Ator britânico esteve morto 7 minutos. Agora pinta o que viu no “além”

Shiv Grewal, ator britânico da companhia de teatro Royal Shakespeare Company, sofreu um ataque cardíaco há 5 anos, ficando durante 7 minutos em morte clínica. Agora, revela através da sua arte o que acredita ser a vida após a morte.

Há 5 anos, o artista britânico sofreu uma paragem cardíaca, ficando clinicamente morto durante 7 minutos antes de ser ressuscitado. Durante este período, experimentou algo semelhante a sentir-se “no vácuo”, embora, ao mesmo tempo fosse capaz de sentir emoções e sensações.

“Estava ciente que o meu cérebro estava a morrer e gritava por ajuda“, confessou Shiv Grewal, explicando que também sabia “que havia a possibilidade de ir para casa”.

O artista de 60 anos descreveu a sua experiência como um conjunto de “devaneios” ou “uma jornada cósmica“. “A certa altura, eu estava a viajar na Lua e pude ver meteoritos e todo o espaço”, explicou Shiv Grewal.

Além disso, o ator explicou que podia optar por ficar lá ou voltar à vida. Senti que havia um conjunto de possibilidades e que me ofereceram várias vidas e reencarnações, mas eu não as queria”. “Eu queria voltar à vida, ao mundo material e à minha esposa. Eu exigi que voltasse e conseguisse o meu desejo”, disse em declarações ao Mirror.

O artista britânico ainda não conseguiu voltar aos palcos, pois ficou com alguns problemas de fala e mobilidade após o incidente. No entanto, Shiv Grewal encontrou na pintura e nos quadros uma forma de terapia. Hoje em dia, pinta tudo o que acha ter visto durante os momentos em que esteve “morto” e prepara uma exposição para breve.

“Eu precisava de ser pro-ativo. Eu disse que estava a voltar. Disse-o como uma demanda e não como um pedido”, concluiu o artista de nacionalidade britânica.

ZAP ZAP // RT

PARTILHAR

12 COMENTÁRIOS

    • Diz isso a minha prima que teve 30 minutos a receber massagens cárdio-respiratórias depois de uma anestesia que correu mal. O medico deu como morta mas o enfermeiro não parou de tentar e a salvou….

      • Andam a ver muitos filmes!…
        Gostaria de ver esse documento em que o médico a deu como morta… só acredito quando vir o documento!!
        Assim como gostaria de ver o documento médico onde foi declarada a morte clínica deste palerma, perdão, deste actor inglês!…
        Além do casos óbvios (decapitação, etc) só há morte declarada a partir do momento em que um médico regista/declara a morte (com hora da morte, etc).
        Não é como nos filmes, onde se põe a mão no pescoço e já está de declarada a morte…

        • Bem… Que tremenda ignorância!

          Quer ver o documento? Você por acaso viu o documento científico escrito pelo Einstein com a demonstração das teorias da Relatividade Geral e Especial? Então não acredita! Você viu o documento que comprova a recente descoberta do bosão de Higgs? Então não acredita! Você viu os documentos com os cálculos levados a cabo para planear a viagem à lua? Então você não acredita que o homem lá esteve!

          Ou seja, uma coisa vem nas notícias (de vários jornais no mundo) e você diz que só acredita se vir o documento? Isso não mostra que você precise de ver para crer. Isso mostra, que você não quer aceitar um facto porque não lhe agrada que isto seja verdade… E como sabe que nunca vai ter acesso ao documento em causa, usa isso como desculpa para poder continuar a negar uma coisa que não quer aceitar por não lhe agradar a ideia.

          Não lhe agrada a ideia porque vai contra tudo aquilo em que acredita e sempre acreditou (neste caso a de que a consciência é produto do cérebro e como tal não sobrevive à morte do mesmo), e quando uma pessoa vive agarrado a uma crença, faz birras dessas.

          • Bem… que terrível falta de bom senso (e excesso de “imaginação”)!…
            Como não percebeu NADA, eu vou tentar explicar:
            Eu não quero ver documento nenhum!!!
            Era uma pergunta retórica – como é óbvio, eu disse que queria ver o documento, porque já sei que esse documento NÃO existe!!!
            A verificação da morte é um ato médico e só há morte quando um médico a verifica e declara!
            Como se percebe, o que houve foi uma presunção de morte e não uma morte “oficial” (declarada)!!
            Está bem assim?!…
            .
            Para a próxima vez que tiver dúvidas sobre o que eu escrevo, pergunte; não custa nada e sempre fica melhor do que fazer deduções completamente “ao lado”!…

            • Caro Eu! (ou melhor, “você”). Se é para sermos precisos então deixe-me que lhe diga que está bastante equivocado. A morte tem vários estágios de acordo com a sua definição:

              – Paragem respiratória (não respira)
              – Paragem cardíaca (não tem pulso)

              Ao fim destas duas chama-se morte clínica, mas como hoje em dia as manobras de ressuscitação permitem nalguns casos reanimar a pessoa nesta situação, está-se a alterar a definição de morte clínica para a fase seguinte, da morte cerebral. Mas depois disto ainda há várias outras fases:

              – Pallor mortis: Palidez 15–120 minutes após morte clínica.
              – Livor mortis: o Sangue deposita-se nas zonas mais “baixas” do corpo.
              – Algor mortis: Queda da temperatura corporal até à temperatura ambiente.
              – Rigor mortis: O corpo enrigece, ficando totalmente hirto.
              – Decomposição: Sem comentários.

              Diga-me lá então você, em que fase é que o homem tinha de estar para se poder dizer que estava morto? Mas não é preciso, eu explico: De acordo com o artigo, ele esteve 7 minutos no que tradicionalmente se chama ainda morte clínica (sem respiração e sem pulso), e estava a chegar à morte cerebral, tanto que se reparar no artigo, 5 anos depois ele ainda não consegue falar e locomover-se normalmente, o que demonstra que terá havido morte cerebral parcial.

              O que interessa é que para todos os efeitos, a consciência do actor abandonou o corpo pois a morte corporal estava a processar-se e tería acontecido se ele não tivesse sido reanimado clínicamente. O que é que interessa se o médico assina um papel ou deixa de assinar. A obsessão com a semântica de morte ou a sua ideia de que a consciência está à espera da assinatura do médico para sair do corpo, consegue ser mais caricata do que qualquer dúvida sobre a continuidade da consciência para além da morte corporal.

          • E insiste em “atirar ao lado”!…
            Bastante equivocado? Onde/em quê?!
            Dispenso essas aulas do Goolge sobre a morte – até porque já estive em várias situações que terminaram com o médico a declarar o óbito … o ultimo foi de uma criança!…
            Alguém sem respirar e/ou sem pulso, não está morto! Por isso é que esse estado/sintoma se chama “paragem cardío-respiratória” – e não MORTE!!
            Independentemente tudo o resto, SÓ existe morte quando um médico a verifica e declara – o resto são pormenores!
            .
            A consciência “abandonou o corpo”?!
            E foi para onde?
            Foi de férias?!

  1. Pois já me aconteceu o mesmo e estou arrependidíssimo de ter pedido para voltar. Tivesse ficado por lá e estaria bem melhor. Desde que quase morri, só tenho feito m**** na minha vida. Assim, pelo menos, não teria criado mau karma.

  2. Gostaria de compor música house através de software gratuito e seguro disponível na internet. Alguém me poderia dar informação sobre o assunto? Desde já, eternamente grata. @Maria Armanda

RESPONDER

Pela primeira vez em 45 anos, uma casa vitoriana "flutuou" pelas ruas de San Francisco

A manhã de 21 de fevereiro em San Francisco, nos Estados Unidos, foi um pouco diferente do normal: uma casa vitoriana passou a "flutuar" pelas ruas da cidade. De acordo com o BuzzFeed News, uma equipa …

Nação Cherokee pede à Jeep que deixe de usar o nome da tribo nos seus carros

"É hora de a Jeep reconsiderar chamar os seus SUVs Cherokee e Grand Cherokee". Pela primeira vez, a tribo norte-americana Nação Cherokee pediu diretamente à Jeep para parar de usar o seu nome nos seus …

PCP quer apoios a 100% para pais "imediatamente e com efeitos retroativos"

O secretário-geral do PCP pediu ao Governo, este sábado, apoios a 100% para os trabalhadores que estão em casa com os filhos, pagos "imediatamente e com efeitos retroativos", e defendeu um plano de desconfinamento "setor …

Naufrágio grego que levava partes do Partenon está a revelar os seus segredos

A última expedição de mergulhadores ao navio grego Mentor, que naufragou perto da ilha Citera em 1802, recuperou várias peças do cordame, moedas, a sola de couro de um sapato, uma fivela de metal, uma …

Chega vai reagir "muito veementemente" na rua à tentativa de ilegalização

O líder do Chega disse, este sábado, que o partido vai responder "muito veementemente" e com "presença na rua", já em março, à tentativa de ilegalização da estrutura promovida por Ana Gomes. "Quero deixar claro aqui, …

Procura-se candidato para dormir. Site oferece 1650 euros e uma noite num resort

Este pode ser, literalmente, um emprego de sonho: fazer dinheiro enquanto se dorme, incluindo uma noite num resort de 5 estrelas. O site Sleep Standards, que se dedica a dar informação sobre pesquisas e produtos relacionados …

Catarina Martins faz apelo a Costa. "Moratórias têm de ser estendidas já"

A coordenadora do Bloco de Esquerda fez um apelo direto ao primeiro-ministro, este sábado, para que não espere que "seja tarde demais" e decida já estender as moratórias, evitando assim uma vaga de despejos e …

Toronto apresenta providência cautelar contra projeto que constrói "casas" para os sem-abrigo

Um carpinteiro canadiano decidiu construir abrigos para as pessoas que vivem nas ruas de Toronto. A autarquia considerou que são perigosos e apresentou uma providência cautelar. De acordo com a empresa de media Vice, Khaleel Seivwright, carpinteiro …

Trinta anos depois, MI6 pede desculpa por ter banido espiões gays

Richard Moore pediu desculpa " pela forma como colegas e concidadãos LGBT+ foram tratados", tendo-lhes sido negada a oportunidade de servir o país no MI6. O chefe do MI6, o serviço secreto de inteligência do Reino …

Já foram administradas 837.887 vacinas em Portugal

Um total de 837.887 vacinas contra a covid-19 foram administradas em Portugal desde 27 de dezembro, quando foi dada a primeira dose, indicou o Ministério da Saúde este sábado. Num comunicado de balanço do processo de …