BE fará uma campanha “sem energia perdida, palavras ocas ou provocações”

Rodrigo Antunes / Lusa

A coordenadora do Bloco de Esquerda (BE), Catarina Martins

Um partido que pretende ao mesmo tempo trilhar um “caminho de alternativa” e “caminhos de convergência”. Assim definiu Catarina Martins a orientação do Bloco de Esquerda (BE) na campanha eleitoral.

Ao discursar num almoço com agentes da cultura e militantes dos concelhos de Sintra e da Amadora, realizado no domingo, no salão dos Bombeiros Voluntários de Queluz, a coordenadora bloquista fez o elogio dos “artistas” portugueses durante o período da ‘troika’, “quando tudo estava a ser atacado”, noticiou o Expresso.

“Tivémos nos palcos deste país a crise que o país vivia, e isso humanizou-nos”, disse Catarina Martins.

A ouvi-la, além de outros oradores da sessão – o ator Pedro Lamares, a jornalista Diana Andringa (mandatários distritais no Porto e em Lisboa, respetivamente) e o escritor José Luís Peixoto -, estavam as atrizes Cucha Carvalheiro e Lúcia Moniz, os músicos Fernando Tordo e Luanda Cozetti, e ainda Pilar del Rio.

Catarina Martins defendeu a necessidade de um “novo paradigma” nas políticas governamentais para o sector, insistindo na obrigatoriedade de toda a verba para a Cultura a consagrar no Orçamento do Estado (1% do PIB, no entender do BE) “ser mesmo para as artes e o património”.

Antes de ter passado em revista alguma decisões desta legislatura no sector da Cultura, que tiveram o selo do BE, Catarina Martins fixou as baias do discurso bloquista para os próximos 13 dias. “Estaremos empenhados em esclarecimento e em mobilização, sem energia perdida, sem palavras ocas, sem provocações”, indicou.

Catarina Martins afirmou igualmente o “compromisso” de um “exercício de respeito pelas pessoas”. Noutro ponto, salientou que o BE não dará gás a “distrações”.

O BE, salientou a sua coordenadora, apresenta-se a votos “como uma alternativa programática e como um [partido] fazedor de pontes, que sempre foi” e pretende “continuar” a ser.

De acordo com o Expresso, o Bloco irá recordar o papel que teve na solução governativa destes quatro anos, e mostrar-se disponível para continuar a fazer parte de uma solução: “Não estamos arrependidos do caminho que fizemos e continuamos, por isso, a fazer este caminho de alternativa e também os caminhos de convergência”, disse Catarina Martins. “O país sabe a diferença que o Bloco de Esquerda pode fazer”, acrescentou.

Na primeira iniciativa do partido no período oficial de campanha – realizada em Queluz, uma escolha intencional, para ser “fora da grande Lisboa, que tudo absorve”, como explicou Mariana Mortágua – estiveram presentes dois dos fundadores: Fernando Rosa e Francisco Louçã.

Só o primeiro falou aos jornalistas. Questionado sobre a “geringonça”, declarou que “era bom que ela se pudesse voltar a repetir”. Contudo, antes algumas questões, foi muito pedagógico a apontar a “condição importante” para que possa ocorrer novamente: “não haver uma maioria absoluta do PS”.

“Já tivemos três maiorias absolutas e a memória que delas tenho não é nada boa”, sublinhou Fernando Rosas.

TP, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Director nacional da PJ defende "recompensa garantida" para Rui Pinto

O director nacional da Polícia Judiciária (PJ), Luís Neves, realça a colaboração de Rui Pinto como tendo sido essencial para apurar a "verdade material" no caso de pirataria informática que o envolve e defende, por …

Lufthansa aceita condições do resgate. Vai ceder aviões e perder "slots"

O Governo da Alemanha e a Comissão Europeia (CE) chegaram a um acordo sobre o resgate da Lufthansa e que poderá evitar a falência da companhia aérea, anunciaram, na sexta-feira, fontes próximas das negociações e …

Chipre vai pagar despesas das férias a turistas que ficarem infetados no país

O Chipre vai pagar o custo das férias aos turistas que testaram positivo depois de viajarem para o país. Entre as despesas está o alojamento, a alimentação e os medicamentos. O Chipre comprometeu-se a pagar todas …

Tribunais vão vender máscaras a um euro. "É uma margem de lucro de 45 por cento"

Os tribunais vão ter máscaras cirúrgicas à venda para advogados e testemunhas, de modo a garantir que podem entrar nas salas de audiência a partir de quarta-feira, dia em que a Justiça retoma as sessões …

Julgamento BES. Ministério Público acredita que provas da Suíça ainda podem ser utilizadas

O jornal Público escreve este sábado que os procuradores do Ministério Público (MP) acreditam ainda ser possível utilizar os elementos solicitados nas cartas rogatórias enviadas às autoridades suíças no julgamento do caso BES. O Ministério …

Salários mais baixos podem passar a ter lay-off pago a 100%

O Governo está a estudar a possibilidade de o regime de lay-off, desenhado especificamente para o contexto da pandemia de covid-19, passar a ser pago na sua totalidade (100%) para quem tem salários mais baixos. …

Bronca na Liga. Contestação adia 5 substituições e o Marítimo recusa assinar Plano de Retoma

Após dois dias intensos de reuniões, foi aprovado o Plano de Retoma do campeonato nacional para a disputa das últimas 10 jornadas da época 2019/2020. Mas apenas 17 clubes o assinaram. O Marítimo recusou fazê-lo, …

Igreja perdeu 50 milhões de euros com a pandemia (e há dioceses em lay-off)

Ao cabo de dois meses de paragem por causa da pandemia de covid-19, as missas regressam, neste sábado, mas com regras novas para evitar a propagação do coronavírus. Uma paragem que resultou num "prejuízo" de …

Reabertura de ATL adiada para 15 de junho. Creches arrancam segunda-feira (sem apoios para os pais)

As Atividades de Tempos Livres (ATL) não integradas em estabelecimentos escolares só poderão voltar a funcionar a partir de 15 de junho, duas semanas depois daquilo que estava inicialmente previsto. O anúncio foi feito pelo primeiro-ministro, …

Governo britânico vai continuar a pagar 80% dos salários durante mais três meses

O Governo britânico vai continuar a pagar durante mais três meses 80% do salário de trabalhadores em lay-off devido à pandemia de covid-19, e reduzir gradualmente o valor até ao fim do sistema, em outubro. O …