Nova bateria para elétricos carrega em menos de 5 minutos

4

Nyobolt

A indústria dos veículos elétricos pode estar prestes a sofrer uma mudança radical graças a uma nova tecnologia da fabricante de baterias britânica Nyobolt — que promete acabar com o trauma dos longos tempos de carregamento e aproximá-los do tempo médio do abastecimento de gasolina.

A Nyobolt apresentou a sua nova bateria de iões de lítio de 35 kWh, com a qual promete fazer com que os inconvenientes dos longos períodos de carregamento das baterias passem a ser uma coisa do passado.

A primeira demonstração ao vivo mostrou que a bateria consegue carregar de 10% a 80% em pouco mais de quatro minutos e meio.

Trata-se de um salto significativo em relação aos habituais 20 minutos gastos em carregadores rápidos como o Supercharger da Tesla, e está muito próximo do tempo médio de abastecimento de gasolina.

“A nossa extensa pesquisa permitiu o desenvolvimento de uma nova tecnologia de baterias que está pronta, é escalável neste momento, e permite a eletrificação de novos produtos e serviços atualmente considerados inviáveis ou impossíveis”, afirmou Sai Shivareddy, CEO da Nyobolt, citado pelo Earth.com.

O sucesso desta inovadora tecnologia “não aconteceu da noite para o dia” — é o culminar de uma década de investigação dirigida por cientistas da Universidade de Cambridge, salienta a empresa.

O design único da bateria minimiza a geração de calor durante o carregamento, reduzindo os riscos de sobreaquecimento que poderiam levar a incêndios e explosões da bateria.

Além disso, os materiais utilizados aumentam a velocidade de transferência de eletrões, contribuindo para tempos de carregamento mais baixos. Atualmente, a Nyobolt está a colaborar com oito fabricantes de automóveis elétricos para potencialmente integrar as suas baterias em futuros carros.

Os longos tempos de carregamento têm sido um inconveniente persistente dos veículos elétricos. Para aqueles que não podem carregar os seus veículos em casa, o tempo necessário para o carregamento pode perturbar as suas rotinas diárias.

Esta inovação da Nyobolt, testada no protótipo de carro desportivo da empresa, oferece grandes perspetivas, especialmente para os condutores que dependem de carros elétricos para o seu trabalho e frotas comerciais de veículos elétricos.

Todavia, para haver um impacto significativo, o fornecimento dos carregadores ultra-rápidos tem de ser alargado.

Shivareddy, que está otimista quanto ao crescimento da disponibilidade de carregadores rápidos, tanto nos EUA como na União Europeia, prevê que estes carregadores estejam “praticamente em todo o lado” até ao final da década.

Embora promissora, a tecnologia de bateria da Nyobolt ainda não está pronta para uma utilização generalizada. Testes independentes mostraram resultados promissores, com baterias que atingiram mais de 4 mil ciclos de carregamento rápido, mantendo mais de 80% da capacidade.

No entanto, continuam a existir desafios significativos no fabrico destas baterias à escala industrial, especialmente devido à escassa disponibilidade de nióbio, um elemento crucial nas baterias da Nyobolt.

ZAP //

4 Comments

  1. Enquanto que não mudarem as leis da física, a energia continua a ser igual à potência vezes o tempo, o que quer dizer que para carregar a mesma energia (capacidade da bateria) em menos tempo, temos necessidade de potência na proporção inversa do tempo. No caso concreto, pra carregar 35kWh em 5 minutos é necessária uma potência (tomada) de 420 kW…

  2. Carregadores em todo o lado?’ A MOV…E trata de os atrasar. Faz assim com os SUCt da Tesla.
    Esperem sentados.
    Esqueceram-se da “burocracia”.!!
    Acho que este governo poderá abanar essa gentinha. vamos esperar mais um pouco.

  3. Palermices dos carros a pilhas.
    A moda das pilhas está tão brilhante que as pessoas se esquecem de olhar para as restantes tecnologias.
    Sabiam que em 2026 a Volvo vai lançar um carro a combustão de hidrogénio, certo? Não são células de hidrogénio. É combustão de hidrogénio.
    10 anos para ter uma rede de abastecimento (que só vai funcionar nas grandes cidades porque ninguém vai instalar um carregador de alta potencia no alto da Serra da Estrela), quando há tecnologias que nessa altura substituirão os fosseis sem alterarem o conceito dos motores e podendo ser aplicadas a qualquer equipamento (porque convenhamos que por mais fantásticas que as pilhas se tornem nunca vão movimentar um navio de 5000 TEUS…)
    Portanto, não é uma questão de “trolar” os eléctricos, embora fizesse sentido e até seja divertido. É uma questão de não ficar com palas nos olhos para o que a moda do Elon nos tem estado a meter na cabeça.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.