Bebé que nasceu com quatro pernas foi separada da gémea parasita

Uma cirurgia complexa e de alto risco permitiu separar com sucesso uma menina de apenas 10 meses de idade da sua irmã gémea parasita. A criança tinha nascido com quatro pernas e com duas colunas vertebrais.

Dominique, de apenas dez meses de idade, já está em casa de uma família de acolhimento, em Chicago, nos EUA, depois de ter sido alvo de uma cirurgia de alta complexidade no Hospital Infantil Advocate, em Park Ridge, no Illinois, EUA, no passado dia 8 de Março.

A cirurgia só agora, foi divulgada pelos médicos, conforme noticia a Reuters, numa altura em que a menina que nasceu na Costa do Marfim já deixou o hospital, volvidos apenas cinco dias de internamento, após a operação.

Ela fez a viagem até aos EUA graças à organização Children’s Medical Mission West que se dedica ao transporte de crianças, por todo o mundo, para fazerem tratamentos médicos para condições de saúde raras, e depois de a norte-americana Nancy Swabb se ter oferecido para a acolher em sua casa.

Caso único no mundo

Dominique é considerada um caso único no mundo, conforme explica à Reuters o neurocirurgião pediátrico John Ruge que esteve envolvido na operação e que destaca o facto de os casos de gémeos parasitas serem muito raros.

“Um gémeo parasita é um gémeo idêntico que não consegue separar-se durante o desenvolvimento”, explica Ruge. “Não é outro gémeo independente, mas um gémeo que estava dependente do seu sistema corporal, de tal forma que o coração e os pulmões de Dominique lhe forneciam o alimento”, acrescenta o neurocirurgião.

Dominique nasceu com as pernas da gémea presas ao pescoço e às costas e com duas colunas vertebrais – ela tem um cérebro que está ligado a uma espinal medula que diverge em duas colunas vertebrais.

A esperança média de vida da criança era assim, muito reduzida, uma vez que o coração e os pulmões estavam a suportar dois corpos e que as pernas da gémea continuariam a crescer, o que lhe causaria severas deformações na coluna vertebral, bem como dores crónicas.

Esta cirurgia de seis horas, que contou com a intervenção de uma equipa de mais de 50 profissionais, desde neurocirurgiões, cirurgiões plásticos e crânio-faciais, ortopedistas, anestesiologistas, radiologistas, até enfermeiros e terapeutas, permitiu aumentar as possibilidades de Dominique ter uma vida normal e mais longa.

Um quilo mais leve…

Antes da operação, Dominigue foi sujeita a criteriosos e exaustivos exames para perceber como é que os membros da irmã gémea parasita se ligavam ao seu corpo.

Depois, foi criado um modelo 3D, no computador, a partir do qual foi encenada a operação, com a definição precisa da actuação de todos aqueles que iriam intervir na cirurgia.

Neste processo de estudo prévio à operação, os médicos acabaram por descobrir uma segunda bexiga, situada por trás das pernas parasitas, que foi também necessário remover, revela a CNN.

O moroso e cuidadoso trabalho preparatório permitiu traçar um “plano de ataque” detalhado para definir como é que se poderia “remover de forma segura e efectiva, uma muito complexa parte agregada à espinal deste pequeno bebé e acabar por ter uma criança saudável e feliz”, diz o cirurgião pediátrico Franck Vicari, também envolvido na operação.

A cirurgia exigiu rigorosa precisão porque era essencial não desligar nervos, nem vasos sanguíneos que pudessem causar danos irreversíveis.

Após as seis horas de operação, a menina ficou mais saudável e quase um quilo mais leve, mas mantém as duas colunas vertebrais, uma vez que os médicos consideram que ela pode ter uma vida normal desse modo.

A recuperação “está a correr muito bem”, garante Franck Vicari. E se tudo continuar desta forma, a menina poderá em breve voltar para o seio da família, na Costa do Marfim.

Quanto ao futuro, “como qualquer criança, ela precisa de ser cuidada e de ser seguida por questões de desenvolvimento”, repara John Ruge, realçando que Dominique “tem ligeiramente mais riscos porque foi construída de uma forma muito diferente da de qualquer outra criança”. Mas, para já, “parece óptima”, diz o médico.

SV, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

ADN herdado dos neandertais pode aumentar o risco de covid-19

Uma nova investigação concluiu que um segmento de ADN herdado dos neandertais presente em alguns humanos pode aumentar o risco de covid-19. De acordo com o estudo levado a cabo por cientistas da Alemanha e …

Ricardo Salgado vai ser acusado de liderar organização criminosa dentro do BES

O Ministério Público (MP) prepara-se para acusar Ricardo Salgado de liderar uma associação criminosa enquanto esteve à frente do Grupo Espírito Santo (GES), avança o jornal Público este sábado. De acordo com o matutino, esta …

FC Pingzau: O clube que sonha com a Champions e que também pode ser seu por 500 euros

Deter parte de um clube com aspirações à Liga dos Campeões é possível e já pode fazê-lo por apenas 500 euros.O FC Pingzau é o clube austríaco detido por adeptos com o objetivo de chegar …

Uma pitada de poeira de rocha pode ajudar a evitar alterações climáticas catastróficas

O uso de poeira de rocha na agricultura traz não só vantagens para a colheita, mas também para o ambiente. Esta técnica permite uma remoção eficiente do dióxido de carbono. Espalhar poeira de rocha nos terrenos …

ANA avança com plano de "saídas voluntárias"

A ANA, gestora dos aeroportos nacionais, vai avançar com "um plano de saídas voluntárias", no âmbito do redimensionamento das equipas. A ANA - Aeroportos de Portugal, gestora dos aeroportos nacionais, vai avançar com “um plano de …

Cientistas detetaram estranhos objetos astronómicos circulares (e não fazem ideia do que são)

Recorrendo a telescópios, uma equipa de astrofísicos detetou quatro estranhos objetos astronómicos. Foram encontrados nos comprimentos de onda de rádio e são circulares e mais brilhantes do que as suas bordas. Estes estranhos e inesperados …

Especialista alerta sobre possíveis vírus extraterrestres que podem chegar à Terra em futuras missões

O cientista e antigo colaborador da NASA Scott Hubbard alertou para a possível chegada de vírus extraterrestres à Terra em futuras missões espaciais, notando que o interesse pela exploração do Espaço tem aumentado. O antigo …

Covid-19. A morada e a cor da pele são um fator de risco no Brasil

Enquanto que na Europa a idade é um fator de risco da covid-19, no Brasil, o sítio onde moram e a cor da sua pele definem essa fronteira entre os que têm maior ou menor …

Lagos dos Estados Unidos estão a ficar cobertos de verde. Nem os mais remotos escapam

Vários lagos montanhosos dos Estados Unidos estão a tornar-se verdes devido ao crescimento de algas que prosperam por causa das alterações climáticas, concluiu um estudo conduzido por cientistas da Universidade do Colorado. De acordo com a …

No Algarve, metade dos casos de infeção resultaram de transmissão social

Um estudo apresentado na última reunião do Infarmed, em Lisboa, veio estabelecer uma relação entre a propagação do vírus no Algarve e o fator social. De acordo com o estudo, apresentado na última reunião do Infarmed, …