Banir os sacos de plástico pode ser problemático (e há três razões que o explicam)

David Sussman elencou três argumentos que sustentam a teoria de que banir os sacos de plástico não é assim tão benéfico para o ambiente.

Em meados de 2018, mais de 127 países limitaram o uso de sacos de plástico. Jacarta, capital da Indonésia, é o segundo maior poluidor de resíduos plásticos nos oceanos, e o Japão, que ocupa o segundo lugar em volume de embalagens plásticas de uso único por pessoa, foi o último a aderir.

No dia 1 de julho, ambos proibiram os sacos de plástico gratuitos nos supermercados.

As políticas recentes em Jacarta (proibição total) e no Japão (sobretaxa) são medidas importantes que deveriam diminuir o número de sacos plásticos que acabam em aterros, esgotos ou oceanos. Mas, apesar das boas intenções destas regras, a proibição “é problemática por alguns motivos”.

David Sussman, da Universidade Tufts, escreveu um artigo no The Conversation no qual justifica esta afirmação com três argumentos.

No primeiro, o professor realça que os sacos não são a maior fonte de poluição plástica. Pesquisas recentes demonstraram que os sacos representam apenas uma fração dos detritos marinhos nas águas da Grande Jacarta e que as embalagens e sacos de plástico constituem pouco mais de 13,5% de todos os objetos encontrados. No Japão, os sacos representam apenas cerca de 2% de todo o lixo plástico produzido no país.

Em segundo lugar, Sussman adverte que os consumidores podem trocar os sacos de plástico por alternativas ainda mais prejudiciais para o ambiente. Os sacos de papel, por exemplo, podem exigir 400% mais energia para serem produzidos, sem falar no abate de árvores e no uso de produtos químicos nocivos na sua produção.

O professor sublinha ainda que os sacos biodegradáveis podem ser “a pior opção” em termos de impacto no clima, danos no solo, poluição da água e emissões tóxicas.

Por último, David Sussman escreve que os consumidores, que se sentem bem por não usar sacos de plástico, podem causar mais danos de outras formas: “As pessoas podem sentir que, uma vez que reciclam, não precisam de considerar a carne extra que comeram na semana passada. Ou se caminharam a pé até a loja, em vez de usarem o carro, podem ‘merecer’ comprar uma peça extra de roupa.”

Cientistas na área da psicologia já observaram que as pessoas prejudicam o ambiente quando tentam salvar o planeta, ao comprar mais produtos.

Sussman termina o artigo afirmando que a maior vantagem destas restrições e proibições reside na mudança das perspetivas ambientais.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Os sacos de plástico não serão o pior problema, o que é grave é a falta de civismo das pessoas em atirar tudo fora e daí resulta numa lixeira completa, mas quanto a educação isto anda tudo pela hora da morte por uma grande parte do mundo.

  2. Na minha opinião, o problema dos plásticos à solta na natureza é devido à falta de higiene principalmente dos serviços estatais, que é a quem compete tratar dos lixos.
    Mas os governantes optaram, com a anuência do povo, por taxar o uso de plásticos arrecadando assim uma verba fabulosa e não atingindo, minimamente, o fim a que se propuseram, o de acabar com o lixo plástico na natureza.
    É assim o mundo em que vivemos, mais uma taxinha dá sempre jeito e o povo é tolo porque, além de aceitar, ainda incentiva estas práticas porque vão prejudicar o seu semelhante, não vendo o logro em que estão a caír.
    É que o saco de papel, para certas utilizações, usa plástico para ser impermeabilizado, não se acabando assim a emissão de micro-plásticos, ainda se agrava.

  3. A frase da qual esperava uma justificação e não obtive: “O professor sublinha ainda que os sacos biodegradáveis podem ser “a pior opção” em termos de impacto no clima, danos no solo, poluição da água e emissões tóxicas”. Além disso, um aspeto importante relacionado com os sacos de plástico, é a quantidade de animais que matam, coisa que os de papel não fazem. Acontece que os piores são os finos e transparentes que continuam a ser oferecidos nos supermercados. Outra coisa que o professor não refere é que a taxação dos sacos de compras de plástico levou a um aumento da utilização de sacos reutilizáveis. Este tipo de estudos (ou apenas uns raciocínios incompletos de um sujeito que consegue publicá-los, não se sabe com que apoios) acaba por ter um efeito perverso.

  4. Assunto: Sacos de plástico. Enredo: sacos de plástico. Piada: fotografia de um aglomerado de garrafas PET devidamente espalmadas!

RESPONDER

Descobertos os restos de nove Neandertais numa gruta em Itália

Os restos de nove Neandertais foram descobertos na Gruta de Guattari, em San Felice Circeo, na costa entre Roma e Nápoles, onde já tinham sido encontrados vestígios da presença Neandertal, anunciou este sábado o ministro …

Leis draconianas na Malásia. Fahmi Reza foi detido por insultar a rainha com playlist no Spotify

A sátira desempenha um importante papel na sociedade. Na Malásia, as leis draconianas estão a reacender o debate em torno da liberdade de expressão. Fahmi Reza, um artista gráfico e ativista social malaio, foi detido no …

António Barreto

Portugal vai ter "um problema de cor de pele" (por muitos anos e com conflitos)

O sociólogo António Barreto considera que Portugal vai "ter um problema" de "cor de pele" e "por muitos anos". Uma ideia defendida numa entrevista onde se reporta para "o que se passa em toda a …

Um laboratório vivo. Há residentes "superimunes" à covid-19 numa pequena cidade italiana

A pequena cidade de Vo, no norte de Itália, tornou-se um dos primeiros locais com um surto de covid-19 da Europa em fevereiro de 2020. Agora, os cientistas descobriram que a cidade abriga um número …

Portugal com duas mortes e 406 novos casos nas últimas 24 horas

Portugal registou hoje duas mortes atribuídas à covid-19, 406 novos casos de infeção pelo coronavírus e nova descida no número de internamentos em enfermaria e em cuidados intensivos, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo …

Portugal "tem nível de rendimentos baixíssimo". Muitos municípios que perdem população desde o final II Guerra

Portugal tem municípios que perdem população desde o final da II Guerra Mundial e dificilmente fenómenos como o teletrabalho irão alterar esta paisagem, na opinião do geógrafo Álvaro Domingues, da Universidade do Porto. Em entrevista à …

Gestora em teletrabalho esqueceu-se da filha no carro. Bebé encontrada sem vida sete horas depois

Maria Pilar, uma bebé de dois anos, morreu esta sexta-feira, depois de ter ficado esquecida dentro do carro durante cerca de sete horas. A menina de dois anos esteve cerca de sete horas dentro do carro, …

Costa, Von der Leyen na Cimeira Social no Porto

Cimeira Social cheia de boas intenções deixa factura de um milhão de euros (e "erro" na comida da PSP)

Os chefes de Estado e de Governo da União Europeia comprometeram-se, na Cimeira Social do Porto, a "trabalhar em prol de uma Europa social". Mas o evento deixa uma polémica com as refeições distribuídas aos …

Alfredo Casimiro contrata Banco Nomura para vender 50,1% da Groundforce

O principal acionista da Groundforce anunciou este sábado, em comunicado, ter contratado o banco Nomura para assessorar a venda da participação de 50,1% da Pasogal na empresa de handling Groundforce, e pediu "especial atenção" ao …

Transferência para o Wolves. Diogo Jota recorda palavras de Jorge Mendes: "Vês como eu tinha razão?"

Diogo Jota, atual avançado do Liverpool, recuou no tempo e enfatizou a importância de Jorge Mendes na progressão da sua carreira. O avançado internacional português, que se transferiu esta temporada para o Liverpool, trocou o Atlético …