Arizona vai executar presos com o mesmo gás usado em Auschwitz

Há documentos que mostram que o Estado do Arizona, nos EUA, está a planear o uso de cianeto de hidrogénio na execução de presos condenados à pena de morte. É o mesmo gás que os Nazis usaram nos campos de concentração, nomeadamente em Auschwitz, onde mataram milhares de pessoas.

O jornal britânico The Guardian teve acesso a documentos que provam que o Departamento Prisional do Arizona gastou mais de 2 mil dólares (cerca de 1600 euros) na aquisição de ingredientes para fazer cianeto de hidrogénio.

Durante o regime nazi, o gás, também conhecido pelo nome de Zyklon B, foi usado para matar cerca de um milhão de pessoas nos campos de concentração.

Em Dezembro passado, o Arizona terá adquirido “um tijolo sólido de cianeto de potássio” por 1.530 dólares (cerca de 1250 euros), de acordo com o diário. Mas também comprou hidróxido de sódio e ácido sulfúrico que são utilizados para fabricar o gás letal, segundo a mesma publicação.

Além disso, o Departamento Prisional terá também recuperado a câmara de gás desactivada pelo Estado há 22 anos. Em Agosto passado, já terão sido feitos “testes” para avaliar sua “operabilidade”, ainda segundo o Guardian.

“As vedações nas janelas e nas portas foram verificadas para garantir a estanqueidade e os drenos sem obstruções”, aponta o jornal, notando que foi usada água em vez de químicos tóxicos, “com uma granada de fumaça acesa para simular o gás”.

Os funcionários terão recorrido a métodos “primitivos” para testar a segurança da câmara, nomeadamente “uma vela”, segundo a mesma publicação.

A câmara de gás já terá sido dada como operacional e, portanto, os condenados à morte do Arizona poderão escolher ser executados dessa forma ou recebendo uma injecção letal de pentobarbital, um sedativo. Este é o método mais usado em todos os Estados norte-americanos que aplicam a pena de morte.

“Agonizante sufocamento e engasgamento”

O alemão Walter LaGrand foi a última pessoa a ser executada na câmara de gás do Arizona, em 1999, depois de ter sido condenado pelo roubo a um banco, onde morreu uma pessoa em 1982. Ele terá demorado 18 minutos a morrer e um jornal local descreveu os seus últimos momentos como de “agonizante sufocamento e engasgamento”.

O mais recente condenado a ser executado à morte no Arizona foi Joseph Wood, em 2014. O homem de 55 anos, condenado por ter morto a ex-namorada e o pai dela em 1989, levou duas horas a morrer após ter sido injectado com 15 doses de uma mistura experimental de drogas cuja composição nunca foi revelada.

Após um interregno de sete anos, o Arizona estará, agora, a tentar retomar as execuções. Actualmente, o Estado tem 115 pessoas no corredor da morte, segundo o The Guardian.

Dois condenados de 65 anos são os mais prováveis candidatos a serem os primeiros executados a breve prazo – Frank Atwood, considerado culpado da morte de uma menina de 8 anos, e Clarence Dixon, sentenciado pela morte de uma estudante em 1978.

O advogado de Frank Atwood, Joseph Perkovich, salienta ao The Guardian que nenhum dos métodos de execução “é sustentável”. Ele continua a tentar provar a inocência do seu cliente, mas salienta que “Frank Atwood está preparado para morrer”.

“Ele é um homem de fé Ortodoxa Grega e está a preparar-se para esse momento. Mas não quer ser torturado, nem sujeitado a uma execução malfeita”, atesta Joseph Perkovich.

Susana Valente, ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Sondas espaciais com "cunho" português vão passar perto de Vénus

As sondas espaciais europeias Solar Orbiter e BepiColombo, ambas com tecnologia e ciência portuguesas, vão passar perto de Vénus a 9 e 10 de agosto, respetivamente, anunciou esta segunda-feira a Agência Espacial Europeia (ESA). A passagem …

Elvis Presley terá morrido de doenças genéticas (e não por overdose de medicamentos)

Segundo um novo livro de Sally Hoedel, a morte de Elvis Presley estará, afinal, relacionada com o tratamento para doenças congénitas das quais sofria. O cantor norte-americano, que morreu há quase 44 anos, estava fortemente medicado …

A cidade mais populosa de África está a viver em contra-relógio

Os habitantes da Nigéria, o país mais populoso de África, já estão habituados a contornar as inundações anuais que invadem o país. No entanto, este ano a situação saiu fora do controlo, com o principal …

"Pensávamos que a Casa Branca mandava". Biden sob fogo devido ao fim da proibição dos despejos

A inacção de Joe Biden perante o fim das moratórias que proíbem os despejos durante a pandemia está a ser criticada até dentro do próprio Partido Democrata. A moratória federal aos despejos acabou este sábado, para …

Na ausência de Biles, Sunisa Lee coroou-se rainha da ginástica. É a primeira hmong a ganhar ouro

Sunisa Lee chegou a Tóquio com a missão de ajudar os Estados Unidos a garantir o ouro e de garantir a presença em finais individuais de aparelhos. Com o abandono de Biles, tornou-se a estrela …

Presidente afegão culpa retirada “abrupta” dos EUA pelo rápido avanço dos talibãs

O chefe de Estado afegão prometeu vencer o conflito com as milícias talibãs e os Estados Unidos dizem-se prontos a receber mais milhares de refugiados. O Presidente do Afeganistão, Ashraf Ghani, prometeu esta segunda-feira vencer o …

42% das pessoas em enfermaria no Hospital de são João têm vacinação completa

No Centro Hospitalar de São João (CHSJ), 42% das pessoas internadas em enfermaria e 15% das internadas em unidades de cuidados intensivos tinham a vacinação completa. Segundo os últimos dados da Direção-Geral da Saúde (DGS), apenas …

António Oliveira e uma arbitragem "conveniente"

Athletico Paranaense perdeu novamente no Brasileirão e a equipa de arbitragem ajudou os vencedores, queixou-se o treinador português. O Athletico Paranaense, líder do Brasileirão nas primeiras jornadas, está numa fase negativa: apenas uma vitória nas últimas …

André Ventura - Chega

Autárquicas. Chega concorre sozinho a 220 municípios para avaliar o seu "impacto"

André Ventura anunciou esta segunda-feira que o Chega irá concorrer nas eleições autárquicas a “cerca de 220 municípios” do país, sublinhando que o partido vai a votos sozinho para avaliar o seu “impacto”, mas sem …

Ex-guarda nazi julgado aos 100 anos por cumplicidade em assassinatos

Um homem de 100 anos que supostamente serviu como guarda num campo de concentração nazi será julgado em outubro por cumplicidade no assassinato de mais de 3.500 pessoas durante a Segunda Guerra Mundial, informou a …