Humanos com corações de porco? Experiência com babuínos traz nova esperança

Dan Shouse / Flickr

Há uma nova esperança para transplantes cardíacos de órgãos de porcos em seres humanos. Uma investigação acaba de provar que é possível transplantar, de forma eficaz, corações de porcos para babuínos.

Uma equipa de cientistas da Universidade de Munique, na Alemanha, conseguiu que dois babuínos sobrevivessem três meses com o coração transplantado de um porco no peito. Outros dois chegaram aos seis meses de vida.

Os resultados, agora publicados na revista Nature, mostram que este poderá ser um modelo eficaz para converter, no futuro, os porcos numa fonte para transplantes cardíacos em humanos, dado que mais do que triplica o recorde anterior de 57 dias de sobrevivência.

Se, por um lado, esta experiência se traduz numa esperança para a escassez de órgãos; por outro, é extremamente difícil fazer funcionar um órgão de uma espécie noutra.

Por este motivo, explica o Diário de Notícias, a equipa tomou várias medidas para garantir o sucesso da experiência. Em primeiro lugar, recorreram a porcos geneticamente modificados para garantir semelhanças entre os seus corações e os dos babuínos, para que não fossem rejeitados pelo sistema imunitário.

Além disso, os cientistas tiveram de suprimir as defesas dos primatas para assegurar uma boa recetividade do coração e para garantir que não se iriam registar quaisquer infeções perigosas.

Foram ainda tomados alguns passos fundamentais para o sucesso dos transplantes e que estão relacionados com a manutenção da integridade do órgão. Desta forma, em vez de conservarem os órgãos no frio, bombearam uma solução refrigerada com sangue oxigenado, nutrientes e hormonas.

Na primeira fase da experiência, os cientistas concluíram que os corações de porcos cresciam dentro do peito dos babuínos até lhes causar a morte. Para evitar a hipertrofia, reduziram a pressão sanguínea dos babuínos até alcançarem um nível estável e fizeram-lhes tratamentos farmacológicos e hormonais.

Dos 16 babuínos que participaram nesta experiência, dois viveram saudáveis durante 90 dias (o período limite da experiência) e os outros dois foram mantidos vivos por seis meses, antes de serem submetidos a eutanásia.

Estas técnicas usadas pelos cientistas da Universidade de Munique poderão um dia vir a ser aplicadas em transplantes em seres humanos, colmatando a escassez de dadores no futuro.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

A maior "cidade-fantasma" da China voltou a florescer (graças à educação)

Kangbashi, na Mongólia Interior, é considerada há muitos anos a maior "cidade-fantasma" da China. Agora, tem muito a agradecer a uma jogada inesperada, mas muito eficaz: o setor da Educação. Há alguns anos que Kangbashi, uma …

Carro da Tesla ajuda o FBI a capturar homem suspeito de atear fogo em igreja

As câmaras de um Tesla ajudaram as autoridades a prender um homem suspeito de atear fogo numa igreja na cidade de Springfield, no estado de Massachusetts. A congregação foi atacada mais de uma vez em …

Destemida e aventureira. Com apenas 18 anos, Simone Segouin ajudou a França a derrotar os nazis

Quando tinha apenas 18 anos, Simone Segouin juntou-se à Resistência Francesa para capturar as tropas nazis, sabotar os planos alemães e lutar contra o fascismo no seu país. Apesar de ter abandonado a escola bastante cedo, …

Orgulho e ciúmes. Corrida armamentista entre Coreias coloca ambiente de paz em risco

A relação entre a Coreia do Norte e a Coreia do Sul é conhecida por ser bastante conturbada, sendo que nos últimos anos já ocorreram alguns incidentes entre os países. Agora, as duas nações peninsulares …

"Estória mal contada": a saída de João Marques do Famalicão

Perto do final do campeonato feminino de futebol, o treinador das candidatas ao título abandona o emblema minhoto. Provavelmente porque vai liderar outra equipa minhota. Adeptos não gostaram. A Liga BPI, a primeira divisão nacional feminina …

Livre cede lugares à IL e ao Volt. Vasco Lourenço fala em "chicana política"

O Livre cedeu, esta quarta-feira, quatro lugares da sua comitiva no desfile que assinala o 25 de Abril à Iniciativa Liberal e ao Volt Portugal, depois da comissão promotora os ter informado de que não …

Pena de morte diminuiu. Execuções globais atingem o número mais baixo numa década

Globalmente, foram executadas 483 pessoas em 2020, o número mais baixo registado pela Amnistia Internacional (AI) numa década, marcando uma redução de 26% em relação a 2019 e 70% comparativamente a 2015. Segundo um artigo da …

Putin avisa que quem ameaçar a Rússia "se irá arrepender como nunca"

O presidente Vladimir Putin emitiu um alerta durante o seu discurso anual ao Governo. O líder frisou que qualquer membro da comunidade internacional que ameace a Rússia "se irá arrepender como nunca se arrependeu antes". O …

Nove anos depois, Bruxelas deixa de monitorizar atividade da CGD

A Direção-Geral da Concorrência da Comissão Europeia (DG Comp) encerrou o processo de monitorização do plano estratégico da Caixa Geral de Depósitos (CGD). "A Caixa Geral de Depósitos, S.A. (CGD) informa que recebeu comunicação da Direção …

Se não fosse o vídeo de Darnella Frazier, "Derek Chauvin ainda seria polícia"

Darnella Frazier, na altura com 17 anos, foi a responsável pelo vídeo que mostra o ex-agente da polícia Derek Chauvin a prender o afro-americano George Floyd, que acabou por não resistir. Esta terça-feira foi um dia …