“É bastante provável que já se esteja a formar a covid-21”

Council on Foreign Relations/USA

Yanzhong Huang, especialista de Saúde Global do Conselho de Relações Externas dos EUA.

Tudo “o que não sabemos” sobre o coronavírus – e é muita coisa! – é o que mais preocupa o especialista de Saúde Global do Conselho de Relações Externas dos EUA, Yanzhong Huang, que alerta que é “bastante provável” que já se esteja a formar a versão covid-21.

Quando o mundo está a meio do combate contra a covid-19 – a doença provocada pelo coronavírus assim baptizada em referência a 2019, o ano em que surgiram os primeiros casos, na China -, o especialista de Saúde Global do Conselho de Relações Externas dos EUA está preocupado com tudo o que não sabemos sobre esta pandemia, nomeadamente as suas origens.

E se não conhecemos as origens do coronavírus, é “bastante provável” que já se esteja a formar a sua versão 2021, alerta numa entrevista ao jornal argentino La Nación.

“É importante rastrear como começou o surto”, não apenas para acabar com a actual pandemia, mas também para “prevenir que possam ocorrer novos surtos semelhantes”, alerta Yanzhong Huang.

“As vacinas poderão solucionar esta crise, mas a raiz do problema vai continuar, latente, tal como o escopo que funcionou como cadeia de transmissão”, acrescenta, frisando que só detectar a origem permitirá delinear “uma solução definitiva”.

“Se necessário, teremos que proibir o tráfico e o consumo de animais selvagens ou mesmo erradicar alguns morcegos“, destaca.

Mas, para já, “não sabemos quando terminará a pandemia”, sublinha. E “também não podemos descartar que o vírus mute e se converta num surto mais transmissível e mais letal”, nota, relembrando que “se a gripe espanhola de 1918 puder servir-nos de guia, a segunda vaga poderá ser mais devastadora”.

“E se o vírus mutar e a vacina se tornar menos eficiente?”, questiona, concluindo que a pandemia “pode tornar-se num pesadelo”.

Enquanto isso, Yanzhong Huang está preocupado com a “falta de cooperação e de colaboração internacional” perante o que é uma “pandemia global” e quando precisamos também de uma “solução global”.

Mas “cada país actua por sua conta”, refere, salientando que “está a acontecer precisamente o contrário” do que deveria ser.

“Provável Guerra Fria entre a China e os Estados Unidos”

“A pandemia torna mais provável uma Guerra Fria entre a China e os Estados Unidos”, analisa ainda, salientando que esta “não é uma boa notícia para os outros países que podem converter-se em danos colaterais dessa disputa”.

Yanzhong Huang também aborda as especulações de que a pandemia poderia “afectar Xi Jinping” ou “resultar na Chernobyl do regime” comunista chinês.

Mas considera que a forma como a China superou a covid-19 “acabou por ser uma grande conquista para Xi” que conseguiu “demonstrar a sua capacidade de governar em tempos perigosos”, reforçando a “legitimidade do Partido Comunista Chinês” perante os cidadãos.

O especialista norte-americano que nasceu na China também está preocupado com a situação em Hong Kong e com a nova Lei de Segurança Nacional que a China está a impor. “Não é um bom sinal para Taiwan”, aponta, frisando que a fórmula “um país, dois sistemas” que foi aplicada em Hong Kong foi desenhada precisamente para Taiwan.

“O que está a acontecer em Hong Kong é o que a China pensa para Taiwan“, conclui.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Curados da covid-19 continuam com sintomas meses depois de terem contraído o vírus

Um estudo da Universidade de Oxford indica que 64% dos pacientes hospitalizados com o novo coronavírus apresenta falta de ar 2 a 3 meses depois de serem infetados. E quase 40% tem sintomas de depressão. Já …

Portugal vai estar no Mundial sub-20 (sem jogar o apuramento)

Todas as fases do Europeu sub-19 foram canceladas e a seleção portuguesa foi uma das eleitas para participar no Mundial do próximo ano. Portugal já sabe que vai estar na fase final do Mundial sub-20 (se …

Novos implantes cardíacos podem salvar 10 mil vidas por ano

O chamado envelope antibiótico envolve o implante cardíaco e previne infeções no paciente. Por ano, morrem cerca de 10 mil pessoas devido a infeções geradas pelo implante. O pacemaker é um pequeno aparelho que é colocado …

Banda dá concerto com músicos e público envoltos em bolhas de plástico para evitar contágio

A banda norte-americana Flaming Lips utilizou bolhas insufláveis ​​de tamanho humano num concerto em Oklahoma, uma solução para proteger os músicos e o público do novo coronavírus, enquanto tenta encontrar uma forma segura para atuar …

EUA. Especialista diz que as próximas semanas "vão ser as mais negras de toda a pandemia"

Um especialista em doenças infecciosas disse que no caso dos Estados Unidos, as próximas seis a 12 semanas vão ser as mais negras de toda a pandemia de covid-19. Michael Osterholm, diretor do Centro de Investigação …

Chelsea inscreve... Petr Cech

Antigo guarda-redes poderá voltar aos relvados nesta época, embora seja pouco provável, para já. Petr Čech entrou em campo pela última vez em maio de 2019, há quase um ano e meio. Já tinha anunciado a …

Disparos de satélites e naves do Star Trek? Relatório revela como seria uma guerra no Espaço

A criação da Força Espacial dos Estados Unidos evocou todos os tipos de noções fantasiosas sobre o combate no Espaço. Assim, um novo relatório explica o que é física e praticamente possível quando se trata …

Japão prepara-se para lançar água tratada de Fukushima no mar

O Japão vai libertar mais de um milhão de toneladas de água tratada da usina nuclear de Fukushima no mar, numa operação que levará cerca de 30 anos para ficar concluída. Ambientalistas e pescadores locais …

Turismo de mergulho? Submarino da "frota perdida" de Hitler aguarda o seu destino no fundo do Mar Negro

Coberto por “redes fantasmas” deixadas por pescadores, os destroços de um submarino U-20 enviado para o Mar Negro pela Alemanha nazi tornou-se recentemente tema de um documentário produzido na Turquia. Localizado a uma profundidade de 20 …

Novo estudo diz que Remdesivir não tem "impacto significativo" nos doentes com covid-19

Ao contrário do que se pensava, o medicamento antiviral remdesivir não reduz as mortes entre os pacientes com covid-19, sobretudo quando comparado com o tratamento padrão, de acordo com os resultados de um estudo internacional. Em …