Apenas 18% dos medicamentos fora de prazo são recolhidos pelo sistema que os trata

Apenas cerca de 18% das embalagens ou dos medicamentos fora de prazo são recolhidos pelo sistema que os trata, denunciou a associação Zero, alertando que “são urgentes medidas que melhorem a recolha e previnam a poluição”.

De acordo com a associação, citada pelo Expresso no domingo, existe uma “muito baixa” taxa de recolha de resíduos de embalagens e de medicamentos. Em comunicado, chamou a atenção para a necessidade de se sensibilizar os consumidores, os produtores de medicamentos e os decisores políticos para o problema.

Com base na análise do relatório de atividades da entidade responsável pela gestão dos resíduos de embalagens vazias e medicamentos fora de uso – a VALORMED, que gere o Sistema Integrado de Resíduos de Embalagens e Medicamentos (SIGREM) – os ambientalistas constataram que “apenas cerca de 18% destes resíduos” estão a ser entregues nas farmácias para reciclagem.

Não se sabe o que acontece aos restantes 82%, se ficam nas gavetas, se vão parar ao lixo comum, se vão pela sanita abaixo ou que outro destino terão, sublinhou o Expresso.

Em 2018, o número de embalagens colocadas no mercado e declaradas pela indústria farmacêutica terá gerado, segundo a Zero, “um potencial de 5.954 toneladas de resíduos”. Contudo, apenas foram entregues nas farmácias 1.051 toneladas de restos de embalagens de medicamentos e outros resíduos que não são tratados por este sistema.

Em 2020, a meta é recolher 20% das embalagens de medicamentos, e a taxa nacional está aquém disso. Os números apresentados pela VALORMED demonstram “uma quase estagnação dos indicadores de desempenho do sistema”, disse a Zero.

Para inverter esta tendência, os ambientalistas alertaram para “a necessidade urgente de se repensar o modelo de funcionamento do sistema” e propõem “o alargamento dos pontos de recolha” à rede de parafarmácias bem como a “aplicação de incentivos” para intensificar a colaboração dos consumidores no encaminhamento dos resíduos.

Apontam ainda numa aposta em estratégias de comunicação e de informação mais eficazes junto de consumidores e profissionais de saúde e a redução das embalagens de modo a serem mais ajustadas à necessidade terapêutica e gerarem menos desperdício.

O alargamento dos pontos de recolha à rede de parafarmácias “já se encontra aprovado pela Agência Portuguesa do Ambiente desde março deste ano”, indicou a Zero. Contudo, o despacho que determina essa aprovação continua por aprovar, lembrou.

Os ambientalistas frisaram também que, apesar das melhorias no tratamento de água para consumo e das águas residuais, tem sido cada vez mais detetada “a presença de compostos farmacêuticos nas massas de água”, devido, em parte, “à incorreta deposição de restos de medicamentos no sistema de saneamento”. Ao irem para a rios ou ao mar, “aumenta o risco de entrada na cadeia alimentar de substâncias cuja toxicidade é suscetível de alterar significativamente o metabolismo dos seres vivos”.

ZAP // //

PARTILHAR

RESPONDER

Vai ser preciso "ser-se rico" para visitar a famosa Ilha de Komodo

Em breve, os turistas que queiram visitar a Ilha de Komodo, o famoso lar de mais de 5.000 dragões de Komodo, terão de ser ricos. O aviso é do Governo local indonésio, que chegou mesmo …

Sócrates saúda saída da prisão de Lula. "Sei que estás em festa, pá"

O antigo primeiro-ministro José Sócrates, acusado de corrupção, considerou que a saída da prisão de Lula da Silva representou uma "reentrada no mundo" do ex-chefe de Estado brasileiro, acontecimento em relação ao qual o PS, …

Ministra da Justiça visitou mãe que abandonou bebé no lixo

A mãe que abandonou o bebé no caixote do lixo em Lisboa está bem de saúde e a receber apoio psicológico, constatou a ministra da Justiça, que esta sexta-feira visitou a jovem na cadeia de …

Ex-embaixadora dos EUA na Ucrânia acusa Trump de intimidação

Marie Yovanovitch, antiga embaixadora dos Estados Unidos na Ucrânia, denunciou esta sexta-feira a existência de uma campanha para a descredibilizar levada a cabo por Donald Trump com ajuda de ucranianos, no inquérito para a destituição …

Subida do Salário Mínimo Nacional vai aumentar as propinas

A subida do Salário Mínimo Nacional para os 635 euros em 2020, vai ter influência em valores a pagar ou a receber, nomeadamente nas propinas mínimas do Ensino Superior público e nos tectos do Fundo …

É essencial um acordo internacional para taxar “gigantes” tecnológicos, defende Costa

O secretário-geral do PS, António Costa, considerou esta sexta-feira insustentável do ponto de vista social a situação em que classes médias e pequenas empresas suportam a maior parte do esforço fiscal e defendeu um acordo …

Lisboa entre as cidades com trânsito mais caótico do mundo

Um estudo da Mister Auto - marca líder de mercado na venda de peças para automóveis - agora divulgado revelou que Lisboa está na 74.ª posição no 'ranking' das cidades mais circuláveis. Ou seja, muito …

Parlamento rejeita reforçar subsídio de doença para doentes crónicos e oncológicos

A Assembleia da República rejeitou esta sexta-feira, na generalidade, reforçar o subsídio de doença para doentes crónicos, oncológicos ou graves. Em causa estavam dois projetos de lei de Bloco de Esquerda e PCP e um projeto …

Vacas levadas pelo furacão Dorian aparecem dois meses depois

Três vacas desapareceram de uma ilha na Carolina do Norte, em setembro, na sequência do furacão Dorian. Nas últimas semanas, foram encontradas a oito quilómetros de distância. As três vacas desaparecidas de uma ilha na Carolina …

Criptomoedas são "péssima ideia" e interferem com a política monetária

O Nobel da Economia de 2007, Eric Maskin, afirmou, em entrevista à Lusa, que as criptomoedas são uma "péssima ideia", alertou que interferem com as medidas de política monetária e partilhou que tem esperança que …