Aviões russos e sírios usam armas incendiárias contra civis

Sergey Krivchikov / Wikimedia

Um avião bombardeiro Tupolev Tu-95 'Bear' da Força Aérea da Rússia

Um avião bombardeiro Tupolev Tu-95 ‘Bear’ da Força Aérea da Rússia

Aviões sírios e russos têm usado repetidamente armas incendiárias em ataques “vergonhosos” contra civis no norte da Síria, denunciou esta terça-feira a organização de defesa dos direitos humanos Human Rights Watch.

A HRW diz ter documentado o uso de armas incendiárias pelo menos 18 vezes desde junho.

“Há provas convincentes” de que a Rússia está a apoiar os planos do Governo sírio nesses ataques, referiu a ONG, a partir de Nova Iorque.

“A Síria e a Rússia devem parar imediatamente de atacar áreas civis com armas incendiárias“, afirmou um dos diretores da organização, Steve Goose.

“Os ataques vergonhosos com armas incendiárias na Síria mostram um grande fracasso em aderir ao direito internacional que restringe as armas incendiárias”, disse.

Quando são lançadas dos aviões, as bombas incendiárias deixam rastos distintos de explosivos no céu e desencadeiam pequenos e intensos incêndios nos locais onde caem.

Este tipo de armamento foi amplamente utilizado durante a guerra do Vietname e foi proibido pela Convenção das Nações Unidas sobre Armas Convencionais.

A HRW documentou ataques com tais armas desde o início de junho, incluindo dois casos a 07 de agosto, que atingiram partes controlada pela oposição nas cidades de Aleppo e Idleb.

O Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH) declarou também ter documentado o uso de termite – um tipo de substância incendiária – por aviões russos em Idleb, Alepo, Deir Ezzor e Raqa.

No início deste mês, ativistas em Daraya, uma cidade sitiada pelos rebeldes perto de Damasco, acusou o regime da utilização proibida de ‘napalm’ (composto químico incendiário) contra os moradores.

Grupos opostos na guerra na Síria trocam regularmente acusações de ataques contra civis e uso de armas não-convencionais, incluindo gases de cloro e mostarda.

Numa carta à HRW em novembro, a Rússia reconheceu que o “uso impróprio” de armas incendiárias tinha resultado em “danos humanitários significativos” na Síria.

Desde 2012, a HRW documentou o uso de quatro diferentes armas incendiárias na Síria, todas fabricadas pela antiga União Soviética.

Mais de 290.000 pessoas foram mortas e milhões forçadas a abandonar suas casas desde que o conflito da Síria, que eclodiu em março de 2011.

/Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Ora, isso quando é usado pela intervenção do governo da Russia ou do outro criminoso da Síria em cima das cidades com civis eventualmente nada satisfeitos não incomoda certos grupos fazedores de opinião contrária e traidora dos nossos interesses meramente por não verem no seu governo quem mais quereriam.

RESPONDER

"A solução única é apoiar a minha candidatura". CDS e Chega reúnem-se para falar sobre as presidenciais

O presidente do CDS-PP, Francisco Rodrigues dos Santos, vai reunir-se na quinta-feira com o deputado e líder do Chega, André Ventura, na Assembleia da República. A reunião "de cortesia" foi pedida pelo CDS, para "apresentação de …

Gordura à volta dos vasos sanguíneos pode ajudar a mantê-los saudáveis

A gordura encontrada à volta das artérias pode ajudar a manter os vasos sanguíneos saudáveis, ajudando a reduzir a tensão deles quando esticam. A gordura à volta das artérias, conhecida como tecido adiposo perivascular, pode …

Sporting disposto a pagar 5 milhões ao Sp. Braga por Rúben Amorim

O Sporting estará decidido a "roubar" o treinador Rúben Amorim ao Sporting de Braga. E para isso poderá pagar cinco milhões de euros, incluindo jogadores nas negociações, segundo a CMTV. O percurso vitorioso do Sp. Braga …

Rui Pinto apresenta queixa contra Portugal na União Europeia

A defesa de Rui Pinto, criador do Football Leaks, anunciou esta segunda-feira que vai apresentar uma queixa contra Portugal na União Europeia, alegando que as regras europeias de extradição do seu constituinte não foram respeitadas. “Houve …

Português infetado com coronavírus no Japão já foi transferido para o hospital

O português infetado com o coronavírus Covid-19 num navio de cruzeiros no Japão foi esta terça-feira transferido para um hospital na cidade de Okazaki. A mulher de Adriano Maranhão afirmou à agência Lusa que tinha acabado …

Cientistas descobrem novo estado eletrónico da matéria

Uma equipa de cientistas norte-americanos observou um novo estado da matéria, que mostra que os eletrões podem unir-se de maneira semelhante à forma como os quarks se combinam para formar neutrões e protões. Normalmente, os eletrões …

"Célula de combustível reversa" converte resíduos de carbono em produtos valiosos

Uma equipa de engenheiros da Universidade de Toronto, no Canadá, anunciou o desenvolvimento de um eletrolisador capaz de produzir produtos químicos valiosos a partir de CO2 e eletricidade limpa com uma velocidade 10 vezes superior …

Descobertas da missão Juno alimentam mistério da água em Júpiter

A missão Juno da NASA forneceu os seus primeiros resultados científicos sobre a quantidade de água na atmosfera de Júpiter. Publicados recentemente na revista científica especializada Nature Astronomy, os resultados da Juno estimam que, no …

Os humanos podem descender de marcianos antigos, diz Bill Nye

Bill Nye defendeu recentemente que é importante continuar a financiar a agência espacial norte-americana, especialmente se as missões levadas a cabo pela NASA no futuro ajudarem a responder a uma questão há anos tira o …

Londres dá o nome de Freddie Mercury a uma rua

Londres rebatizou uma das suas ruas em honra do vocalista dos Queen, Freddie Mercury. A rua em causa fica perto da primeira morada do artista na capital inglesa. Uma rua nos subúrbios de Londres, onde o …