Áustria sente-se “república das bananas” sem Presidente há sete meses

Florian Wieser / EPA

O candidato ecologista Alexander Van der Bellen venceu as Presidenciais austríacas, derrotando o candidato da extrema-direita Norbert Hofer

O candidato ecologista Alexander Van der Bellen

A Áustria prepara-se para eleger no próximo domingo um novo Presidente, mais de sete meses depois do primeiro voto, num processo longo e acidentado que exasperou os austríacos.

“Se nem umas eleições conseguimos organizar, talvez fosse melhor tornarmo-nos um protetorado da ONU ou da OSCE” (Organização para a Segurança e Cooperação na Europa), escrevia o diretor do jornal “Die Presse”, Rainer Nowak, num artigo intitulado “República das Bananas“.

A expressão “Bananen-Republik” foi utilizada com frequência pelos media austríacos para descrever uma improvável sucessão de incidentes.

As eleições presidenciais realizaram-se a 24 de abril. Nenhum dos dois candidatos mais votados, Norbert Hofer (FPÖ, extrema-direita) e Alexander Van der Bellen (independente ligado aos Verdes), alcançou maioria absoluta. Teve assim que se realizar uma segunda volta.

Até aqui tudo normal. A segunda volta teve lugar a 22 de maio. A votação dos dois candidatos foi tão próxima que a televisão estatal, ÖRF, não se atreveu sequer a arriscar um vencedor. A projeção ao fechar das urnas da TV pública dava exatamente 50 por cento a cada candidato.

Contados os votos, Hofer ficou à frente com 51,9 por cento. Mas essa contagem não incluía os votos por via postal. Votar pelo correio é um método permitido e muito popular na Áustria. Tradicionalmente, a esquerda austríaca tem melhores resultados nos votos por via postal, o que abria a possibilidade de Van der Bellen recuperar o atraso.

Foi o que aconteceu. No dia seguinte, o Governo anunciou os resultados finais, com um novo vencedor. Van der Bellen triunfara por uma margem de 30 mil votos num total de 4,5 milhões de eleitores.

No entanto, o FPÖ denunciou irregularidades no escrutínio e apresentou uma queixa ao Supremo Tribunal austríaco.

Os magistrados não encontraram quaisquer provas de fraude, mas determinaram a existência de “irregularidades formais” — por exemplo, a contagem de votos por funcionários sem as acreditações necessárias. Foi assim decidido repetir a 2 de outubro a segunda volta das eleições.

No entanto, em setembro o Governo admitiu haver problemas com os votos por via postal. Segundo o ministro Sobotka, os envelopes autocolantes onde os votos deviam ser enviados não colavam. Simultaneamente foi noticiado um assalto às instalações da gráfica de Viena onde eram impressos os boletins de voto para as presidenciais.

Perante este cenário, o Parlamento austríaco optou por adiar a repetição da segunda volta. Chegou a pôr-se a hipótese de a votação já só se realizar em 2017.

A diretora do diário “Der Standard”, Alexandra Föderl-Schmid, comparou desfavoravelmente o processo eleitoral austríaco com as eleições presidenciais americanas de 2000. O atraso para apurar se fora George W. Bush e Al Gore a vencer na Florida “só demorou um mês”, escreveu Föderl-Schmid.

O resultado final deverá ser conhecido na noite do próximo domingo – ou talvez não. As sondagens até agora publicadas apontam para um “empate técnico” entre os dois candidatos.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

"Um tsunami de dívidas". O mundo deve a si mesmo 277 mil milhões de dólares

Prevê-se que até ao final deste ano, a dívida da economia mundial atinja os 277 mil milhões de dólares. A pandemia de covid-19 é um dos fatores responsáveis. A pandemia de covid-19 não só está a …

Empresas podem negar trabalho a quem não se quiser vacinar

"É obviamente possível" que as empresas evitem contratar um trabalhador se não quiserem ser vacinadas contra a covid-19. A presidente do Comité Económico e Social Europeu (CESE), Christa Schweng, admitiu a possibilidade de uma empresa se …

"A Suitable Boy". Um beijo numa série da Netflix provocou um escândalo (social e político) na Índia

A Netflix está a enfrentar uma reação negativa na Índia por causa de uma cena de um beijo entre duas personagens na série A Suitable Boy ("Um bom partido"). O partido no poder já pediu …

Irmãos transformaram 7 linhas de código num império de 36 mil milhões de dólares

Patrick e John Collison são dois jovens empreendedores irlandeses que fundaram a Stripe, uma empresa que criou uma solução alternativa para os pagamentos online, avaliada em 36 mil milhões de dólares. Em vez de construirem soluções …

ECDC. Portugal terá "níveis muito baixos" de novos casos se mantiver restrições

Se Portugal mantiver as restrições adotadas atualmente, irá registar em dezembro “níveis muito baixos” de novos casos de covid-19. O Centro Europeu para Prevenção e Controlo das Doenças (ECDC), criado com a missão de ajudar os …

Com apenas 14 anos, Xiaoyu é o adolescente mais alto do mundo. Mede 2,21 metros

Ren Keyu nasceu na China a 18 de outubro de 2006, e no dia em que comemorou o seu 14º aniversário recebeu também o título do Guinness World Records do adolescente mais alto do mundo, …

Jerónimo "não está a prazo" no PCP (e vai continuar a negociar com o PS)

O PCP continua disponível para negociar com o PS, mas não a troco de nada. Quanto ao quinto mandato consecutivo enquanto secretário-geral do partido, Jerónimo avisou, este domingo, que não está "a prazo". No discurso de …

Hackers expõem na cloud dados que roubaram de utilizadores do Spotify. Foi um acidente

Um grupo de piratas informáticos compilou uma base de dados com cerca de 250.000 palavras-passe do Spotify e armazenaram os dados na cloud. No entanto, esqueceram-se de proteger o armazenamento com uma palavra-passe. De acordo com …

Disney vai colocar em lay-off mais de 30.000 trabalhadores em 2021

A gigante norte-americana Walt Disney Company anunciou esta semana que vai colocar em regime de lay-off 32.000 trabalhadores no primeiro semestre de 2021 devido às quebras financeiras causadas por causada da pandemia de covid-19. A …

Ventura responde a Rodrigues dos Santos (e os ânimos à direita tornam-se cada vez mais ácidos)

Depois de Francisco Rodrigues dos Santos ter afirmado, em entrevista ao Sol, que o CDS "não fará alianças políticas com o partido Chega", André Ventura reagiu em tom irónico: "Como é que o Chega conseguirá …