Atalanta 1-2 PSG | Reviravolta épica vale bilhete para as “meias”

David Ramos / EPA

Um final impróprio para cardíacos e o epílogo perfeito num excelente jogo. O PSG esteve a perder desde o minuto 27, mas em apenas três minutos dos descontos deu a volta ao texto diante da Atalanta

A equipa parisiense assegurou nesta quarta-feira no Estádio da Luz presença nas meias-finais da Liga dos Campeões, algo que não alcança desde a temporada 1994/95.

Pasalic inaugurou a contenda e Marquinhos e Choupo-Moting, no cair do pano, escreveram as páginas de uma reviravolta épica. Na próxima terça-feira, os campeões franceses vão defrontar o vencedor do embate entre Leipzig e Atlético de Madrid.

Ambos os conjuntos prometiam uma chuva de golos. Os “bergamasci” apontaram 98 tentos na última edição da Série A e os parisienses chegaram aos 75 na Ligue 1. E o início do embate foi ao encontro desta previsão.

A primeira ameaça chegou logo ao minuto três, num remate de Papu Gómez que, em boa posição, atirou à figura de Keylor Navas. Na resposta, Neymar, isolado por Icardi, falhou o que parecia certo e não inaugurou o marcador.

Início de jogo frenético. Aos 11 minutos, Hateboer, após assistência de Papu, cabeceou e o guardião do PSG respondeu com uma excelente intervenção. Pouco depois, Navas voltou a dizer presente defendendo um remate de cabeça de Caldara, que estava em posição irregular.

Numa fase em que a Atalanta mandava na partida – três remates, dois cantos, quatro cruzamentos, 113 passes e uma eficácia de 80% – e desperdiçava uma série de ocasiões, os parisienses – que tinham até então um remate, nenhum canto, 155 passes feitos, 81% de eficácia e 57% de posse de bola – deram sinais de vida.

Neymar, descaído sobre o lado esquerdo e com muito espaço não quis arriscar, preferiu assistir Icardi mas a bola não chegou ao argentino.

À quinta tentativa, ao minuto 26, a bola chegou aos pés de Pasalic que, com um remate em arco, bateu Keylor Navas e abriu as hostilidades na Luz, numa fase em que o Paris Saint-Germain começava a encontrar antídotos para fugir à forte pressão italiana.

Neymar, sempre ele, tirou tudo e todos do caminho e falhou o empate por escassos centímetros aos 29 minutos.

A quatro do intervalo, o internacional brasileiro desperdiçou o brinde de Hateboer e, em óptima posição, descaído sobre o lado direito, rematou com força, mas sem direcção.

Fruto de uma estratégia bem delineada e imprimindo desde o início uma forte pressão, coordenada e eficaz, a Atalanta apresentou um colectivo mais forte na primeira metade e saiu para o intervalo em vantagem graças à precisão de Pasalic.

Do lado da equipa de Thomas Tuchel, órfã das ausências dos castigados Verratti e Di María e de Mbappé, que não estava a 100% e ficou no banco, apenas deu sinais de vitalidade através da arte e engenho de Neymar, que pecou na finalização e na decisão em três situações soberanas.

Em vantagem, a Atalanta foi menos ambiciosa, recuou cerca de 30 metros no terreno, tentou dar a iniciativa do jogo ao PSG e aproveitar as “costas” da defensiva contrária.

Djimsiti ficou muito próximo do 2-0 aos 58 minutos. O tempo ia passando e Mbappé, que entrou em cena aos 60’, arrancou e apenas Sportielo conseguiu defender o tiro do francês, decorria o minuto 74. Dois volvidos, iniciativa de Neymar, que atirou fraco e à figura do guarda-redes italiano.

Até aos 80, o camisola “7” voltou a protagonizar mais duas tentativas que levaram perigo à área adversária. Era o tudo ou nada dos gauleses em busca da redenção.

Num último suspiro, ao minuto 90, chegou o empate: Choupo-Moting cruzou, a bola foi parar a Neymar, após um cruzamento/remate, este fez a bola chegar aos pés de Marquinhos que empatou a partida, para alegria do PSG e desilusão da Atalanta.

E três minutos depois, chegou a reviravolta épica francesa. Neymar, omnipresente no encontro, gizou o lance, passou a bola a Mbappé que centrou para o tiro certeiro do herói improvável Choupo-Moting. Muriel ainda teve boa ocasião para empatar, mas perdeu-se em fintas…

Resumo

Neymar 8.8 – O talento e determinação de Neymar foram fundamentais para o PSG conseguir ultrapassar o colectivo contrário.

O brasileiro esteve sempre ligado à corrente e só não rubricou uma exibição perfeita porque pecou na finalização, principalmente na etapa inicial.

Ao todo fez seis remates, gizou uma assistência, “inventou” quatro passes para finalização e das 23 (!) tentativas de drible, teve êxito em 16, novo máximo da Champions 2019/20. E ainda sofreu nove faltas – foi o elemento mais castigado – e finalizou a partida com 113 acções com a bola, algo que mais nenhum jogador fez esta quarta-feira.

Pasalic 6.3 –  Substituto do goleador Ilicic, esteve próximo de ser o herói da noite com o belo golo que assinou, mas tudo mudou em apenas três minutos. Enquanto esteve em campo, ajudou a condicionar a primeira fase de construção do PSG. Ao todo, somou 34 acções com a bola em 66 minutos, dois remates, e venceu metade dos seis duelos aéreos ofensivos em que interveio.

PARTILHAR

RESPONDER

Guru de investimentos, Warren Buffett, assume ter cometido um "erro"

O bilionário norte-americano Warren Buffett, considerado o "guru" dos mercados de investimento, assumiu ter cometido um erro quando adquiriu, em 2016, a Precision Castparts por 32,1 mil milhões de euros. Na carta que escreve anualmente para …

Governo "devolve" 59 milhões em TSU às empresas para compensar aumento do salário mínimo

O Governo vai "compensar" as empresas em aproximadamente 59,2 milhões de euros devido ao aumento do salário mínimo nacional, estimou o ECO, tendo por base os dados avançados pelo Executivo aos parceiros sociais. De acordo com …

Decisões tardias, jogos políticos ou desinformação. Por que razão a República Checa não está a conseguir fugir da pandemia

Numa altura em que vários países da Europa começam a pensar em desconfinar, o oposto acontece na República Checa. O país já ultrapassou as 20 mil mortes e volta a entrar num novo confinamento. Mas …

Ministério Público abre inquérito para averiguar adjudicações de vereador de Coimbra

A Procuradoria-Geral da República afirmou esta terça-feira que instaurou um inquérito para averiguar as alegadas adjudicações feitas pelo vereador Jorge Alves, que renunciou ao cargo, nos Transportes Urbanos de Coimbra a uma empresa detida pelo …

Reino Unido. Dados sobre assassinos e violadores não foram enviados para a UE

A condenação no Reino Unido de 109 assassinos, 81 violadores e um indivíduo que cometeu ambos os crimes não foi transmitida aos países da União Europeia (UE) devido a uma falha informática e ao consequente encobrimento …

Vaga de frio no Texas. Mulher processa empresa de energia depois de receber conta de 9.000 dólares

Uma mulher residente no estado do Texas, nos Estados Unidos, avançou com uma ação coletiva de mil milhões de dólares contra o seu fornecedor de energia depois de a empresa apresentar uma conta de eletricidade …

Sérgio Conceição elogia SC Braga e fala de pessoas "subservientes" que querem "tachinhos"

Na antevisão do jogo com o SC Braga, marcado para esta quarta-feira, a contar para a segunda mão das meias-finais da Taça de Portugal, Sérgio Conceição referiu-se a algumas incidências do último dérbi, mostrou-se desagradado …

Arábia Saudita. Repórteres sem Fronteiras pedem acusação do príncipe herdeiro pela morte de Khashoggi

A organização Repórteres Sem Fronteiras (RSF) entrou com uma ação judicial na Alemanha, na qual pede a acusação do príncipe herdeiro saudita Mohammed Bin Salman por crimes contra a humanidade, incluindo o assassinato do jornalista …

População prisional reduziu 18% nos últimos quatro anos

A ministra da Justiça salientou hoje que, nos últimos quatro anos, a população prisional baixou de 13.779, no final de 2016, para 11.300 no final de 2020, o que traduz uma redução de cerca de …

"A rebeldia de João Félix". Imprensa espanhola destaca o temperamento do avançado

João Félix volta a ser o centro das atenções da imprensa desportiva espanhola, depois de na última jornada da La Liga o internacional português celebrar o seu golo com recurso a alguns palavrões em direção …