Ativista egípcio Alaa Abdelfatah detido pela Segurança do Estado

As autoridades egípcias voltaram a deter este domingo o conhecido ativista Alaa Abdelfatah, que até agora estava em liberdade condicional, mas com obrigação de pernoitar em esquadra policial desde março. Antes de março, Abdelfatah cumpriu cinco anos na prisão.

Segundo disse à agência EFE Laila Soueif, mãe do ativista, Abdelfatah não voltou a sair da esquadra de Dokki, no Cairo, onde deve passar 12 horas por dias (das 18h00 às 6h00) desde a sua liberdade condicional decretada em março. Soueif explicou que todos os dias se desloca à esquadra para ir buscar o filho, mas que este domingo, à hora em que este devia ter saído, os portões estavam encerrados.

Posteriormente, adiantou a mãe do ativista, a polícia informou que Abdelfatah tinha sido transferido para a Procuradoria de Segurança Interna. Segundo a mesma fonte, que se encontra diante daquela instituição judiciária, os advogados que estão no interior do edifício confirmaram que Abdelfatah se encontra ali, mas desconhecem a acusação que lhe é imputada.

Adiantou que o seu filho terá recebido algumas “advertências da Segurança do Estado (serviços de inteligência)” de que poderia voltar a ser preso. Soueif admitiu que a detenção do ativista possa estar relacionada com comentários que este fez nas redes sociais sobre os últimos incidentes no Egito, onde houve protestos contra o Presidente do país.

Desde então, o Centro Egípcio dos Direitos Económicos e Sociais documentou a detenção de 1.201 pessoas, que foram acusadas formalmente pelas autoridades e que se encontram em prisão preventiva, enquanto outro número idêntico de pessoas está desaparecido, suspeitando-se de que possam também estar detidos.

Além de Abdelfatah, outros ativistas pró-democracia e de direitos humanos, jornalistas e professores universitários foram detidos, segundo a organização de direitos humanos. Abdelfatah, que tem um blogue, já cumpriu cinco anos de prisão e pagou uma multa de 100 mil libras egípcias (cerca de 13 mil euros) por manifestar-se sem autorização em 2013.

Abdelfatah tem vindo as ser perseguido pelas autoridades egípcias desde a ditadura de Hosni Mubarak, derrubado pela revolta popular de 2011 na qual o ora detido teve um papel muito ativo nas redes sociais. Voltou a ser perseguido durante o mandato do ex-Presidente Mohamed Mursi (2012-2013) e também após o golpe de Estado de julho de 2013, encabeçado pelo Presidente Al Sisi.

  // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Patrões acusam Governo de usar a concertação social para viabilizar o Orçamento

Os patrões veem as alterações à lei laboral como uma estratégia do Governo para aprovar o Orçamento do Estado para 2022 (OE2022), enquanto as centrais sindicais consideraram estas mudanças insuficientes. As alterações à legislação laboral não …

Um rato

Nova Iorque alvo de aumento recorde de casos de doença rara transmitida por ratos

Uma doença bacteriana rara, espalhada através da urina de rato, está a assolar a cidade de Nova Iorque. Este ano, pelo menos 15 pessoas terão contraído a doença. Destas, 13 foram hospitalizadas e uma morreu. A …

Portugal regista mais três mortes e 927 casos de covid-19

Portugal registou, esta quarta-feira, mais três mortes e 927 casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o último boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo com o último boletim da DGS, dos 927 novos …

Festejos do Sporting. IGAI garante que "não omitiu informação ou branqueou factos"

A inspetora-geral da Administração Interna garantiu no Parlamento, esta quarta-feira, que a IGAI "não omitiu informação ou branqueou factos" no relatório sobre os festejos do Sporting, sustentando que tudo o que foi investigado consta do …

PAN só viabiliza OE "se houver compromisso do Governo em alterar" a proposta

A porta-voz do PAN afirmou, esta quarta-feira, que o partido só poderá viabilizar o Orçamento do Estado para 2022 (OE2022) se o Governo se comprometer com alterações à proposta na especialidade. Inês Sousa Real falava aos …

Colômbia condenada por não ter investigado agressões "verbais, físicas e sexuais" a jornalista

De acordo com a sentença, o Estado colombiano não investigou devidamente o caso de sequestro, tortura e violação da jornalista Jinedth Bedoya, que estava a trabalhar numa reportagem sobre a guerra civil em 2000. O Tribunal …

Rio diz ter "obrigação" de avançar com recandidatura à liderança do PSD

O presidente do PSD justificou a sua recandidatura à liderança, esta quarta-feira, pela "obrigação" de colocar o interesse do país e do partido à frente da sua vida pessoal. No final de uma audiência com o …

Fenprof e FNE convocam greve nacional de professores para 5 de novembro

A Federação Nacional dos Professores (Fenprof) e a Federação Nacional da Educação (FNE) anunciaram, esta quarta-feira, que vão convocar uma greve nacional de professores para 5 de novembro. Em comunicado, a Fenprof refere que a greve …

PCP reconhece aproximação do Governo, mas diz que ainda é insuficiente

O líder parlamentar do PCP considerou, esta quarta-feira, que houve uma aproximação do Governo às propostas do partido, mas que ainda não é suficiente para alterar a avaliação feita sobre o Orçamento do Estado para …

Alemanha pode falhar objetivo de doação de vacinas contra a covid-19 (e culpa fabricantes)

A Alemanha pode falhar o seu objetivo de doar 100 milhões de doses de vacinas contra a covid-19 a países mais pobres. Um funcionário do ministério da saúde alemão revelou, numa carta a Bruxelas, que a …