Antropólogos descobrem o que unia os humanos antes das religiões

(dr) Johannes Krause / Museum of the Krapina Neanderthals

Recriação de uma cena da vida de um grupo de Neandertais

Um novo estudo de investigadores do London’s College sugere que a troca de contos tradicionais de povos antigos servia como instrumento universal para o estabelecimento de relações entre tribos.

As histórias e mitos dos povos antigos serviam como meio para unir a população, conclui um estudo de uma equipa de antropólogos da London’s College, publicado esta semana na revista Nature Communications.

Muitos antropólogos aceitam a teoria de que as religiões apareceram com o objetivo de manter a ordem social e o fortalecimento dos vínculos entre membros. No entanto, segundo avança este estudo, os povos antigos tinham outras formas de desenvolver relações, posto que as primeiras religiões apareceram há uns 13 a 15 mil anos.

Um dos autores do trabalho da universidade britânica, Andrea Migliano, estudou com a sua a equipa a vida de uma tribo indígena das Filipinas, os agta, caçadores coletores e que viviam alheios às “tecnologias” da altura.

Os especialistas lembraram que os também conhecidos como aeta concediam um respeito especial aos membros da comunidade que contavam as melhores histórias.

Os investigadores universitários pediram aos agta que lhes contassem histórias e fábulas tradicionais da sua tribo e perceberam que a maior parte dos contos falava no valor da cooperação, a importância das normas sociais, a igualdade de género e a proibição do uso da violência como instrumento para a solução de conflitos.

Além disso, os melhores narradores, homens e mulheres, tinham vantagens dentro da tribo. Eram especialmente respeitados pelos outros membros e tinham em média mais 0,5 filhos do que os demais.

Assim, segundo concluíram os cientistas britânicos, a tradição de contar histórias serviu de protótipo para as religiões que viriam a aparecer mais tarde, ao longo da história da Humanidade.

ZAP ZAP // RT

PARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

      • Com essa inteligência toda já deve ter uns quantos prémios Nobel aí na estante! As religiões são uma forma, que os povos ao longo da história, tiveram para tentar explicar o que não entendiam. Pode aprender-se muito estudando as religiões. Na sua quase totalidade foram ultrapassadas pelo conhecimento adquirido, mas contribuiram imenso para para o panorama cultural dos povos.
        A excepção são o Judaísmo e o Cristianismo que são pilares basilares da civilização ocidental. Quanto mais se tenta irradicar a sua influência e o seu papel na nossa sociedade mais ela se afunda.
        Sem o Cristianismo e a Igreja Católica, a europa seria como os países do Médio Oriente de forte influência islâmica… alias lá chegaremos dentro de pouco tempo. Teremos então oportunidade de avaliar qual das duas culturas nos trouxe mais benefícios.

RESPONDER

"Das palavras aos atos". Marcelo com mais de 60% de mulheres na sua equipa no segundo mandato

O Presidente da República considerou este domingo que os passos dados para salvaguardar a igualdade de género em Portugal não são ainda suficientes e afirmou que quis passar "das palavras aos atos" com mais mulheres …

Governo dá 19,8 milhões às escolas para testes rápidos. Ensino privado também quer

O Conselho de Ministros aprovou, este domingo, uma resolução que permite às escolas e ao setor solidário efetuar despesa na realização de testes rápidos de antigénio à covid-19, num montante global de 19,8 milhões de …

Afinal, abandonar Montijo não obriga a indemnizar ANA (e há quem defenda opção Beja)

A alteração do local do novo aeroporto na sequência da avaliação ambiental estratégica não obriga ao pagamento de qualquer indemnização à ANA. De acordo com o esclarecimento do Ministério das Infraestruturas, uma eventual alteração do local …

Descoberta nova relação entre a biodiversidade dos animais e das florestas

Uma análise ao registo de imagens de 15 reservas de vida selvagem em florestas tropicais revelou uma relação até então desconhecida entre a biodiversidade de vários mamíferos e as florestas em que vivem. As florestas tropicais …

Pelo menos 17 mortos e 400 feridos em explosões na Guiné Equatorial

Pelo menos 17 pessoas morreram e outras 400 ficaram feridas após várias explosões registadas, este domingo, num quartel militar na cidade de Bata, na Guiné Equatorial, informaram as autoridades. De acordo com dados do Ministério da …

Marques Mendes antecipa desconfinamento a 15 de março. Creches e 1º ciclo são os primeiros a abrir

No seu habitual espaço de comentário na SIC, Luís Marques Mendes revelou, este domingo, que as creches, pré-escolar e 1º ciclo deverão abrir já a 15 de março. Segundo o comentador, o plano que vai ser …

Olivier Dassault, deputado bilionário francês, morre em acidente de helicóptero

O deputado francês Olivier Dassault, neto do fundador da Dassault Aviation, morreu este domingo, aos 69 anos, num acidente de helicóptero, no nordeste de França, avança a Agência France-Press (AFP). O acidente aconteceu este domingo perto …

Teoria ensinada na escola pode estar errada. Há um "núcleo mais interno" no centro da Terra

Uma equipa de investigadores da Universidade Nacional da Austrália confirmou, rastreando milhares de modelos numéricos, a existência do "núcleo mais interno" nas profundezas da Terra.  Na escola, os estudantes costumam aprender que o planeta Terra é …

Sonda passa ao lado de Vénus, tira-lhe uma fotografia e surpreende cientistas da NASA

A imagem obtida pelo Wide-field Imager (WISPR) da Parker Solar Probe foi capturada a 12.380 quilómetros de Vénus. A Parker Solar Probe, da NASA, capturou vistas deslumbrantes de Vénus em julho de 2020. O alvo da …

Cientista descobre espécie extinta de ganso através de uma pintura egípcia

Uma famosa pintura que estava originalmente no túmulo do príncipe egípcio Nefermaat levou um cientista a descobrir uma espécie de ganso já extinta. A cena "gansos de Meidum", originalmente pintada no túmulo do príncipe Nefermaat, encontra-se …