Aviões russos e sírios usam armas incendiárias contra civis

Sergey Krivchikov / Wikimedia

Um avião bombardeiro Tupolev Tu-95 'Bear' da Força Aérea da Rússia

Um avião bombardeiro Tupolev Tu-95 ‘Bear’ da Força Aérea da Rússia

Aviões sírios e russos têm usado repetidamente armas incendiárias em ataques “vergonhosos” contra civis no norte da Síria, denunciou esta terça-feira a organização de defesa dos direitos humanos Human Rights Watch.

A HRW diz ter documentado o uso de armas incendiárias pelo menos 18 vezes desde junho.

“Há provas convincentes” de que a Rússia está a apoiar os planos do Governo sírio nesses ataques, referiu a ONG, a partir de Nova Iorque.

“A Síria e a Rússia devem parar imediatamente de atacar áreas civis com armas incendiárias“, afirmou um dos diretores da organização, Steve Goose.

“Os ataques vergonhosos com armas incendiárias na Síria mostram um grande fracasso em aderir ao direito internacional que restringe as armas incendiárias”, disse.

Quando são lançadas dos aviões, as bombas incendiárias deixam rastos distintos de explosivos no céu e desencadeiam pequenos e intensos incêndios nos locais onde caem.

Este tipo de armamento foi amplamente utilizado durante a guerra do Vietname e foi proibido pela Convenção das Nações Unidas sobre Armas Convencionais.

A HRW documentou ataques com tais armas desde o início de junho, incluindo dois casos a 07 de agosto, que atingiram partes controlada pela oposição nas cidades de Aleppo e Idleb.

O Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH) declarou também ter documentado o uso de termite – um tipo de substância incendiária – por aviões russos em Idleb, Alepo, Deir Ezzor e Raqa.

No início deste mês, ativistas em Daraya, uma cidade sitiada pelos rebeldes perto de Damasco, acusou o regime da utilização proibida de ‘napalm’ (composto químico incendiário) contra os moradores.

Grupos opostos na guerra na Síria trocam regularmente acusações de ataques contra civis e uso de armas não-convencionais, incluindo gases de cloro e mostarda.

Numa carta à HRW em novembro, a Rússia reconheceu que o “uso impróprio” de armas incendiárias tinha resultado em “danos humanitários significativos” na Síria.

Desde 2012, a HRW documentou o uso de quatro diferentes armas incendiárias na Síria, todas fabricadas pela antiga União Soviética.

Mais de 290.000 pessoas foram mortas e milhões forçadas a abandonar suas casas desde que o conflito da Síria, que eclodiu em março de 2011.

/Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Ora, isso quando é usado pela intervenção do governo da Russia ou do outro criminoso da Síria em cima das cidades com civis eventualmente nada satisfeitos não incomoda certos grupos fazedores de opinião contrária e traidora dos nossos interesses meramente por não verem no seu governo quem mais quereriam.

RESPONDER

Disse para mim mesma: "Auriol, o primeiro é o teu lugar" - e foi

A portuguesa Auriol Dongmo conquistou, esta sexta-feira, a medalha de ouro do lançamento do peso nos Campeonatos da Europa de atletismo de pista coberta, que se estão a disputar em Torun, Polónia. Auriol Dongmo conquistou a …

Eduardo Quaresma não tem o que é preciso para singrar, diz olheiro de topo

Um olheiro internacional de topo considera que Eduardo Quaresma não tem aquilo que é preciso para singrar ao mais alto nível. Em declarações ao ZAP, o scout argumenta que lhe faltam qualidades físicas. Eduardo Quaresma é …

Governo aprova proposta de lei para retirar veto de autarquias a aeroportos

Após o chumbo do Montijo, o Conselho de Ministros aprovou, esta sexta-feira, uma proposta de lei que prevê a dispensa do parecer favorável das autarquias na construção de aeroportos. De acordo com o Observador, esta proposta …

João Loureiro regressou a Portugal. Diz ter sido "ingénuo ou utilizado" no caso do avião com cocaína

João Loureiro, antigo presidente do Boavista, aterrou esta sexta-feira em Portugal. Em declarações aos jornalistas, remeteu explicações para mais tarde. João Loureiro regressou a Portugal esta sexta-feira. O ex-presidente do Boavista afirmou ter sido “ingénuo” ou …

Pavlopetri é uma impressionante cidade subaquática na Grécia (e é das mais antigas do mundo)

A cidade foi descoberta nos anos 60 e acredita-se que tenha mais de 5 mil anos de história. Com o seu planeamento urbano praticamente intacto, o local ainda exibe ruas, pátios, edifícios e até mesmo …

Dos partidos aos patrões, há expectativas quanto ao plano de desconfinamento

O primeiro esboço do plano de desconfinamento será apresentado na reunião do Infarmed, marcada para a próxima segunda-feira. A apresentação do roteiro para a reabertura do país acontece no dia 11 de março. Esta semana, o …

"Estamos em pé de guerra." OMS defende dispensa de patente para países poderem fazer cópias baratas de vacinas

Os laboratórios devem dispensar as patentes se tal for necessário para garantir que todas as pessoas são imunizadas contra o novo coronavírus, defendeu o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS). Num artigo publicado esta sexta-feira …

Apalpar fruta passou à história. Cientistas criam novo método para saber quando está madura

Uma equipa de investigadores desenvolveu um método para saber se uma fruta está madura sem a apalpar. Para já, os testes foram realizados em mangas, mas os cientistas esperam alargá-lo a outras frutas. Apalpar fruta para …

Governo espera reabrir turismo em maio

A secretária de Estado do Turismo revelou à BBC que Portugal espera poder abrir as fronteiras e o turismo no início de maio. Portugal espera poder abrir as fronteiras e o turismo no início de maio …

Final entre Benfica e Braga não será no Jamor, mas em Coimbra

A Taça de Portugal vai realizar-se no Estádio Cidade de Coimbra, que também recebe as finais da Taça de Portugal feminina e do Campeonato de Portugal.  O Estádio Cidade de Coimbra vai receber a final da …