Bebé de mamute-lanoso com 30 mil anos encontrado em condições quase perfeitas

(dr) Governo de Yukon

Nun cho ga, o mamute-lanoso encontrado em Yukon.

Um mineiro encontrou um mamute-lanoso bebé mumificado em Tr’ondëk Hwëch’in, em Yukon, Canadá. O fóssil está num estado de conservação quase perfeito.

Os Tr’ondëk Hwëch’in são um povo indígena de cerca de 1.100 pessoas, que inclui descendentes de pessoas que falam Hän, que vivem ao longo do rio Yukon há milénios, e uma mistura diversificada de famílias descendentes de Gwich’in, Tutchone do Norte e outros grupos linguísticos.

A mamute bebé fêmea foi batizado de Nun cho ga pelos anciãos Tr’ondëk Hwëch’in, que se pode traduzir por “grande bebé animal” na língua Hän, lê-se no comunicado do governo local.

A criatura mumificada foi encontrada na semana passada por mineiros enquanto estes escavavam o permafrost de Eureka Creek. Nun cho ga é o mamute mumificado mais completo alguma vez descoberto na América do Norte. Restos mumificados com pele e pelo raramente são encontrados.

Nun cho ga morreu e ficou congelada no permafrost durante a Era do Gelo, ao longo de mais de 30.000 anos.

“Como paleontólogo da Era do Gelo, foi um dos sonhos da minha vida ficar cara a cara com um mamute-lanoso de verdade. Esse sonho tornou-se realidade hoje. Nun cho ga é linda e um dos mais incríveis animais mumificados da Era do Gelo já descobertos no mundo. Estou entusiasmado para conhecê-la melhor”, disse o paleontólogo local Grant Zazula.

“Fazer parte da recuperação de Nun cho ga, a bebé de mamute-lanoso encontrada no permafrost em Klondike esta semana (no Solstício e no Dia dos Povos Indígenas!), foi a coisa científica mais emocionante de que já participei, sem exceção”, disse também o geomorfologista Dan Shugar, através do Twitter.

Nun cho ga terá percorrido o Yukon ao lado de cavalos selvagens, leões das cavernas e bisões gigantes das estepes. A sua descoberta constitui o primeiro mamute mumificado quase completo e mais bem preservado encontrado na América do Norte.

  Daniel Costa, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.