Arouca 1-0 Sporting | Leão em gestão sofre trambolhão inédito

Octávio Passos / Lusa

Inédito. Nunca o Sporting havia perdido com o Arouca, em 13 duelos entre os dois emblemas, mas na noite deste sábado, a contar para a 11ª jornada da Liga bwin, finalmente aconteceu.

Os “leões” mexeram muito no “onze” inicial, não deixaram de ser mandões e dominadores, mas a falta de inspiração na finalização, a boa exibição do guardião da casa e um golo solitário de João Basso definiram o resultado final. Esta foi a quarta derrota no campeonato para o Sporting, que está a 12 pontos do líder Benfica.

Muitas mexidas, pouca eficácia

Apesar das muitas mexidas no “onze” titular, com as apostas em Nazinho, Essugo, Rochinha, Esgaio e Arthur, o Sporting entrou forte, muito pressionante e veloz, com intensidade e criou os principais lances de perigo da partida. Até ao intervalo foram quatro as ocasiões flagrantes desperdiçadas pelo “leão”, por Arthur, Trincão, Gonçalo Inácio e Rochinha. O Arouca ia causando perigo no contra-ataque e Bukia teve nos pés a melhor oportunidade, negada por Adán.

O melhor em campo ao descanso era, porém, um nome de créditos firmados. Pedro Gonçalves, a jogar a médio-centro, registava um GoalPoint Rating de 7.1, graças a duas ocasiões flagrantes criadas em quatro passes para finalização, um passe de ruptura e três dribles completos em quatro tentativas.

O segundo tempo, porém, começou com o golo do Arouca. Logo aos 47 minutos, canto da direita e, nas alturas, Basso saltou mais alto e cabeceou com sucesso para o 1-0. O “leão” ficava em piores lençóis, pois tinha dois golos para marcar e o Arouca pôde recuar ainda mais.

O Sporting lançou algumas das suas principais figuras, como Nuno Santos, Edwards, Porro ou Ugarte, atacou muito nesta etapa complementar e continuou a desperdiçar ocasiões, ora por desinspiração atacante, ora por inspiração do guardião do Arouca, Ignacio De Arruabarrena.

Melhor em campo

E foi exactamente o guardião uruguaio o melhor em campo. Ignacio de Arruabarrena fez um belo jogo, em especial na segunda parte, altura em que realizou uma defesa incrível, num total de seis paradas. Dessas, quatro aconteceram a remates na sua na grande área, e terminou ainda com três saídas a soco, duas aéreas eficazes e nada menos que 1,2 golos evitados. O GoalPoint Rating de 8.1 faz-lhe justiça.

Destaques do Arouca

João Basso 7.8

Presença assídua em “onzes” da jornada e do mês, João Basso não tirou este rating por acaso. Um dos bons centrais desta Liga, marcou o golo decisivo, de cabeça, e depois fez sete recuperações de posse e somou 15 acções defensivas, com destaque para quatro intercepções e oito alívios, ambos máximos (partilhados).

Antony 6.6

O extremo apanhou Esgaio e depois Porro pela frente, mas não se amedrontou. Antony criou uma ocasião flagrante e depois fartou-se de trabalhar, registando quatro acções defensivas no meio-campo contrário (máximo) e quatro intercepções (máximo com Basso), além de três bloqueios de passe/cruzamento.

Dabbagh 5.9

O atacante palestiniano deu muito trabalho à defesa leonina, tendo mesmo criado uma ocasião flagrante em dois passes para finalização.

Destaques do Sporting

Pedro Gonçalves 6.8

O melhor elemento da primeira parte continuou em bom plano, mas também com pouca inspiração ofensiva. “Pote” foi, acima de tudo, um elemento de construção, criando duas ocasiões flagrantes em cinco passes para finalização (máximo) e um passe de ruptura. Mesmo jogando mais a médio-centro do que ofensivo somou seis acções com bola na área contrária, máximo com Edwards, e completou três de quatro tentativas de drible.

Adán 6.8

Os arouquenses nunca deixaram de atacar e, quando o fizeram, Adán esteve em bom plano, somando quatro defesas, duas a remates na sua área, e duas saídas pelo solo eficazes.

Arthur 6.6

Um dos elementos mais adiantados dos “leões”, o brasileiro esteve muito activo e móvel na frente de ataque. Além de ter criado uma ocasião flagrante em quatro passes para finalização, teve sucesso em três de seis cruzamentos e só falhou dois de 31 passes.

Ugarte 5.9

O uruguaio entrou na segunda parte a tempo de criar uma flagrante em dois passes para finalização, completar 40 de 43 passes e realizar seis recuperações de posse.

Coates 5.8

Voltou a assumir-se como uma alternativa de ataque quando as coisas não corriam bem, como atestam os quatro remates realizados, máximo do jogo a par de Porro. Coates falhou apenas cinco de 76 passes, fez dez aproximativos (máximo) e dois super aproximativos, dois bloqueios de remate e ganhou os cinco duelos aéreos em que participou.

Nazinho 5.4

Jogo discreto do jovem ala que, ainda assim, ganhou dois dos três duelos aéreos defensivos em que participou e fez um passe para finalização.

Porro 5.3

Entrou para o lugar de Esgaio para dar mais acutilância ofensiva ao flanco direito e conseguiu-o, registando quatro remates em pouco menos de meia parte. Fez dois passes para finalização, mas a sua nota é penalizada por uma ocasião flagrante falhada.

Essugo 5.2

O jovem médio registou interessantes sete recuperações de posse, um dos máximos do jogo, mas pouco mais.

Resumo

  // GoalPoint

 

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.