American Airlines e United Airlines preparam-se para despedir 32.000 funcionários

As companhias aéreas norte-americanas American Airlines e United Airlines preparam-se para despedir, no total, 32.000 funcionários, situação que admitem travar se os apoios do Governo forem prorrogados. 

A American Airlines anunciou que começará a despedir 19.000 funcionários a partir desta quinta-feira, uma vez que os políticos norte-americanos não chegaram a acordo sobre uma extensão da ajuda ao setor aéreo, em crise devido à pandemia.

O presidente executivo da empresa, Doug Parker, deixou, no entanto, uma porta aberta: “Vamos cancelar” estes despedimentos “e chamar os membros da equipa afetada” se os Democratas e Republicanos chegarem a um compromisso nos próximos dias, disse, numa mensagem dirigida aos seus funcionários.

Entretanto, o pacote de ajuda do Governo expira dentro de poucas horas, que servia para ajudar as companhias a pagar os salários dos seus pilotos, comissários de bordo e mecânicos. A American Airlines, que como as outras grandes companhias aéreas se tinham comprometido na Primavera a não despedir ninguém até 30 de setembro, advertiu no final de agosto que teria de despedir 19.000 pessoas se não fosse adotada uma prorrogação.

Mas as discussões entre Democratas e Republicanos sobre um novo plano de apoio, que foi retomado na quarta-feira em Washington, ainda não foram concluídas.

Os membros do Congresso estão também a tentar fazer aprovar legislação que apenas alargaria o programa de subsídios à indústria aérea. “Infelizmente, não há garantias de que todos estes esforços sejam bem-sucedidos”, disse Parker. Juntamente com os patrões das outras grandes empresas e representantes sindicais, Parker tem vindo a argumentar há várias semanas em Washington a favor da continuação desta ajuda.

Também a United Airlines admite despedir 13.00 funcionários casos os apoios do Governo não sejam prorrogados. À semelhança da American Airlines, admite também rever esta situação se os políticos chegarem a um consenso sobre os apoios.

O tráfego aéreo, que estava em queda livre no início da pandemia de covid-19, está longe de voltar ao normal. Muitos passageiros continuam relutantes em voar em espaço confinado, os voos internacionais continuam sujeitos a restrições rigorosas e as viagens de negócios estão a meio gás. O número de clientes que passam pela segurança nos aeroportos americanos é ainda cerca de 60% a 70% inferior ao do mesmo período em 2019, de acordo com números governamentais.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Disney+ alerta para estereótipos racistas. Filmes clássicos com avisos sobre "maus tratos"

Embora já exibisse mensagens padrão desde o ano passado, a nova plataforma de vídeo Disney+ mostra agora um aviso, que não pode ser passado à frente, no início de vários filmes clássicos - como Dumbo …

Curados da covid-19 continuam com sintomas meses depois de terem contraído o vírus

Um estudo da Universidade de Oxford indica que 64% dos pacientes hospitalizados com o novo coronavírus apresenta falta de ar 2 a 3 meses depois de serem infetados. E quase 40% tem sintomas de depressão. Já …

Portugal vai estar no Mundial sub-20 (sem jogar o apuramento)

Todas as fases do Europeu sub-19 foram canceladas e a seleção portuguesa foi uma das eleitas para participar no Mundial do próximo ano. Portugal já sabe que vai estar na fase final do Mundial sub-20 (se …

Novos implantes cardíacos podem salvar 10 mil vidas por ano

O chamado envelope antibiótico envolve o implante cardíaco e previne infeções no paciente. Por ano, morrem cerca de 10 mil pessoas devido a infeções geradas pelo implante. O pacemaker é um pequeno aparelho que é colocado …

Banda dá concerto com músicos e público envoltos em bolhas de plástico para evitar contágio

A banda norte-americana Flaming Lips utilizou bolhas insufláveis ​​de tamanho humano num concerto em Oklahoma, uma solução para proteger os músicos e o público do novo coronavírus, enquanto tenta encontrar uma forma segura para atuar …

EUA. Especialista diz que as próximas semanas "vão ser as mais negras de toda a pandemia"

Um especialista em doenças infecciosas disse que no caso dos Estados Unidos, as próximas seis a 12 semanas vão ser as mais negras de toda a pandemia de covid-19. Michael Osterholm, diretor do Centro de Investigação …

Chelsea inscreve... Petr Cech

Antigo guarda-redes poderá voltar aos relvados nesta época, embora seja pouco provável, para já. Petr Čech entrou em campo pela última vez em maio de 2019, há quase um ano e meio. Já tinha anunciado a …

Disparos de satélites e naves do Star Trek? Relatório revela como seria uma guerra no Espaço

A criação da Força Espacial dos Estados Unidos evocou todos os tipos de noções fantasiosas sobre o combate no Espaço. Assim, um novo relatório explica o que é física e praticamente possível quando se trata …

Japão prepara-se para lançar água tratada de Fukushima no mar

O Japão vai libertar mais de um milhão de toneladas de água tratada da usina nuclear de Fukushima no mar, numa operação que levará cerca de 30 anos para ficar concluída. Ambientalistas e pescadores locais …

Turismo de mergulho? Submarino da "frota perdida" de Hitler aguarda o seu destino no fundo do Mar Negro

Coberto por “redes fantasmas” deixadas por pescadores, os destroços de um submarino U-20 enviado para o Mar Negro pela Alemanha nazi tornou-se recentemente tema de um documentário produzido na Turquia. Localizado a uma profundidade de 20 …