Antropólogos descobrem o que unia os humanos antes das religiões

(dr) Johannes Krause / Museum of the Krapina Neanderthals

Recriação de uma cena da vida de um grupo de Neandertais

Um novo estudo de investigadores do London’s College sugere que a troca de contos tradicionais de povos antigos servia como instrumento universal para o estabelecimento de relações entre tribos.

As histórias e mitos dos povos antigos serviam como meio para unir a população, conclui um estudo de uma equipa de antropólogos da London’s College, publicado esta semana na revista Nature Communications.

Muitos antropólogos aceitam a teoria de que as religiões apareceram com o objetivo de manter a ordem social e o fortalecimento dos vínculos entre membros. No entanto, segundo avança este estudo, os povos antigos tinham outras formas de desenvolver relações, posto que as primeiras religiões apareceram há uns 13 a 15 mil anos.

Um dos autores do trabalho da universidade britânica, Andrea Migliano, estudou com a sua a equipa a vida de uma tribo indígena das Filipinas, os agta, caçadores coletores e que viviam alheios às “tecnologias” da altura.

Os especialistas lembraram que os também conhecidos como aeta concediam um respeito especial aos membros da comunidade que contavam as melhores histórias.

Os investigadores universitários pediram aos agta que lhes contassem histórias e fábulas tradicionais da sua tribo e perceberam que a maior parte dos contos falava no valor da cooperação, a importância das normas sociais, a igualdade de género e a proibição do uso da violência como instrumento para a solução de conflitos.

Além disso, os melhores narradores, homens e mulheres, tinham vantagens dentro da tribo. Eram especialmente respeitados pelos outros membros e tinham em média mais 0,5 filhos do que os demais.

Assim, segundo concluíram os cientistas britânicos, a tradição de contar histórias serviu de protótipo para as religiões que viriam a aparecer mais tarde, ao longo da história da Humanidade.

ZAP // RT

PARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

      • Com essa inteligência toda já deve ter uns quantos prémios Nobel aí na estante! As religiões são uma forma, que os povos ao longo da história, tiveram para tentar explicar o que não entendiam. Pode aprender-se muito estudando as religiões. Na sua quase totalidade foram ultrapassadas pelo conhecimento adquirido, mas contribuiram imenso para para o panorama cultural dos povos.
        A excepção são o Judaísmo e o Cristianismo que são pilares basilares da civilização ocidental. Quanto mais se tenta irradicar a sua influência e o seu papel na nossa sociedade mais ela se afunda.
        Sem o Cristianismo e a Igreja Católica, a europa seria como os países do Médio Oriente de forte influência islâmica… alias lá chegaremos dentro de pouco tempo. Teremos então oportunidade de avaliar qual das duas culturas nos trouxe mais benefícios.

RESPONDER

Lei aprovada no Parlamento pretende facilitar prescrições de multas a partidos políticos

O projeto foi aprovado na generalidade no Parlamento, e está em discussão na especialidade. A Entidade das Contas e Financiamentos Políticos (ECFP) teme os efeitos da nova legislação sobre as prescrições de multas a partidos …

Noiva de Khashoggi processa príncipe herdeiro saudita

Hatice Cengiz, noiva de Jamal Khashoggi, colocou um processo contra o príncipe herdeiro saudita Mohammed bin Salman e outros alegados mentores do assassínio. A noiva do jornalista Jamal Khashoggi, assassinado na Turquia em outubro de …

Papa Francisco defende pela primeira vez uniões de facto para casais homossexuais

O Papa Francisco defendeu a regulação do casamento civil entre pessoas do mesmo sexo, afirmando que os homossexuais têm direito a constituir família. "Homossexuais têm o direito de constituir família. São filhos de Deus", defendeu o …

“Uma desgraça completa”. Ex-ministro do PSD arrasa atuação do Ministério da Saúde no combate à pandemia

O antigo governante do PSD Fernando Leal da Costa acusou esta quarta-feira o Ministério da Saúde de “falta de liderança” na gestão da pandemia de covid-19, e falou até de “uma desgraça completa” do ponto …

Ministro defende que investimento nas Forças Armadas “é tão relevante” como na saúde

O ministro da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho, destacou o papel das Forças Armadas no combate à pandemia de covid-19 e defendeu que o investimento público nesta área “é tão relevante” quanto na saúde ou …

Giro. João "Rosa" Almeida segura liderança da geral

O português João Almeida (Deceuninck-QuickStep) manteve esta quarta-feira a liderança da Volta a Itália em bicicleta, numa 17.ª etapa ganha pelo australiano Ben O'Connor (NTT). O'Connor, de 24 anos, cumpriu os 203 quilómetros entre Bassano del …

Investimento público atinge máximo de uma década em 2021

Dados do relatório do Orçamento do Estado mostram que o Governo conta terminar 2020 com um investimento público de 4.884 milhões de euros (75 milhões de euros a menos do que a previsão do Orçamento …

Audições urgentes pedidas pelo PS sobre StayAway Covid são por escrito ou em dezembro

O Parlamento aprovou, esta terça-feira, a audição de entidades e personalidades sobre a obrigatoriedade da aplicação Stayaway Covid, proposta pelo PS, "com caráter de urgência", por escrito ou em dezembro, após o debate do Orçamento …

Taxa de nascimentos de linces no Vale do Guadiana é a mais alta da Península Ibérica

A taxa de nascimentos na população de linces ibéricos no Vale do Guadiana é a mais elevada da Península Ibérica, segundo os resultados dos censos 2019 divulgados hoje pelo Instituto da Conservação da Natureza e …

Pai de aluna teria ligações ao assassino do professor decapitado em França

Os investigadores encontraram uma possível ligação entre o assassino do professor francês Samuel Paty, decapitado em Paris, e o pai de uma aluna. Em declarações à AFP, citadas pelo Diário de Notícias, uma fonte próxima do …