Há uma bactéria em Yellowstone que “come” poluição e gera energia

Jon Sullivan / Wikimedia

A lagoa de Morning Glory, no Parque Nacional de Yellowstone

Uma bactéria incomum, que “come” poluição e é capaz de produzir energia sustentável, foi capturada pela primeira vez durante uma expedição às águas termais do Parque Nacional de Yellowstone, nos Estados Unidos.

Uma equipa de cientistas liderada por Abdelrhman Mohamed, da Universidade Estadual de Washington, nos Estados Unidos, descobriu que nas piscinas de água quente do Parque Nacional de Yellowstone, com temperaturas entre 43 e 93 graus Celsius, habita um organismo pouco conhecido.

Durante uma pesquisa de campo, realizada em agosto passado, os cientistas inseriram elétrodos na borda da água destes poços com o objetivo de os analisar 32 dias depois. O resultado do estudo foi publicado recentemente no Journal of Power Sources.

um mês depois, a equipa voltou às fontes termais para recolher os elétrodos submersos e foi surpreendida: encontraram bactérias amantes de calor que “respiram” eletricidade através da superfície de carbono sólido dos elétrodos.

“Foi a primeira vez que este tipo de bactérias foi encontrado num ambiente extremo como uma fonte termal alcalina”, disse Mohamed. Mas estas bactérias não são somente interessantes do ponto de vista académico: podem também ajudar a resolver alguns dos maiores desafios que a humanidade enfrenta atualmente.

De acordo com os cientistas, esta incrível bactéria pode contribuir para resolver problemas como a poluição ambiental ou ajudar no desenvolvimento de energia sustentável. Estes organismos têm a capacidade de converter poluentes tóxicos em substâncias menos nocivas, gerando eletricidade durante o processo.

“Uma vez que estas bactérias passam os seus eletrões para metais ou outras superfícies sólidas, elas conseguem produzir um fluxo de eletricidade que pode ser usado para aplicações de baixa potência”, explicou o cientista Haluk Beyenal.

A maioria dos organismos vivos usa os eletrões numa cadeia complexa de reações químicas para alimentar os seus corpos. No fundo, todo o organismo precisa de uma fonte de eletrões e de um lugar para os “despejar”.

Enquanto que os seres humanos encontram eletrões nos açúcares dos alimentos que comem e e os transmitem para o oxigénio, vários tipos de bactérias descarregam os seus eletrões para metais ou minerais externos.

PARTILHAR

RESPONDER

EUA. Mulher é detida após tentar construir uma bomba numa loja da Walmart

Uma norte-americana foi detida numa loja da Walmart, na Florida, Estados Unidos (EUA), após tentar construir uma bomba dentro do estabelecimento comercial. A mulher, que tinha uma criança consigo, foi identificada pelo segurança quando andava sem …

Simeone reitera confiança em João Félix. "Acreditamos totalmente nele"

O técnico do Atlético de Madrid, Diego Simeone, voltou a falar de João Félix esta sexta-feira, reiterando toda a confiança no avançado de 20 anos. "A Supertaça foi mais um passo de experiência para um rapaz …

Ensino Superior com mais concursos para professores em 2019

As instituições de Ensino Superior abriram, em 2019, mais 948 concursos para a carreira docente do que em 2018, anunciou, esta quinta-feira, o Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior. De acordo com uma nota do …

Paulo Gonçalves. Seguradoras atrasam autópsia e trasladação do corpo para Portugal

Paulo Gonçalves faleceu no domingo, aos 40 anos, na sequência de uma queda sofrida ao quilómetro 273 da sétima de 12 etapas do Rali Dakar. Exigências das seguradoras quanto a despistes toxicológicos ao corpo de Paulo …

Estivadores vão fazer greve em Setúbal e ameaçam fazer o mesmo em Lisboa

O Sindicato dos Estivadores e Atividade Logística (SEAL) revelou esta sexta-feira que vai entregar já na segunda-feira um pré-aviso de greve no Porto de Setúbal e ameaça fazer o mesmo no Porto de Lisboa. “Os trabalhadores …

Segundo maior diamante transforma-se em joias Louis Vuitton

Depois de cortado e polido, o segundo maior diamante da história será transformado numa coleção de joias da Louis Vuitton. A Lucara Diamond encontrou o diamante Sewelo, de 1.758 quilates, na sua mina do Botswana, no …

Filho do presidente da Câmara de Pedrógão Grande "sem memória" no caso da reconstrução de casas

O adjunto do presidente da Câmara de Pedrógão Grande, Telmo Alves, que também é filho do autarca, disse em Tribunal que desconhece o processo de reconstrução das casas ardidas no incêndio no concelho, em 2017, …

Joacine não está inscrita no congresso do Livre

De acordo com o semanário Expresso, a deputada única do Livre não se inscreveu na reunião magna do partido, que se realiza este fim de semana, em Lisboa. A deputada do Livre, Joacine Katar Moreira, e …

"Há condições para avançar" com o alargamento da ADSE

"Há condições para avançar" com o alargamento da ADSE aos contratos individuais do Estado e aos precários regularizados no PREVPAP, disse Alexandra Leitão, esta sexta-feira, no Parlamento. A ministra da Modernização do Estado e da Administração …

Países "lutam" por fundos europeus para neutralizar emissões de carbono

Um novo fundo de 100 mil milhões destinado a neutralizar as emissões de dióxido de carbono na Europa até 2050 está em disputa por vários países. A Comissão Europeia quer implementar um fundo de 100 mil …