/

Bannon e outros três ex-conselheiros de Trump chamados a depor sobre a invasão ao Capitólio

Gage Skidmore / Flickr

Steve Bannon, ex-conselheiro do presidente dos Estados Unidos.

Mark Meadows, Dan Scavino, Kash Patel e Steve Bannon são os ex-conselheiros de Trump que a comité da Câmara dos Representantes quer ouvir.

O comité da Câmara dos Representantes que está a investigar a insurreição de Janeiro no Capitólio intimou na quinta-feira o chefe de gabinete da administração de Donald Trump, Mark Meadows, assim como outros conselheiros do ex-presidente, para se averiguar o envolvimento de Trump na invasão.

Os outros membros da administração de Trump que foram chamados a depor são o vice-chefe de gabinete Dan Scavino, o director da campanha Steve Bannon e o ex-chefe de gabinete interino do Secretário de Defesa Kash Patel.

As intimações marcam um passo mais agressivo na investigação desde que exigiu registos que criaram o fundamento para um inquérito a um possível envolvimento directo da Casa Branca na invasão.

“O comité seleccionado tem razões para acreditar que têm informação relevante para entender actividades importantes que levaram a e informaram os eventos no Capitólio a 6 de Janeiro. Desta forma, o comité seleccionado quer tanto documentos como o vosso testemunho sobre estes e outros assuntos que estão dentro do âmbito do inquérito”, lê-se na carta enviada aos conselheiros.

Espera-se que o comité avance com ainda mais intimações a testemunhas importantes e com uma segundo audição pública, escreve o The Guardian.

Os conselheiros chamados a depor eram alguns dos membros da administração mais próximos ao Presidente e poderão saber até que ponto Trump estava envolvido nos planos para impedir a certificação da vitória eleitoral de Joe Biden.

Mark Meadows e Dan Scavino estavam com Trump a 6 de Janeiro, tendo o primeiro acompanhado o então chefe de Estado de volta para a Casa Branca depois do comício onde Trump falou sobre fraude eleitoral aos seus apoiantes.

Já Steve Bannon esteve por trás da estratégia de subversão da legitimidade dos resultados da eleição, tendo admitido ainda esta semana que disse a Trump que estava na hora de “matar a presidência de Biden no berço“.

“42% do povo americano pensa que Biden não ganhou a presidência legitimamente. Basta olhar para o que este regime ilegítimo está a fazer. Ele matou-se”, afirmou Bannon.

Já Patel quase foi nomeado director da CIA nas semanas finais da presidência, pode também ter informações importantes sobre o que passou no Capitólio.

Não há garantias de que os conselheiros respondam às intimações e Trump já sugeriu que vai exigir que a administração de Biden invoque os privilégios executivos sobre os registos da anterior administração exigidos pelo comité para tentar bloquear os depoimentos.

No entanto, é pouco provável que a Casa Branca ceda à pressão de Trump já que anteriormente permitiu que o membros do Departamento de Justiça da anterior administração testemunhassem no Congresso e a protecção não se estende a interesses privados.

  Adriana Peixoto, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE