Autarca de Portimão constituída arguida por vacinação indevida

CV Facebook

A presidente da Câmara de Portimão, Isilda Gomes

A presidente da Câmara de Portimão, Isilda Gomes.

A presidente da Câmara de Portimão foi constituída arguida por vacinação indevida contra a covid-19.

“Estou muito tranquila, aguardo pelo desfecho do processo e as explicações que tinha de dar já dei”, disse Isilda Gomes ao jornal Público, sem querer prestar mais declarações sobre o assunto.

A presidente da Câmara de Portimão foi vacinada contra a covid-19, em janeiro, na primeira fase da vacinação, embora não fizesse parte dos grupos prioritários. Na altura, alegou tê-lo feito como “condição necessária” para poder fazer voluntariado no hospital de campanha com enfermaria covid-19 instalado no Portimão Arena.

“A presidente não se vacinou, vacinou-se a voluntária“, afirmou, na altura, a autarca.

Quando foi tornada pública a sua vacinação, tanto Isilda Gomes como o Centro Hospitalar Universitário do Algarve (CHUA) rejeitaram tratar-se de um caso de vacinação indevida, tendo dado como argumentos a condição clínica e a idade da autarca para ser incluída nas listas, recorda o Jornal de Notícias.

Além da presidente da Câmara, foi também constituída arguida a sua nora, Ana Castro, presidente do CHUA e responsável máxima do Portimão Arena, adianta a TVI 24.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.