As aves são capazes de ver uma cor que os humanos não conseguem

Os pássaros veem o mundo de uma forma muito diferente da dos humanos. Agora, podemos finalmente ter uma ideia de como é o “mundo das aves”, graças a uma câmara especialmente projetada que simula a sua visão.

A bióloga Cynthia Tedore iniciou este projeto com o objetivo de procurar padrões na natureza observada pelas aves, mas a finalidade acabou por ser outra. A equipa de cientistas escolheu, em vez disso, explorar a visão das aves, dado que os pássaros se orientam visualmente e, ao contrário dos olhos humanos, conseguem detetar uma quarta cor além do vermelho, azul e verde.

Nós humanos temos três tipos de recetores de cor – ou cones – que são sensíveis às frequências de luz vermelha, azul e verde. As aves têm um quarto recetor, que varia entre as espécies no tipo de frequência que pode detetar.

Alguns pássaros, como os honeyeaters australianos, têm o quarto recetor de cor sensível à luz violeta; já os papagaios conseguem detetar a luz na parte ultravioleta (UV) do espectro.

Para descobrir de que forma esses cones sensíveis à luz violeta e UV se traduzem visualmente, os cientistas fotografaram um denso habitat de uma floresta usando uma câmara multiespectral com filtros especialmente projetados para imitar o que um pássaro consegue ver.

(dr) Cynthia Tedore

Uma fotografia normal à esquerda e uma fotografia que inclui luz verde e cores UV

As imagens multiespectrais mostram claramente como a sensibilidade UV deteta um maior contraste entre as superfícies superior e inferior das folhas, fazendo com que a posição e orientação de cada folha se destaque de uma forma 3D muito clara.

“Na verdade, o que parece ser uma confusão verde para os seres humanos, são folhas claramente distinguíveis para as aves”, disse o biólogo Dan-Eric Nilsson, da Lund University.

Tedore explicou ao Science Alert que a visão UV “ajuda os pássaros a voar através da densa folhagem com uma maior agilidade”. “Muitas aves procuram insetos e aranhas que se escondem nas superfícies inferiores das folhas, e poder identificar rapidamente essas superfícies deve aumentar sua eficiência”.

Através de um modelo computacional, os cientistas também conseguiram descobrir que o contraste máximo de folhas é observado em comprimentos de onda UV curtos em folhas bem iluminadas e em comprimentos de onda UV mais longos em coberturas com iluminação mais baixa. Isto pode explicas o motivo pelo qual a quarta cor detetada pelas aves varia de espécie para espécie.

Como as aves têm quatro classes de recetores de luz (vermelho, verde, azul e UV) e nós só temos três (vermelho, verde e azul), só conseguimos observar três canais de cada vez, explica a cientista. Desta forma, “é impossível para nós gerar uma representação realista do que a visão com quatro canais cónicos pode parecer.”

No entanto, apesar de ser incrível, “ver em quatro cores” pode também trazer algumas desvantagens, indicam os cientistas no artigo científico publicado recentemente na Nature Communications.

“Uma das desvantagens de ter uma quarta classe de cone é que ocupa espaço na retina que poderia ter sido ocupado por mais uma das outras três classes de recetores de luz”, diz Tedore. “Isso pode ter efeitos prejudiciais na resolução e na sensibilidade sob condições de pouca luminosidade.”

PARTILHAR

RESPONDER

Fórmula 1 quer atingir emissões zero de CO2 até 2030

A Fórmula 1 pretende reduzir a zero as emissões de CO2 até 2030, com base num plano que pretende “pôr em marcha de imediato”, anunciou esta terça-feira a Federação Internacional do Automóvel (FIA). O plano divulgado …

A Tesla vai lançar a sua misteriosa pickup “cyberpunk” elétrica ainda este mês

A nova Tesla Cybetruck já tem data de lançamento após um longo tempo de espera. O fundador da empresa, Elon Musk, anunciou que a carrinha "pickup" será revelada no dia 21 de novembro. O anúncio foi …

Asteróide "potencialmente perigoso" aproxima-se da Terra esta quarta-feira

Um asteróide com 147 metros de diâmetro, caracterizado pela NASA como "potencialmente perigoso" vai aproximar-se da Terra esta quarta-feira. Em causa está o corpo rochoso UN12 2019, explica a agência espacial norte-americana, dando conta que o …

Encontrado submarino da II Guerra Mundial que esteve perdido durante 75 anos (devido a um erro de tradução)

Uma equipa de exploradores oceânicos privada encontrou na costa do Japão um submarino do exército norte-americano do tempo da II Guerra Mundial, que estava desaparecido há 75 anos por causa de um erro num dígito …

Uma casa esteve a afundar-se no Tamisa para alertar para a subida do nível dos oceanos

No passado domingo, quem passou junto ao rio Tamisa, em Londres, não deverá ter ficado indiferente à típica casa dos subúrbios ingleses que se afundava perto da Tower Bridge. Felizmente, de acordo com a agência Reuters, …

A defesa de Lage é a melhor do Benfica em quase 30 anos

A defesa de Bruno Lage leva apenas quatro golos sofridos em 11 jornadas, o que faz dela a melhor defesa do campeonato e a melhor do Benfica desde a temporada de 1990/1991, escreve o jornal …

OE2020. “Não vamos para negociar”, esclarece Jerónimo de Sousa

O PCP vai reunir esta quarta-feira com o Governo com vista ao Orçamento de Estado para 2020. Jerónimo de Sousa esclareceu esta terça-feira que os comunistas não vão para negociar, sendo "manifestamente exagerado dizer que …

Benjamin "morreu" enquanto cumpria pena de prisão perpétua. Agora está vivo e quer a liberdade

Um norte-americano, de 66 anos, que cumpre pena de prisão perpétua por ter espancado um homem até à morte em 1996, pretendia ser libertado, uma vez que o seu coração parou por breves instantes. Em 1996, …

“Máfia do Sangue”. Ministério Público deixa Octapharma fora da acusação

O Ministério Público (MP) deixou a farmacêutica Octapharma fora da acusação da operação "O Negativo" por considerar que o ex-administrador Lalanda e Castro montou um esquema de corrupção para a venda de plasma ao Serviço …

Rio Nilo tem 30 milhões de anos. É seis vezes mais antigo do que se pensava

Um grupo de cientistas estudou diferentes sedimentos do rio, incluindo as rochas vulcânicas da região planáltica da Etiópia, e fez simulações computacionais para traçar a vida do rio até ao passado mais longínquo, contabilizou agora …