Baleias usam “redes de bolhas” para caçar as suas presas (e um vídeo raro prova-o)

Alguns cetáceos, como as baleias jubarte, usam “redes” para caçar as suas presas. Os animais mergulham e nadam em forma de anel em redor das suas presas, soprando bolhas à medida que avançam.

O anel ascendente forma uma coluna que captura os peixes, permitindo que outras baleias do grupo nadem por baixo, com as bocas abertas, através do cilindro da bolha para se deleitar.

Além das imagens dos drones que mostram uma impressionante vista aérea de um par de baleias jubarte a criar as redes de bolhas, biólogos marinhos da Universidade do Hawai, em Mānoa, prenderam câmaras e sensores nas baleias com recurso a ventosas para recolher uma grande quantidade de dados sobre o comportamento dos animais.

As baleias jubarte migratórias visitam o Alasca para se alimentar durante o verão, antes de voltar para as águas mais quentes do Hawai durante o inverno, onde se reproduzem e criam as suas criar

Durante esse período de reprodução, as baleias não comem, por isso precisam de armazenar enormes reservas de krill – conjunto de espécies de animais invertebrados semelhantes ao camarão – do Alasca para passar por esse período de alto custo energético.

Para descobrir a forma como as baleias usam essa técnica de caça para comer o suficiente, os investigadores equiparam-nas com câmaras e acelerómetros e gravaram vídeos de drones que os acompanhavam.

O que é fascinante sobre a alimentação com rede de bolhas é que, de acordo com o ScienceAlert, parece ser um comportamento aprendido. Nem todas as baleias jubarte caçam dessa maneira e as que o fazem podem ter técnicas variadas. Também é cooperativo, sendo que as baleias trabalham juntas para garantir que todas sejam alimentadas.

“As filmagens são bastante inovadoras”, disse Bejder, em comunicado. “Estamos a observar como estes animais estão a manipular as suas presas e a preparar a presa para captura. Isso permite obter novas ideias que realmente não tínhamos antes”.

As baleias de Bryde (Balaenoptera edeni) também se alimentam dessa maneira e os golfinhos (Tursiops) na costa da Flórida usam uma técnica de caça cooperativa semelhante chamada alimentação por anéis de lama, onde agitam um anel de sedimentos do chão de águas rasas para capturar peixes de cardume.

O número de baleias jubarte aumentou após a proibição da caça comercial de baleias em 1985 e o animal já não é considerado ameaçado. Porém, nos últimos cinco anos, houve um declínio substancial nas observações de baleias jubarte.

Esta investigação sobre técnicas de alimentação faz parte de uma tentativa de descobrir por que isso pode ocorrer, com possíveis causas, incluindo mudanças nas populações de alimentos, impactos antropogénicos no seu habitat e degradação climática.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

Responder a MM Cancelar resposta

Cinco antepassados de crocodilos viveram há 150 milhões de anos na Lourinhã

Pelo menos cinco crocodilomorfos, antepassados dos crocodilos, viveram na região da Lourinhã há 150 milhões de anos, durante o período do Jurássico. Num artigo publicado na Zoological Journal of the Linnean Society, os paleontólogos Alexandre Guillaume, …

A radiação de Chernobyl está a deixar as vespas esfomeadas (e isso é má notícia)

A Zona de Exclusão de Chernobyl é a área em torno da cidade ucraniana de Pripyat, onde a Central Nuclear de Chernobyl entrou em colapso em 1986. Apesar de não haver humanos na região, e …

Beethoven deixou a 10.ª sinfonia inacabada (e a IA vai completá-la)

Um dos maiores dilemas da história da música é a obra inacabada de Ludwig van Beethoven (1770-1827), a "10ª sinfonia", com muitos músicos a esforçar-se para finalizá-la, utilizando alguns dos fragmentos disponíveis, mas sem sucesso. Desta …

Orcas bebé têm maior probabilidade de sobreviver se viverem com a avó

Crias de orca que vivam com a avó têm uma maior probabilidade de sobreviver quando comparadas às outras orcas. A experiência destas espécimes mais velhas é essencial para o grupo. Tal como nos humanos, as avós …

A "capital mundial das pessoas feias" mora na Itália

Piobbico, na Itália, é uma cidade medieval repleta de grandes edifícios de pedra cercados por florestas exuberantes. No entanto, a cidade é conhecida pela feiura dos seus habitantes. Esta cidade, com cerca de 2.000 habitantes, alberga …

Jovem norte-americano despistou-se e caiu ao rio. Siri chamou os bombeiros

Um jovem norte-americano estava a caminho da universidade quando perdeu o controlo do carro, que derrapou sobre gelo, e foi parar ao rio Winnebago. Como não conseguiu encontrar o seu telemóvel, recorreu à Siri para …

Basta uma máscara impressa para enganar os sistemas de reconhecimento facial

Especialistas da empresa de inteligência artificial Kneron testaram sistemas em três continentes e vários falharam. O reconhecimento facial é, cada vez mais, um método de controlo e de segurança encarado como credível e, inclusivamente, usado …

Pandit olha para as vacas como família e quer produzir "leite ético" para vegans

Um agricultor nos Estados Unidos quer produzir "leite ético" para vegans, mantendo como prioridade o bem-estar e a saúde das vacas. Ultimamente, o consumo de leite tem sido posto cada vez mais em causa. Não só …

Jogadores do Arsenal doam um dia de salário para ações solidárias

Os futebolistas e a equipa técnica do Arsenal vão doar um dia de salário para ações solidárias de Natal. Os elementos técnicos também entraram na iniciativa, que prevê, ainda, a doação da receita do próximo …

Turismo, indústria e energia fazem do Norte região que mais cresceu em 2018

O Norte foi a região portuguesa que mais cresceu em 2018, com um aumento do Produto Interno Bruto (PIB) de 2,9%, impulsionado pelo turismo, indústria e energia, segundo dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística …