As baratas estão a tornar-se “quase impossíveis” de matar

alaskaent / Flickr

Blattella germanica

As baratas estão cada vez mais resistentes aos inseticidas. Um estudo recente sugere que estes animais podem desenvolver resistência dentro de uma única geração.

As baratas-germânicas (Blattella germanica), comuns nas áreas urbanas e rurais, estão a evoluir de tal forma que se estão a tornar cada vez mais resistentes a inseticidas e produtos químicos aos quais nunca foram expostas, tornando-se quase impossíveis de matar.

Num artigo científico, recentemente publicado na Scientific Reports, os cientistas concluíram que a Blattella germanica evoluiu e desenvolveu imunidade a novos venenos. Segundo os especialistas, estas pragas podem mesmo desenvolver resistência dentro de uma única geração.

Além disso, estes insetos desenvolveram resistência cruzada, o que significa que ganharam tolerância a uma substância geralmente tóxica apenas por meio de contacto com um tipo semelhante de inseticida.

“Não fazíamos ideia de que algo assim poderia acontecer tão rápido”, disse em comunicado o co-autor do estudo, Michael Scharf, do Departamento de Entomologia da Universidade Purdue, nos Estados Unidos. “Em apenas uma geração, a resistência pode aumentar quatro a seis vezes”.

“Baratas que desenvolvem resistência a múltiplas classes de inseticidas de uma só vez vão tornar o controlo das pragas quase impossível, se usarmos apenas produtos químicos”, completou ainda o especialista, citado pelo IFL Science.

Para chegar a esta conclusão, os cientistas testaram diferentes tratamentos com três inseticidas: abamectina, ácido bórico e tiametoxam. Numa primeira experiência, os investigadores intercalaram três inseticidas diferentes durante três meses. Chegado ao fim o primeiro trimestre, repetiram a ordem durante mais três meses.

Na segunda experiência, usaram dois inseticidas de classes diferentes durante seis meses e, na última experiência, escolheram minuciosamente um inseticida para o qual as baratas tinham baixa resistência inicial.

Independentemente do químico usado, os investigadores não conseguiram reduzir o tamanho da população de baratas. Aliás, no tratamento no qual usaram um único inseticida, as populações cresceram cerca de 10%, à medida que os animais começaram a desenvolver resistência.

Com dois inseticidas, as populações de baratas aumentaram, enquanto que no tratamento com três frentes os cientistas conseguiram manter o número de baratas, sempre incapazes de o reduzir.

Depois, em laboratório, a equipa responsável pela investigação confirmou as suas suspeitas: uma parte considerável das baratas e dos seus descendentes tornaram-se imunes a uma classe particular de inseticidas.

As baratas têm um ciclo reprodutivo de três meses, durante o qual podem ter até 50 descendentes. Os cálculos da equipa sugerem que se uma pequena percentagem de insetos for resistente a um inseticida, uma população pode crescer em poucos meses.

Não é por acaso que esta espécie de inseto é odiada pela maioria das pessoas. As baratas são portadoras de dezenas de patogénicos, como E. coli e salmonela, assim como alergénios, que provocam asma. Como vivem exclusivamente em ambientes humanos, correm o risco de serem vetores de doenças.

O mais recente estudo sugere, por isso, que os humanos devem ser sábios o suficiente para contornar os perigos de uma praga de baratas, combinando tratamentos químicos com armadilhas, melhorando o saneamento e não dependendo apenas de inseticidas.

“Baratas que desenvolvem resistência a múltiplas classes de inseticidas de uma só vez vão tornar o controlo de pragas quase impossível apenas com produtos químicos”, rematou Scharf.

ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

RESPONDER

Miranda do Corvo decreta três dias de luto municipal por morte de bombeiro

A Câmara de Mirando do Corvo decretou três dias de luto municipal em memória do bombeiro da corporação de voluntários da vila José Augusto Dias Fernandes, que morreu no sábado, durante o combate a um …

Bill Gates pede que medicamento para a covid-19 vá para os mais necessitados (e não para o "maior apostador")

O co-fundador da Microsoft Bill Gates pediu esta semana que os medicamentos e uma eventual vacina que possa surgir para a covid-19 sejam disponibilizados para quem mais precisa, e não para o "maior apostador". Citado pela …

Dois (ou três) jogadores do Flamengo podem chegar ao Benfica à boleia de Jesus

Os jogadores do Flamengo Gerson e Bruno Henrique podem chegar ao Benfica à boleia de Jorge Jesus, que tem sido apontado à Luz para suceder a Bruno Lage. Apesar de já se ter noticiado a …

Ensino Superior tem 2.370 vagas para alunos do profissional

O próximo ano letivo terá 2.370 vagas no Ensino Superior direcionadas para alunos do ensino profissional, avança o jornal Público este sábado, detalhando que, ao todo, 456 licenciaturas. As vagas em causa fazem parte do …

Horta Osório não exclui regresso a Portugal (e trabalhar fora da banca)

António Horta Osório, que em breve vai deixar a presidência executiva do banco britânico Lloyds, não exclui um regresso a Portugal no seu futuro profissional. “O meu futuro profissional [pós-Lloyds] está totalmente em aberto e …

Parede de estação de comboio na Polónia escondia carta escrita por trabalhadores forçados da 2ª Guerra

Uma carta escrita por dois trabalhadores forçados durante a II Guerra Mundial foi encontrada dentro de uma garrafa escondida na estação de comboios de Nowe Skalmierzyce, um cidade na Polónia. A carta foi descoberta por trabalhadores durante …

No século XVIII, um em cada cinco londrinos tinha contraído sífilis até aos seus 35 anos

Há 250 anos, pelo menos um em cada cinco londrinos tinha contraído "a varíola" (sífilis), causada pela bactéria Treponema pallidum, até aos seus 35 anos. Este estudo, com base em registos de internação, relatórios de inspeção e …

Cofre de antigo caçador de vampiros vai a leilão no Reino Unido. Está repleto de objetos

O cofre de um caçador de vampiros do século XIX vai ser leiloado em Dervyshire, no Reino Unido, informou a leiloeira Hansons. Em causa está uma caixa antiga, forrada a seda vermelha e decorada com …

Bombeiro morre no combate a um incêndio na Serra da Lousã

Um bombeiro morreu este sábado durante o combate a um incêndio na Serra da Lousã, disse à agência Lusa o presidente da Câmara da Lousã, Luís Antunes. O autarca desconhece as circunstâncias em que ocorreu a …

Cientistas descobrem os defeitos dentários que apodrecem os dentes

Os resultados deste novo estudo contribuem para o desenvolvimento de novos tratamentos para as cáries dentárias. Os investigadores capturaram o esmalte num detalhe sem precedentes. Uma equipa de investigadores está muito perto de descobrir aquilo que …