Encontrada parte da matéria perdida da Via Láctea. Está “trancada” numa nuvem fria

ESA/ATG medialab; fundo - ESO/S. Brunier

Uma equipa de astrónomos usou, pela primeira vez, galáxias distantes como “pinos cintilantes” para localizar e identificar um pedaço da matéria perdida da Via Láctea.

Os cientistas estavam intrigados, há muitas décadas, com o facto de não conseguirem explicar toda a matéria do Universo conforme previsto pela teoria. Embora a maior parte da massa do Universo seja considerada a misteriosa “matéria escura”, 5% é matéria normal que compõe estrelas, planetas e asteróides – e é conhecida como matéria bariónica.

No entanto, a medição direta foi responsável por apenas cerca de metade da matéria bariónica esperada.

Agora, Yuanming Wang, candidatada a doutoramento na Escola de Física da Universidade de Sydney, desenvolveu um método engenhoso para ajudar a rastrear a matéria perdida.

A investigadora aplicou a sua técnica para localizar um fluxo de gás frio até então não detetado na Via Láctea, a cerca de 10 anos-luz da Terra. A nuvem tem cerca de um bilião de quilómetros de comprimento e 10 mil milhões de quilómetros de largura, mas pesa apenas cerca da massa da nossa Lua.

“Suspeitamos que grande parte da matéria bariónica desaparecida existe na forma de nuvens de gás frio, seja nas galáxias ou entre galáxias”, disse Yuanming Wang, em comunicado. “Este gás é indetetável usando métodos convencionais, já que não emite luz visível por si só e é muito frio para ser detetado por radioastronomia”.

A equipa de astrónomos procurou, então, fontes de rádio no fundo distante para ver como “brilhavam”. “Encontrámos cinco fontes de rádio cintilantes numa linha gigante no céu. A nossa análise mostra que a sua luz deve ter passado pela mesma massa fria de gás”, explicou Wang.

Assim como a luz visível é distorcida ao passar pela nossa atmosfera para dar às estrelas o seu brilho, quando as ondas de rádio passam pela matéria, isso também afeta o seu brilho. Foi essa “cintilação” que Wang e os seus colegas detetaram.

“Não temos a certeza do que é a nuvem estranha, mas uma possibilidade é que poderia ser uma nuvem de neve de hidrogénio interrompida por uma estrela próxima para formar um longo e fino aglomerado de gás”, disse Artem Tuntsov, coautor do artigo e investigador da Manly Astrophysics.

O hidrogénio congela a cerca de 260 graus negativos e os teóricos propuseram que parte da matéria bariónica desaparecida no Universo poderia estar trancada nessas “nuvens de neve” de hidrogénio, que são quase impossíveis de detetar diretamente.

“Este é um resultado brilhante para uma jovem astrónoma. Esperamos que os métodos desenvolvidos por Yuanming nos permitam detetar mais matéria perdida”, elogiou Tara Murphy, supervisora de Wang.

“Esta é a primeira vez que vários cintiladores foram detetados atrás da mesma nuvem de gás frio. Nos próximos anos, devemos ser capazes de usar métodos semelhantes para detetar um grande número dessas estruturas de gás na nossa galáxia”.

Esta descoberta adiciona um conjunto crescente de ferramentas para astrónomos na sua busca pela matéria bariónica perdida no Universo.

Este estudo foi publicado em janeiro na revista científica Monthly Notices of the Royal Astronomical Society.

Maria Campos, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Pela primeira vez, cientistas viram chimpanzés a matar gorilas

Investigadores testemunharam, pela primeira vez, chimpanzés e gorilas a lutar entre si, confrontos esses que provocaram a morte de alguns deles. De acordo com o site Science Alert, as duas disputas foram observadas no Parque Nacional …

Vírus com 15 mil anos descobertos no gelo do Planalto do Tibete

Cientistas que estudam glaciares encontraram vírus com quase 15 mil anos em duas amostras de gelo retiradas do Planalto do Tibete, na China. Muitos deles, que sobreviveram porque se mantiveram congelados, são diferentes de todos …

Leite sem lactose em laboratório (e com a ajuda de membranas de óxido de grafeno)

As membranas de óxido de grafeno (uma forma oxidada do material) têm sido muito estudadas para a dessalinização da água e separação de corantes, mas as suas propriedades podem não ficar por aqui. Uma equipa de …

Cientistas criam material de "auto-reparação" mais resistente do mundo (e é perfeito para ecrãs de telemóveis)

Investigadores do Instituto Indiano de Educação e Investigação Científica (IISER, na sigla em inglês) podem ter encontrado o material perfeito para fazer os ecrãs de smartphones: transparente, resistente e que a capacidade de se "auto-curar" …

"A bitcoin vai criar a paz mundial"

A rainha das moedas digitais, se não construir a paz no planeta, vai ajudar na pacificação entre os seres humanos. É a opinião de Jack Dorsey. É o centro de atenções de muitos investidores, é o …

"Burrolandia". Parque temático de burros no México está a tentar salvar estes animais

Um parque temático de burros no México serve de santuário a estes animais que estão aos poucos a desaparecer no país. "O burro ajudou o homem por muito tempo. É hora de retribuirmos o favor", …

Uma mão robótica que joga Super Mario Bros na Nintendo? Sim, existe

Uma equipa de investigadores da Universidade de Maryland, nos Estados Unidos, imprimiu em 3D peças para criar uma mão robótica capaz de jogar Super Mario Bros na Nintendo.  A mão robótica é totalmente montada com circuitos …

"Narco Drones" apanhados a entregar drogas numa prisão chilena

Reclusos e cúmplices no exterior estão a usar drones para contrabandear droga para a prisão mais antiga do Chile. As autoridades chilenas descobriram que o esquema de contrabando tinha como objetivo transportar drogas para a Ex …

Erupção do vulcão Etna causa problemas económicos na Sicília

Nos últimos meses, o vulcão Etna tem estado em constante erupção e o custo de limpeza das cinzas está a deixar muitas cidades da Sicília à beira da falência. O vulcão Etna – um dos mais …

Argentina cria documento de identidade para pessoas não binárias

O Presidente da Argentina anunciou, esta semana, que o país tem um novo documento de identidade para incluir pessoas não binárias. É o primeiro país da América Latina a fazê-lo. De acordo com o chefe de …