Após decisão do TC, BE quer que Parlamento elimine norma do período experimental

Nuno Fox / Lusa

Catarina Martins

O Bloco de Esquerda (BE) defende que o Parlamento deve avançar já para responder à decisão do Tribunal Constitucional e eliminar a norma que alarga o período experimental, desafiando o PS a “retirar conclusões” sobre o acórdão do Tribunal Constitucional (TC) conhecido nesta segunda-feira.

O Tribunal Constitucional declarou inconstitucional a norma do Código do Trabalho que alargou o período experimental de 90 para 180 dias quando estão em causa trabalhadores à procura do primeiro emprego que já tinham sido anteriormente contratados a prazo por pelo menos 90 dias.

Este acórdão resultou de um pedido de declaração de inconstitucionalidade sobre algumas normas do Código do Trabalho, feito por 35 deputados do BE, PCP e PEV, em Setembro de 2019.

“Tendo em conta a decisão do Tribunal Constitucional, o Bloco de Esquerda considera que é este o momento para o Parlamento avançar nestas três matérias”, disse Catarina Martins, durante uma conferência de imprensa.

O BE quer “eliminar o alargamento do período experimental que foi consagrado no final da legislatura 2015 e 2019 por acordo entre PS e PSD, eliminar o alargamento dos contratos de muito curta duração, feito também nesse período, e finalmente acabar com a caducidade unilateral da contratação coletivas”, referiu a líder do partido.

Questionada sobre se o BE iria avançar já com estas propostas, a coordenadora bloquista respondeu que sim, deixando claro que o partido está “ainda a analisar o acórdão e a sua fundamentação”, um “acórdão com algumas contradições e que o Bloco não acompanha na sua generalidade”, sendo um documento “complexo e com uma votação muito dividida”.

“O nosso desafio é que não seja apenas o BE a avançar. É que seja possível também, nomeadamente ao PS, retirar conclusões do que diz este acórdão dos falhanços nos apoios sociais durante a pandemia e das condições em que ficaram os trabalhadores em período experimental”, apelou, citada pelo Público.

Catarina Martins considera que este acórdão “é uma derrota para uma das matérias que foi acordo entre PS e PSD quando decidiram aumentar a precariedade no final da legislatura 2015/2019, contrariando até o que tinha sido o trabalho que o Bloco tinha feito com o PS e com o Governo no início desta legislatura”.

“É seguramente uma responsabilidade acrescida ao Parlamento de corrigir os problemas que, de facto, os juízes conselheiros identificam na legislação laboral tanto nos casos em que declaram inconstitucional, como nos casos em que há um debate profundo sobre a dificuldade que estas leis acrescentam e o desequilíbrio contra os trabalhadores que estas regras põem na nossa legislação do trabalho”, considerou.

No mesmo plano, a UGT aplaude a decisão do Tribunal Constitucional relativamente a medidas que já tinham gerado polémica. Segundo a TSF, o secretário-geral Carlos Silva pede agora que seja corrigido o que é inconstitucional.

Relativamente à proposta do Bloco de Esquerda, que encara a decisão do tribunal como uma oportunidade para mudar de forma profunda o Código do Trabalho, a UGT defende pragmatismo e estabilidade.

  ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

O Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro

YouTube suspende conta de Bolsonaro por desinformação

Presidente do Brasil é já reincidente na divulgação de notícias falsas sobre a pandemia (tendo já sido alertado antes), pelo que a plataforma avançou de imediato para a suspensão dos seus canais oficiais. O Youtube suspendeu …

Conselho de Ministros acabou em silêncio. Governo só fala esta terça-feira, no Parlamento

Conselho de Ministros extraordinário convocado por António Costa após ser conhecido o sentido de voto do PCP relativamente ao Orçamento do Estado para 2022 durou mais de duas horas, mas terminou sem declarações oficiais. O primeiro-ministro …

Descobertos antigos vestígios de vida envoltos em rubi com 2,5 mil milhões de anos

Um equipa de investigadores da Universidade de Waterloo descobriu resíduo de carbono que já foi uma vida antiga. Estava envolto num rubi com 2,5 mil milhões de anos. Ao analisar algumas das pedras preciosas coloridas mais …

O Sistema Solar pode estar cercado por um túnel magnético

O Sistema Solar pode estar rodeado por um túnel magnético. Cientistas sugerem que as estruturas brilhantes, em lados opostos do céu, estejam interligadas à nossa volta, a 350 anos-luz de distância. Jennifer West, investigadora do Instituto …

O volátil, inóspito e sufocante Vénus pode afinal ter oceanos de água debaixo da crosta

Devido à elevada temperatura da atmosfera de Vénus, caso a crosta se abrisse, os oceanos de água transformar-se-iam imediatamente em vapor. Conhecido por ser um planeta com uma atmosfera quente e sufocante de dióxido de carbono …

Mais de mil ovelhas e cabras tomaram conta das ruas de Madrid (por um bom motivo)

Mais de mil ovelhas e cabras encheram as ruas de Madrid, este domingo, a propósito do tradicional Festival da Transumância, que foi cancelado no ano passado devido à pandemia da covid-19. De acordo com a agência …

Crise de abastecimento provoca escassez de camisolas de Natal

Na próxima época natalícia, os Estados Unidos podem enfrentar uma escassez de Ugly Sweaters, causada pela crise mundial dos transportes marítimos. As Ugly Sweaters são as típicas camisolas de Natal - por norma, coloridas e com …

Erupção de La Palma. Cães salvos por um grupo misterioso

Um grupo misterioso - que se auto-denomina A-Team - afirma ter resgatado vários animais "presos" devido à erupção do vulcão Cumbre Vieja em La Palma, nas Canárias. De acordo com o jornal britânico The Guardian, as …

Alec Baldwin

Assistente que entregou arma a Alec Baldwin já teria tido práticas inseguras

Uma fabricante de adereços disse que, no passado, já tinha mostrado preocupação com o facto de o assistente de realização ter protagonizado situações inseguras. No fim-de-semana, um documento judicial obtido pela CNN mostrou que a arma …

Metade dos chefes de equipa da Urgência do Hospital de Braga demitiu-se em bloco

Uma dezena de chefes de equipa da Urgência do Hospital de Braga demitiu-se esta segunda-feira, em protesto contra a falta de condições de trabalho e o "desinvestimento" no Serviço Nacional de Saúde. Contactada pela agência Lusa, …