Após decisão do TC, BE quer que Parlamento elimine norma do período experimental

Nuno Fox / Lusa

Catarina Martins

O Bloco de Esquerda (BE) defende que o Parlamento deve avançar já para responder à decisão do Tribunal Constitucional e eliminar a norma que alarga o período experimental, desafiando o PS a “retirar conclusões” sobre o acórdão do Tribunal Constitucional (TC) conhecido nesta segunda-feira.

O Tribunal Constitucional declarou inconstitucional a norma do Código do Trabalho que alargou o período experimental de 90 para 180 dias quando estão em causa trabalhadores à procura do primeiro emprego que já tinham sido anteriormente contratados a prazo por pelo menos 90 dias.

Este acórdão resultou de um pedido de declaração de inconstitucionalidade sobre algumas normas do Código do Trabalho, feito por 35 deputados do BE, PCP e PEV, em Setembro de 2019.

“Tendo em conta a decisão do Tribunal Constitucional, o Bloco de Esquerda considera que é este o momento para o Parlamento avançar nestas três matérias”, disse Catarina Martins, durante uma conferência de imprensa.

O BE quer “eliminar o alargamento do período experimental que foi consagrado no final da legislatura 2015 e 2019 por acordo entre PS e PSD, eliminar o alargamento dos contratos de muito curta duração, feito também nesse período, e finalmente acabar com a caducidade unilateral da contratação coletivas”, referiu a líder do partido.

Questionada sobre se o BE iria avançar já com estas propostas, a coordenadora bloquista respondeu que sim, deixando claro que o partido está “ainda a analisar o acórdão e a sua fundamentação”, um “acórdão com algumas contradições e que o Bloco não acompanha na sua generalidade”, sendo um documento “complexo e com uma votação muito dividida”.

“O nosso desafio é que não seja apenas o BE a avançar. É que seja possível também, nomeadamente ao PS, retirar conclusões do que diz este acórdão dos falhanços nos apoios sociais durante a pandemia e das condições em que ficaram os trabalhadores em período experimental”, apelou, citada pelo Público.

Catarina Martins considera que este acórdão “é uma derrota para uma das matérias que foi acordo entre PS e PSD quando decidiram aumentar a precariedade no final da legislatura 2015/2019, contrariando até o que tinha sido o trabalho que o Bloco tinha feito com o PS e com o Governo no início desta legislatura”.

“É seguramente uma responsabilidade acrescida ao Parlamento de corrigir os problemas que, de facto, os juízes conselheiros identificam na legislação laboral tanto nos casos em que declaram inconstitucional, como nos casos em que há um debate profundo sobre a dificuldade que estas leis acrescentam e o desequilíbrio contra os trabalhadores que estas regras põem na nossa legislação do trabalho”, considerou.

No mesmo plano, a UGT aplaude a decisão do Tribunal Constitucional relativamente a medidas que já tinham gerado polémica. Segundo a TSF, o secretário-geral Carlos Silva pede agora que seja corrigido o que é inconstitucional.

Relativamente à proposta do Bloco de Esquerda, que encara a decisão do tribunal como uma oportunidade para mudar de forma profunda o Código do Trabalho, a UGT defende pragmatismo e estabilidade.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Tempestade de areia "engoliu" cidade na China

Uma forte tempestade de areia "engoliu" a cidade de Dunhuang, no noroeste da China, no passado domingo. De acordo com o South China Morning Post, a forte tempestade de areia, que provocou nuvens de poeira com …

Raíssa faz bolachas com o lema "Fora Bolsonaro". Já se tornaram virais

Uma brasileira começou a fazer bolachas com o lema "Fora Bolsonaro" em jeito de brincadeira, mas agora já vende centenas todos os dias. Aquilo que começou como uma simples brincadeira, acabou por tornar-se viral. A ideia …

Zara, 19 anos, quer ser a mulher mais nova de sempre a voar sozinha à volta do mundo

Uma jovem, de 19 anos, pôs mãos à obra para levar a cabo um "gap year" (o chamado ano sabático) com um propósito muito fora do comum: tornar-se a mulher mais nova de sempre a …

Francês diz ter usado método matemático para ganhar o Euromilhões

O francês, que não quis revelar a sua fórmula à imprensa, ganhou, no dia 11 de junho, 30 milhões de euros com a combinação com a qual jogava há um mês. A história foi contada, esta …

Mais de metade da população portuguesa já tem a vacinação completa

Mais de metade da população residente em Portugal (52%) já tem a vacinação completa contra a covid-19, revela o relatório semanal de vacinação divulgado esta terça-feira pela Direção-Geral da Saúde (DGS). Segundo o último relatório semanal …

Campeão olímpico criou problemas no seu país natal

Richard Carapaz, medalha de ouro no ciclismo, foi direto: "O país nunca acreditou em mim". Presidente do Equador, ministro e Comité Olímpico reagiram. Poucos dias depois de ter subido ao pódio final da Volta a França …

Jovens preocupados com fertilidade e efeitos secundários das vacinas contra a covid-19

Com o avanço das campanhas de vacinação, um grande número de pessoas das faixas etárias baixo dos 30 anos mostra-se relutante em tomar a vacina contra a covid-19. Os jovens falam de preocupações com fertilidade …

Dois gestos de Cla(ri)sse que ficam para a memória olímpica

Clarisse Agbégnénou foi campeã olímpica no judo, pela primeira vez - mas a atitude que demonstrou, mal venceu a final, ficará também nos registos. Campeã mundial cinco vezes, mais duas medalhas de prata. Cinco medalhas em …

Sindicatos avançam com ações legais para travar despedimento coletivo na TAP

Os sindicatos que representam os trabalhadores da TAP vão avançar com ações legais para travar o despedimento coletivo que a empresa iniciou na segunda-feira, que abrange 124 profissionais. "Até agora houve conversa, a partir de agora …

Ginastas alemãs usam fato integral para combater sexualização da modalidade

Ao contrário do que acontece com os ginastas masculinos, que podem optar por calções ou calças, as mulheres competem, desde o início da modalidade, de bodies que expõem grande parte do seu corpo. Quando, no último …