de saúde pela Organização Mundial de Saúde (OMS). O diretor-geral da Organização Mundial de Saúde, Tedros …

Os Vikings podem ter fumado canábis enquanto exploravam a América do Norte

A descoberta do pólen de canábis perto de um assentamento Viking na Terra Nova levanta a questão sobre se os vikings fumavam ou comiam canábis enquanto exploravam a América do Norte. Os investigadores também encontraram evidências …

Marcelo confessa que vai ter “verdadeiramente saudades” da atual composição do Parlamento

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, confessou esta quarta-feira que vai ter "verdadeiramente saudades" da atual composição da Assembleia da República, salientando a centralidade inédita do parlamento na atual legislatura. Por ocasião do final …

Bebé Matilde vai ter alta do hospital esta quinta-feira

A bebé Matilde, que nasceu com atrofia espinhal muscular tipo I e tem estado internada no Hospital de Santa Maria, em Lisboa, vai ter alta esta quinta-feira. Os pais dizem ainda que não têm novidades …

Parlamento reaprecia lei do lóbi após veto de Marcelo (mas PSD pode chumbar lei)

A decisão de reapreciar na sexta-feira a lei do lóbi — depois do veto do Presidente da República — foi tomada esta quarta-feira, por consenso entre todos os partidos, numa reunião de conferência de líderes, …

Ilhas Marshall são dez vezes mais radioativas que Chernobyl

Algumas das Ilhas Marshall no Oceano Pacífico - como os atóis Bikini e Enewetak - ainda são mais radioativas que Chernobyl e Fukushima, embora mais de 60 anos tenham passado desde que os EUA testaram …

Pela terceira vez, proposta de impeachment contra Trump chumbada na Câmara dos Representantes

Pela terceira vez nos últimos dois anos, uma iniciativa apresentada pelo congressista democrata Al Green, do Texas, com vista à abertura de um processo de destituição do Presidente Donald Trump, foi chumbada. A votação reuniu 95 …