Ex-Comandante Nacional desviou meios do grande incêndio de Mação

A fita do tempo veio confirmar as suspeitas que o presidente da câmara de Mação, Vasco Estrela, que falava num desvio de meios e equipas no primeiro incêndio que tomou conta do concelho.

No início de setembro, o autarca de Mação, concelho que foi fustigado por dois fogos durante o verão, tinha acusado o então comandante da Proteção Civil, Rui Esteves, de má gestão dos incêndios.

Vasco Estrela criticava o número 1 da Proteção Civil, que entretanto se demitiu depois de ter sido alvo de um inquérito à licenciatura, acusando-o de ter desviado meios e equipas de Grupos de Intervenção Permanente (GIP) da GNR para outros concelhos, deixando críticas ao teatro de operações.

O presidente da Câmara de Mação uniu-se ao deputado do PSD, Duarte Marques, e ambos garantiam avançar com uma queixa à Inspeção-Geral da Administração Interna. “Vou aguardar pelas respostas da ministra e, depois de ter as respostas na mão, vou preparar uma queixa à IGAI, para que se apure o que se passou e se apurem as responsabilidades do responsável máximo pela coordenação dos meios, o comandante nacional”.

Agora, depois de Vasco Estrela ter recebido a fita do tempo, que lhe foi encaminhada pelo Ministério da Administração Interna, comprovou-se que Rui Esteves desviou meios do grande incêndio que, em julho, devastou o concelho de Mação, contrariando o comandante distrital que alertava para a gravidade das chamas, avança a TSF.

O documento é claro ao dizer que o Grupo de Reforço para Incêndios Florestais vindo de Aveiro foi retirado do teatro de operações por ordem do então Comandante Operacional Nacional (CONAC) da Autoridade Nacional de Proteção Civil.

Vasco Estrela contesta a decisão e diz não fazer qualquer sentido alguém a 200 quilómetros do local do incêndio contrariar a decisão do comandante distrital que se encontrava no terreno, lembrando ainda que foi a partir dessa decisão que o fogo se tornou incontrolável, acabando por lavrar 18 mil hectares e destruir 15 casas de primeira habitação, atingindo 50 localidades e obrigando a evacuar 200 pessoas.

Será que existiram outros casos do género pelo país?“, questiona agora Vasco Estrela, que depois de receber a fita do tempo já enviou uma queixa à Inspeção-Geral da Administração Interna (IGAI) para investigar o que se passou em Mação e o comportamento da Autoridade Nacional de Proteção Civil.

Quanto às razões pelas quais Rui Esteves terá procedido dessa forma, o autarca especula que, podendo não ter nada a ver com o caso, Rui Esteves já tinha sido comandante distrital em Castelo Branco, exatamente o distrito onde aconteciam os fogos e para onde foram mobilizados os meios retirados de Mação.

ZAP //

PARTILHAR

8 COMENTÁRIOS

  1. Quem é responsável? Quem deu a ordem. Enquanto as pessoas que estão nos cargos não forem responsabilizadas (e não o Estado) não vamos a lado nenhum. Porque numa empresa se um funcionários falhar normalmente quem paga é o funcionário á empresa, mas neste país dos BANANAS dos Portugueses nada acontece a quem comete falhas e mais falhas… Não é o contribuinte que deve pagar mas sim quem devia de trabalhar c/ competência e não o faz…

    • Sr nfcm, uma correção no seu comentário, quando existem falhas cometida por funcionários de uma determinada empresa, quem fica com o prejuízo é a empresa, nunca vi o funcionário a pagar à empresa pelos próprios erros, mas já vi várias vezes as empresas indemnizarem os funcionários após as falhas dos mesmos, para com eles próprios.

  2. Porque não se faz já uma queixa ao Ministério Publico para investigar se existe crime na actuação daquele Sócrates à moda saloia?
    Para quê fazer uma inspecção para depois se decidir que não senhora, ele decidiu como achava q tinha q decidir ????

    • O incêndio de Mação era mais importante que os outros? Ou quando os meios são escassos tem de se dividir o mal pelas aldeias? Pois eu ouvi, na televisão, o Sr Presidente da Mação dizer que o concelho dele era dos que estava melhor preparado para não ter incêndios, pois tinham investido muito na protecção da floresta, Afinal parece que foi tudo propaganda, estava como estavam os outros. E depois queria os meios todos para ele e os outros que se lixa………..

        • mv e Rui Esteves, vocês não percebem puto como funciona a gestão de um grande incêndio. Não fazem ideia como é retirar um GRIF de um incêndio para outro numa situação complicada como a de Mação. Só um incompetente faria tal coisa. São opções que um individuo sentado na sua poltrona a 300km, com ar condicionado, cafézinhos e todas as mordomias que a ANPC tem, e depois é isto que se vê. As nomeações politicas deste tipo de individuos para cargos de grande resposabilidade em que a experiencia é fundamental têm que acabar, porque vão para lá os compadres que por norma são os menos competentes para ocupa-los, e os burros somos nós srs cm e rui esteves?

RESPONDER

Sindicato vai processar Ryanair por assédio laboral e discriminação

O Sindicato Nacional de Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC) vai processar a Ryanair por assédio laboral e discriminação, exigindo a restituição de créditos laborais, após a resolução de contratos por justa causa, disse …

Em Itália, preparar o regresso às escolas inclui serras afiadas

Itália, o primeiro epicentro de covid-19 fora da China, usou um regime agressivo de testes e uso de máscaras para conter uma segunda vaga no país. Agora, as escolas estão a preparar-se para receber, no …

Marcelo promulga Estatuto do Antigo Combatente e veta alterações ao direito de petição

O Presidente da República promulgou o novo Estatuto do Antigo Combatente, aprovado por larga maioria no parlamento em 23 de julho, desejando tratar-se de “o início de um caminho” e não “o seu termo”. Em nota …

O céu de Wuhan iluminou-se com 400 drones para homenagear a população

O céu de Wuhan, cidade chinesa onde se pensa ter surgido o novo coronavírus, em dezembro de 2019, foi iluminado, este domingo, com 400 drones para homenagear os habitantes. De acordo com o vídeo da CGTN, …

Vila do Conde revela que tem 173 casos ativos no concelho

A Câmara de Vila do Conde, do distrito do Porto, revelou esta quarta-feira que existem 173 casos ativos de covid-19 no concelho e que já está em marcha um plano de apoio à população, assim …

Descarrilamento de comboio na Escócia faz pelo menos três mortos

Três pessoas morreram e seis ficaram feridas em consequência do descarrilamento de um comboio de passageiros na Escócia, anunciou a polícia escocesa, citada pela agência Lusa. O acidente ocorreu 160 quilómetros a nordeste de Edimburgo. Numa primeira …

Temido garante que "não haverá exceções" para o Avante (e pede cautela com vacina russa)

A ministra da Saúde defendeu esta quarta-feira que a lotação da Festa do Avante!, organizada pelo PCP, terá este ano que ser inferior à capacidade máxima de 100 mil pessoas do recinto no Seixal, por …

Trump pondera impedir entrada de residentes suspeitos de exposição à covid-19

A Administração norte-americana está a ponderar barrar a reentrada no país a cidadãos norte-americanos ou residentes legais suspeitos de terem sido expostos ao novo coronavírus. De acordo com o Jornal Económico, que cita o jornal New …

Pelo menos 42 feridos em Beirute em confrontos entre polícia e manifestantes

Pelo menos 42 pessoas ficaram feridas, esta terça-feira, em confrontos entre manifestantes e a polícia, pelo quarto dia consecutivo, nas proximidades do Parlamento em Beirute. De acordo com a Cruz Vermelha libanesa, dos pelo menos 42 …

ONU envia ajudas para estabilizar falta de alimentos no Líbano

A Organização das Nações Unidas já começou a ajudar o Líbano, através do envio de farinha de trigo. O objetivo é começar a colmatar a falta de alimentos destruído pelas explosões. Segundo o The Washington Post, …