O banco público “não serve para ser barato, serve para ser sustentável”

António Cotrim / Lusa

Paulo Macedo, presidente da Comissão Executiva da Caixa Geral de Depósitos

Paulo Macedo recusa veementemente que tenha havido um “aumento brutal” das comissões bancárias e classifica de “desinformação” as notícias que avançam um crescimento de 73% destas despesas.

Não houve qualquer aumento brutal das comissões cobradas pela Caixa Geral de Depósito (CGD)”, disse o presidente executivo da CGD em declarações à Lusa, em Madrid, à margem da conferência de imprensa que assinalou a conclusão da venda da filial espanhola do banco português, o Banco Caixa Geral (BCG), ao Abanca.

Paulo Macedo explicou que o aumento das comissões foi de 2,3% em 2018 e será na ordem dos 3%-4% em 2019 e em 2020, sendo “totalmente desinformação os aumentos de 73%” noticiados.

“As comissões que a Caixa cobra estão abaixo das comissões que o banco cobrava em 2015”, assegurou, ao mesmo tempo que salientou que se deve ver a questão num contexto de custos financeiros mais baixos para os particulares (famílias) e para as empresas.

Paulo Macedo recordou a existência na CGD de “mais de 1,5 milhões de clientes com contas Caixa que não pagam” comissões, assim como acontece com outros bancos portugueses, e “mais de um milhão de contas, designadamente de reformados e de jovens até aos 26 anos, isentas”. “Não há qualquer aumento, há sim sempre uma confusão sobre o que o banco público é e devia ser”, concluiu o responsável executivo máximo da CGD.

Paulo Macedo insistiu que “o banco público não serve para ser barato, serve para ser inclusivo, mas serve, sobretudo, para ser sustentável”, razão pela qual esteve em Madrid.

A CGD formalizou, na capital espanhola, a venda definitiva de ações representativas de 99,79% do capital do BCG, sociedade de direito espanhol, ao grupo bancário espanhol Abanca, por 384 milhões de euros. “Esta operação em Espanha aumenta os capitais próprios de base da Caixa em 110 pontos [rácio CET 1], o que faz com que seja um banco mais forte, que possa investir mais em tecnologia, possa servir melhor os seus clientes e, sobretudo, não voltar a pedir dinheiro ao Estado”, disse Paulo Macedo.

O presidente executivo sublinhou que o facto de a CGD ser um banco público lhe vai permitir continuar a ser um banco português: “Se a Caixa não fosse pública, já não seria portuguesa, com a questão da dívida”, disse.

Paulo Macedo realçou algumas razões que distinguem a CGD como entidade do setor público: banco de proximidade, a decisão de conceder crédito está em Portugal, e o facto de ter um banco de investimentos para apoiar a reestruturação das empresas portuguesas e o financiamento e a colocação de dívida no mercado secundário.

“Há muitas coisas que distinguem a Caixa [como entidade da esfera pública] e há muitas que não”, concluiu Macedo, dando como exemplos deste último caso o facto de os rácios de capitais serem “iguais” aos privados, assim como a regulação ou as regras das autoridades de concorrência.

Vários órgãos de comunicação social deram conta nos últimos dias de que a CGD aumentou, em média, 73% os custos para os clientes durante um período temporal que coincide com a tomada de posse de Paulo Macedo como presidente do banco público, há três anos.

No domingo, o Jornal de Notícias avançou que “a nova gestão da Caixa aumentou custos para clientes em 73%”, referindo uma recolha de dados feita pela Deco segundo a qual, “olhando para a atualização anunciada para janeiro de 2020 e somando todos os aumentos no preçário – não esquecendo aqueles produtos ou serviços que eram gratuitos e começaram a ser cobrados -, há um agravamento de 133,80 euros no espaço de 3 anos”.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. Ah…. serve para ser sustentável….. pois, mas quem paga é o cliente….
    Comecem por reduzir os chorudos ordenados dos “mega” gestores, deixem-se de luxos e mordomias, ponham-se a trabalhar como se deve e, então sim, veremos que pode ser barato *e* sustentável.
    (mas isso é muito sacrifício para quem quer ganhar um pote e não fazer a ponta de um c**….)

  2. … e ainda dizem que este Paulo é um grande gestor, só não vejo o porquê e em quê.
    Será que o seu salario XURUDO é valido por fazer um grande feito na CGD, FECHAR BALCÕES, DESPEDIR FUNCIONARIOS E AUMENTAR BRUTALMENTE AS COMISSÕES BANCARIAS, grande gestor não hajam duvidas, é Portugal no seu melhor dai o voto.

    • https://pt.wikipedia.org/wiki/Princ%C3%ADpio_de_Peter
      Princípio de Peter = Segundo o autor, nas organizações burocráticas, hierarquicamente estruturadas, os funcionários tendem a ser promovidos até ao seu “nível de incompetência”.

      No seu trabalho, Peter enunciou de forma humorada os seguintes corolários de sua lei[5]:

      A nata sobe até azedar.
      Para qualquer trabalho no mundo existe alguém, em algum lugar, que não o pode fazer. Pela força da promoção, esta pessoa conseguirá esse posto.
      Uma viagem de mil quilômetros termina com um único passo.
      Todo trabalho útil será feito por aqueles que ainda não alcançaram seu nível de incompetência.

  3. Se é para ser um banco igual aos outros então não há necessidade de haver banco setor publico/estatal. O melhor será privatizar. A CGD foi criada pelos fascistas para servir melhor o Povo, c/ os ditos democráticos é mais um para LIXAR o Povo.

RESPONDER

"Solução razoável". Marcelo promulga já aumento do salário mínimo

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, vai promulgar já esta sexta-feira o diploma que estabelece um aumento do salário mínimo nacional para 635 euros em 2020, que considera "uma solução razoável, a pensar …

Filósofo francês diz aos homens para violarem mulheres. "Eu violo a minha todas as noites"

O filósofo e escritor francês Alain Finkielkraut afimrou na quarta-feira, durante um programa da TF1 sobre casos de violação divulgados pelos media, que diz aos homens para violarem as suas mulheres. "Eu violo a minha …

Ex-administrador da TAP Luís Rodrigues é o novo presidente da SATA

O antigo administrador da TAP Luís Rodrigues é o novo presidente da transportadora aérea açoriana SATA, informou hoje o executivo regional. "O presidente do Governo [Regional], Vasco Cordeiro, comunicou à Assembleia Legislativa o nome de Luís …

Mãe que deixou recém-nascido no caixote do lixo não quis abortar

A jovem cabo-verdiana, em prisão preventiva por suspeitas de ter abandonado o seu filho recém-nascido no lixo, teve a oportunidade de abortar, mas não quis. O Supremo Tribunal de Justiça rejeitou, esta quinta-feira, o pedido de …

Face Oculta. MP pede 12 anos e 10 meses para Manuel Godinho

O Ministério Público (MP) defendeu esta sexta-feira a aplicação de uma pena única de 12 anos e 10 meses de prisão para o sucateiro Manuel Godinho, principal arguido do processo Face Oculta, durante a audiência …

Maioria acredita que Governo vai durar quatro anos

Uma sondagem da Aximage revela que a maioria das pessoas entrevistadas acredita que António Costa vai concluir a sua legislatura, mesmo com um Governo que consideram de "estrutura exagerada". Uma sondagem da Aximage para o Jornal …

Tecnologia usada em Marte ajuda a detectar fugas de água em Gaia

Um sistema "pioneiro em Portugal" que recorre a tecnologia usada em Marte, para detectar água, está a ser utilizada pela empresa municipal Águas de Gaia, em Vila Nova de Gaia, para detectar fugas no sistema …

É segredo de Estado e custou mais de 100 milhões. "Máquina do Fisco" analisa 600 mil facturas por hora

O sistema informático que sustenta a "máquina do Fisco" já custou ao Estado mais de 100 milhões de euros e é tão secreto que nem a localização física dos servidores que o sustentam é conhecida. …

Empresário alemão investigado por suspeitas de orgias com menores em Cascais

O empresário alemão Matthias Schmelz, representante em Portugal dos aspiradores da marca Rainbow, está a ser investigado por suspeitas de lenocínio e pagar por orgias com menores na sua casa na zona de Cascais, avançou …

A nova fábrica da Tesla não vai ser no Reino Unido por causa do Brexit

O presidente executivo da Tesla admitiu que as incertezas à volta do Brexit tiveram peso na decisão de abrir a primeira fábrica da empresa na Europa antes em Berlim. A Tesla anunciou, esta terça-feira, que vai …