Ator britânico esteve morto 7 minutos. Agora pinta o que viu no “além”

Shiv Grewal, ator britânico da companhia de teatro Royal Shakespeare Company, sofreu um ataque cardíaco há 5 anos, ficando durante 7 minutos em morte clínica. Agora, revela através da sua arte o que acredita ser a vida após a morte.

Há 5 anos, o artista britânico sofreu uma paragem cardíaca, ficando clinicamente morto durante 7 minutos antes de ser ressuscitado. Durante este período, experimentou algo semelhante a sentir-se “no vácuo”, embora, ao mesmo tempo fosse capaz de sentir emoções e sensações.

“Estava ciente que o meu cérebro estava a morrer e gritava por ajuda“, confessou Shiv Grewal, explicando que também sabia “que havia a possibilidade de ir para casa”.

O artista de 60 anos descreveu a sua experiência como um conjunto de “devaneios” ou “uma jornada cósmica“. “A certa altura, eu estava a viajar na Lua e pude ver meteoritos e todo o espaço”, explicou Shiv Grewal.

Além disso, o ator explicou que podia optar por ficar lá ou voltar à vida. Senti que havia um conjunto de possibilidades e que me ofereceram várias vidas e reencarnações, mas eu não as queria”. “Eu queria voltar à vida, ao mundo material e à minha esposa. Eu exigi que voltasse e conseguisse o meu desejo”, disse em declarações ao Mirror.

O artista britânico ainda não conseguiu voltar aos palcos, pois ficou com alguns problemas de fala e mobilidade após o incidente. No entanto, Shiv Grewal encontrou na pintura e nos quadros uma forma de terapia. Hoje em dia, pinta tudo o que acha ter visto durante os momentos em que esteve “morto” e prepara uma exposição para breve.

“Eu precisava de ser pro-ativo. Eu disse que estava a voltar. Disse-o como uma demanda e não como um pedido”, concluiu o artista de nacionalidade britânica.

ZAP // RT

PARTILHAR

12 COMENTÁRIOS

    • Diz isso a minha prima que teve 30 minutos a receber massagens cárdio-respiratórias depois de uma anestesia que correu mal. O medico deu como morta mas o enfermeiro não parou de tentar e a salvou….

      • Andam a ver muitos filmes!…
        Gostaria de ver esse documento em que o médico a deu como morta… só acredito quando vir o documento!!
        Assim como gostaria de ver o documento médico onde foi declarada a morte clínica deste palerma, perdão, deste actor inglês!…
        Além do casos óbvios (decapitação, etc) só há morte declarada a partir do momento em que um médico regista/declara a morte (com hora da morte, etc).
        Não é como nos filmes, onde se põe a mão no pescoço e já está de declarada a morte…

        • Bem… Que tremenda ignorância!

          Quer ver o documento? Você por acaso viu o documento científico escrito pelo Einstein com a demonstração das teorias da Relatividade Geral e Especial? Então não acredita! Você viu o documento que comprova a recente descoberta do bosão de Higgs? Então não acredita! Você viu os documentos com os cálculos levados a cabo para planear a viagem à lua? Então você não acredita que o homem lá esteve!

          Ou seja, uma coisa vem nas notícias (de vários jornais no mundo) e você diz que só acredita se vir o documento? Isso não mostra que você precise de ver para crer. Isso mostra, que você não quer aceitar um facto porque não lhe agrada que isto seja verdade… E como sabe que nunca vai ter acesso ao documento em causa, usa isso como desculpa para poder continuar a negar uma coisa que não quer aceitar por não lhe agradar a ideia.

          Não lhe agrada a ideia porque vai contra tudo aquilo em que acredita e sempre acreditou (neste caso a de que a consciência é produto do cérebro e como tal não sobrevive à morte do mesmo), e quando uma pessoa vive agarrado a uma crença, faz birras dessas.

          • Bem… que terrível falta de bom senso (e excesso de “imaginação”)!…
            Como não percebeu NADA, eu vou tentar explicar:
            Eu não quero ver documento nenhum!!!
            Era uma pergunta retórica – como é óbvio, eu disse que queria ver o documento, porque já sei que esse documento NÃO existe!!!
            A verificação da morte é um ato médico e só há morte quando um médico a verifica e declara!
            Como se percebe, o que houve foi uma presunção de morte e não uma morte “oficial” (declarada)!!
            Está bem assim?!…
            .
            Para a próxima vez que tiver dúvidas sobre o que eu escrevo, pergunte; não custa nada e sempre fica melhor do que fazer deduções completamente “ao lado”!…

            • Caro Eu! (ou melhor, “você”). Se é para sermos precisos então deixe-me que lhe diga que está bastante equivocado. A morte tem vários estágios de acordo com a sua definição:

              – Paragem respiratória (não respira)
              – Paragem cardíaca (não tem pulso)

              Ao fim destas duas chama-se morte clínica, mas como hoje em dia as manobras de ressuscitação permitem nalguns casos reanimar a pessoa nesta situação, está-se a alterar a definição de morte clínica para a fase seguinte, da morte cerebral. Mas depois disto ainda há várias outras fases:

              – Pallor mortis: Palidez 15–120 minutes após morte clínica.
              – Livor mortis: o Sangue deposita-se nas zonas mais “baixas” do corpo.
              – Algor mortis: Queda da temperatura corporal até à temperatura ambiente.
              – Rigor mortis: O corpo enrigece, ficando totalmente hirto.
              – Decomposição: Sem comentários.

              Diga-me lá então você, em que fase é que o homem tinha de estar para se poder dizer que estava morto? Mas não é preciso, eu explico: De acordo com o artigo, ele esteve 7 minutos no que tradicionalmente se chama ainda morte clínica (sem respiração e sem pulso), e estava a chegar à morte cerebral, tanto que se reparar no artigo, 5 anos depois ele ainda não consegue falar e locomover-se normalmente, o que demonstra que terá havido morte cerebral parcial.

              O que interessa é que para todos os efeitos, a consciência do actor abandonou o corpo pois a morte corporal estava a processar-se e tería acontecido se ele não tivesse sido reanimado clínicamente. O que é que interessa se o médico assina um papel ou deixa de assinar. A obsessão com a semântica de morte ou a sua ideia de que a consciência está à espera da assinatura do médico para sair do corpo, consegue ser mais caricata do que qualquer dúvida sobre a continuidade da consciência para além da morte corporal.

          • E insiste em “atirar ao lado”!…
            Bastante equivocado? Onde/em quê?!
            Dispenso essas aulas do Goolge sobre a morte – até porque já estive em várias situações que terminaram com o médico a declarar o óbito … o ultimo foi de uma criança!…
            Alguém sem respirar e/ou sem pulso, não está morto! Por isso é que esse estado/sintoma se chama “paragem cardío-respiratória” – e não MORTE!!
            Independentemente tudo o resto, SÓ existe morte quando um médico a verifica e declara – o resto são pormenores!
            .
            A consciência “abandonou o corpo”?!
            E foi para onde?
            Foi de férias?!

  1. Pois já me aconteceu o mesmo e estou arrependidíssimo de ter pedido para voltar. Tivesse ficado por lá e estaria bem melhor. Desde que quase morri, só tenho feito m**** na minha vida. Assim, pelo menos, não teria criado mau karma.

  2. Gostaria de compor música house através de software gratuito e seguro disponível na internet. Alguém me poderia dar informação sobre o assunto? Desde já, eternamente grata. @Maria Armanda

RESPONDER

Todo o Universo primitivo pode ter estado a girar em múltiplas direções

Novas evidências sugerem que todo o Universo primitivo esteve a girar como um planeta ou uma galáxia, deixando um rasto que ainda é visível nos céus. De acordo com o New Scientist, a nova teoria baseia-se …

Nicotina contribui para cancro do pulmão formar metástases no cérebro

A nicotina, uma substância não carcinogénica presente no tabaco, contribui para que o cancro no pulmão se dissemine no cérebro, formando metástases, concluiu um estudo publicado na revista Journal of Experimental Medicine. Uma equipa de investigadores …

Nas montanhas suíças, há quartos de hotel sem paredes nem teto

Dois artistas concetuais suíços criaram sete "quartos de hotel" ao ar livre, sem paredes nem teto, mas com vistas para as montanhas da Suíça e de Liechtenstein. A dupla suíça, os irmãos gémeos Frank e Patrik …

Risco de segunda vaga de covid-19 é alto em França

Um estudo publicado esta sexta-feira revela que a chamada "imunidade de grupo" está longe de ser alcançada em França. O risco de uma segunda vaga de covid-19 em França é "extremamente elevado", de acordo com um …

Desvendado mistério das cartas censuradas entre a rainha Maria Antonieta e o seu suposto amante

A natureza da relação entre a rainha Maria Antonieta e o conde sueco Axel de Fersen continua a intrigar os historiadores há mais de um século. Eram realmente amantes? Agora, graças a uma nova análise …

Ministra do Madagáscar afastada por querer gastar 1,8 milhões em rebuçados para disfarçar sabor de "Covid-Organics"

A ministra da Educação do Madagáscar foi destituída esta quinta-feira, depois de ter proposto gastar 1,8 milhões de euros em rebuçados, para distribuir em escolas e atenuar o sabor de uma infusão para a covid-19. A …

Santa Clara 3-2 SC Braga | Açorianos estreiam-se na nova casa com vitória sobre os minhotos

O Santa Clara venceu hoje o Sporting de Braga por 3-2, em jogo da 25.ª jornada da I Liga de futebol em que se assinalou também a estreia da Cidade do Futebol como palco de …

O maior e mais antigo monumento Maia já conhecido foi descoberto no México

O maior e mais antigo monumento já conhecido construído pela civilização Maia, batizado como Aguada Fénix, foi encontrado no sudeste do México. De acordo com o site New Scientist, o Aguada Fénix é uma enorme …

Twitter bloqueia vídeo de campanha de Donald Trump com tributo a George Floyd

O Twitter bloqueou um vídeo de tributo a George Floyd feito pela campanha de reeleição do Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. A rede social colocou um rótulo no vídeo da página da conta @TeamTrump, dizendo …

Depois da covid-19, poder haver uma outra doença respiratória à nossa espera

Com o desconfinamento, vamos gradualmente regressando ao normal, mas agora possivelmente com um novo inimigo. A doença dos legionários pode estar escondida nos edifícios que deixamos para trás. Surtos globais de coronavírus forçaram o encerramento de …