Astrónomos amadores captam Júpiter a ser atingido por um asteróide

NASA / JPL-Caltech / Space Science Institute

Júpiter foi atingido este mês por um um corpo celeste não identificado – que pode ser um cometa ou um asteróide – mas o impacto só foi confirmado esta semana com a ajuda de imagens divulgadas por dois astrónomos amadores.

O evento espacial, que aconteceu a 17 de março, foi captado pelo astrónomo amador Gerrit Kernbauer, de Mödling, na Áustria, que gravava um vídeo usando um telescópio de 20 centímetros, do mesmo tipo que é normalmente usado para tirar fotos de alta resolução.

Às 00:18:33 (hora de Lisboa), Gerrit Kernbauer identificou um pequeno brilho num dos extremos de Júpiter, no quadrante superior direito.

A área brilhante poderia ser prova de uma colisão do planeta com outro corpo celeste, mas também poderia ser um defeito da imagem, já que estas “explosões” podem acontecer devido a um reflexo de luz no sistema ótico do telescópio.

Assim, seria necessário que alguém, noutro lugar do mundo, tivesse filmado Júpiter ao mesmo tempo e visto o mesmo brilho.

Eis que o improvável aconteceu: outro astrónomo amador, o irlandês John McKeon, também estava a observar e a gravar o mesmo acontecimento com um telescópio de 28 centímetros, um pouco a norte de Dublin.

Até agora, no entanto, pouco se sabe sobre a natureza do objeto que colidiu com Júpiter.

De acordo com Phil Plate, autor do blog Bad Astronomy (que divulgou as primeiras imagens), trata-se de uma forte evidência de que realmente se trata de um impacto, notando que estas colisões com Júpiter acontecem cerca de uma vez por ano.

Como o brilho foi curto e não muito brilhante, o impacto não parece ter sido muito grande, e o mais provável é que se trate de um corpo celeste com algumas dezenas de metros de diâmetro, um pequeno asteróide ou um pequeno cometa.

Tiro ao alvo cósmico

Algumas dezenas de metros de diâmetro serão o suficiente para causar um brilho na atmosfera de Júpiter? A resposta é “sim”, desde que a velocidade seja suficiente.

Em Júpiter, não só os impactos acontecem a velocidades maiores, mas o próprio planeta tem uma gravidade tremenda, que deve acelerar ainda mais qualquer corpo que esteja em rota de colisão.

Em média, qualquer objeto que colida com Júpiter terá 25 vezes mais energia de impacto do que se fosse contra a Terra. Imagine o asteróide de Chelyabinsk – que tinha cerca de 19 metros e explodiu com a energia de 500 mil toneladas de TNT – a fazer a mesma coisa, mas com 25 vezes mais energia.

Atingir a atmosfera em velocidades maiores tem o mesmo efeito de atingir uma parede sólida. O asteróide acaba por explodir no ar: o ar e a rocha aquecem, a rocha parte-se, as partes continuam a aquecer e volta  partir, numa cascata de rupturas e aquecimentos que dissipa toda a energia cinética do asteróide em apenas um ou dois segundos.

HypeScience

-

No entanto, Júpiter já tem uma longa história de impactos.

Os mais famosos foram a série de impactos do cometa Shoemaker-Levy 9 em 1994, um impacto de 2009 com alguma coisa relativamente grande, os dois impactos de 2010, um em julho e o outro em agosto, e o impacto de setembro de 2012.

Em média, Júpiter sofre um impacto grande o suficiente para ser visto da Terra pelo menos uma vez por ano.

No entanto, não temos um vídeo por ano por que a maioria destes impactos não estão visíveis, ou por que acontecem no lado distante de Júpiter, ou por que Júpiter está demasiado próximo do Sol para poder ser observado.

Além disso, o impacto dura apenas alguns segundos. Imagine observar um filme que pode durar várias horas apenas para observar um evento que dura uma breve fração de segundo.

SNHypeScience

PARTILHAR

RESPONDER

Objeto de Hoag é uma galáxia dentro de uma galáxia (que está dentro de outra galáxia)

Se observar atentamente a Constelação da Serpente poderá ver uma galáxia dentro de uma galáxia que, por sua vez, está dentro de outra galáxia. Este grande mistério do Universo é conhecido como Objeto de Hoag. Descoberto …

Parker Solar Probe lança nova luz sobre o Sol

Em agosto de 2018, a Parker Solar Probe da NASA foi lançada para o espaço, tornando-se pouco tempo depois a sonda mais próxima do Sol. Com instrumentos científicos de ponta para medir o ambiente em …

Encontrado no mar das Malvinas navio alemão da I Guerra Mundial 105 anos depois de naufragar

O naufrágio de um cruzador alemão da I Guerra Mundial foi identificado nas Ilhas Malvinas, onde foi afundado pela Marinha britânica há 105 anos. O SMS Scharnhorst foi o principal ativo da esquadra alemã na Ásia …

Boavista 1-4 Benfica | Águia goleia no xadrez do Bessa

O Benfica deu o pontapé de saída da 13ª jornada com uma vitória competente na visita ao Boavista, por 4-1. Num jogo potencialmente perigoso para as aspirações “encarnadas”, frente a um adversário com somente uma derrota …

Cientistas desenvolvem técnica para determinar o humor através da caligrafia

Uma equipa de cientistas estudou a biomecânica dos movimentos das mãos a escrever e a desenhar, e desenvolveu um método para avaliar as propriedades individuais da velocidade de escrita e da pressão do lápis no …

Quase seis mil denúncias de agressões sexuais em viagens da Uber nos EUA

A plataforma de transporte de passageiros Uber divulgou na quinta-feira um relatório, revelando quase seis mil denúncias de agressões sexuais a utilizadores, motoristas e terceiros nos Estados Unidos (EUA), em 2017 e 2018. No relatório de …

Polícia de Los Angeles vai usar dispositivo "ao estilo Batman" para prender suspeitos

A polícia de Los Angeles, nos Estados Unidos, vai adotar, no início do próximo ano, um novo dispositivo, conhecido como BolaWrap 100, que dispara um cinto de fibra sintética a uma velocidade de 200 metros …

Corriere dello Sport defende-se das acusações e garante ser "inimigo do racismo"

O jornal desportivo italiano Corriere dello Sport afirmou esta sexta-feira ser “inimigo do racismo”, defendendo-se das críticas motivadas pela manchete de quinta-feira, com o título “Black Friday” e ilustrada com os futebolistas negros Romelu Lukaku …

Alisadores e tintas para cabelo podem aumentar o risco de cancro da mama

Alisadores e tintas para cabelo são dois produtos comummente utilizados por mulheres. Um novo estudo sugere que estes podem aumentar o risco de cancro da mama, especialmente em mulheres negras. Muitos produtos capilares contêm compostos que …

Black Friday. Marca de cosméticos oferece por engano desconto de 96% e perde 10 milhões em duas horas

Uma falha no site oficial da marca de produtos cosméticos Foreo fez com que o seu artigo mais caro fosse vendido com um desconto de 96%, fazendo com que a empresa sueca perdesse 10 milhões …