Há alunos do Superior à procura de explicadores que façam os seus exames online

Há estudantes do Ensino Superior que estão a oferecer-se para pagar a explicadores em troca de ajuda durante os exames online.

A denúncia foi feita pelo jornal Público, este domingo, que salienta que o problema já foi identificado pelos professores, embora até ao momento ainda não tenha sido detetado nenhum caso pelas instituições.

“Vou ter frequência de microeconomia no sábado. Precisava de saber se estaria disponível para me ajudar durante a frequência“. Esta foi uma das mensagens recebidas pelo explicador Filipe Antunes, que declinou a proposta: “Terei todo o gosto em ajudar a preparar a frequência, mas não a fazê-la.”

Em declarações ao matutino, o professor contou que não é a primeira vez que recusa uma oferta deste género. “Nem todos os contactos são completamente explícitos, mas quando eu respondo que estou disponível para ajudar a preparar o teste, não dão seguimento.”

Segundo o jornal, até mesmo professores receberam propostas semelhantes, para resolverem provas em áreas em que são especialistas.

Ao Público, Paulo Peixoto, investigador da Universidade de Coimbra, declarou que estas desconfianças em torno da avaliação à distância estão a ser responsáveis por um “ambiente muito pesado” no Ensino Superior, com professores que estão a ficar “verdadeiramente paranoicos”.

O clima está a contribuir para tornar as avaliações online “num verdadeiro inferno”, não só para os docentes, como também para os próprios alunos, acrescentou o investigador, contando que muitos professores estão a apertar as regras durante a realização dos exames e/ou a optar por fazer provas mais difíceis.

O Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior garantiu estar em contacto com as instituições para “articular as opções adequadas para realizar as avaliações previstas, de forma justa e imparcial” e relembrou que “os habituais mecanismos de combate à fraude estão operacionais, sendo dada especial ênfase aos instrumentos de controlo previstos para as avaliações realizadas de forma não presencial”.

ZAP ZAP //

 

PARTILHAR

6 COMENTÁRIOS

  1. Eu sou completamente contra os exames à distância! Se há explicadores que recusam ajudar os alunos a fazer os testes, outros há que os ajudam, e isso é tremendamente injusto para quem não tem qualquer ajuda.
    Criem-se condições de segurança e que todos os alunos sejam obrigados a fazer os exames de modo presencial.

  2. Já não bastava os alunos não respeitarem os professores porque sabem que passam de qualquer maneira porque o ministério assim o exige aos professores para fazer-mos boa figura lá fora, agora explicadores sem escrúpulos aceitarem isto enfim, a educação está cada vez melhor!

  3. Sou aluna do ensino superior, sendo a melhor da minha sala. Não é raro que façam-me essa oferta também…
    Obviamente os métodos de avaliação não estão adequados. Mais valia que as avaliações fossem contínuas, por meio de trabalhos e exercícios durante o semestre, e as provas fossem mais bem elaboradas já considerando que haverá consulta de qualquer forma. O professor manter o mesmo método de avaliação à distância é querer ser “enganado”… No final, quem mais perde são os alunos, que se iludem com boas notas de exame, quando não refletem em nada o conhecimento adquirido. Estão a formar que tipo de profissionais?

RESPONDER

Noiva de Khashoggi pede "punição imediata" de Mohammed bin Salman

As declarações da noiva de Jamal Khashoggi surgem depois de as autoridades norte-americanas terem publicado um relatório em que Mohammed bin Salman é acusado de ter ordenado o assassínio do jornalista. Joe Biden está a ser …

Covax permite que países mais pobres comecem a receber a vacina (mas só garante 20% da vacinação)

A Covax visa fornecer vacinas contra a covid-19 a 20% da população de 200 países e territórios que estão incluídos no sistema através de um sistema de financiamento que permite a 92 economias de baixo …

Reino Unido vacinou 20 milhões com 1.ª dose. País deteta casos de variante de Manaus

O ministro da Saúde britânico, Matt Hancock, anunciou no domingo que mais de 20 milhões de pessoas no Reino Unido já receberam a primeira dose da vacina contra covid-19. "Estou absolutamente encantado por informar que mais …

Famílias numerosas já podem pedir desconto no IVA da luz

As famílias com cinco ou mais elementos podem pedir a redução do IVA da eletricidade ao seu fornecedor a partir desta segunda-feira e têm de comprovar a sua condição de família numerosa. Em causa está a …

Netflix foi a grande vencedora da noite dos Globos de Ouro

  A 78.ª edição dos Globos de Ouro decorreu de forma virtual, com apresentação de Tina Fey e Amy Poehler e a participação de alguns dos laureados do ano passado. Os Globos de Ouro, prémios de cinema …

Portugal regista mais 34 óbitos e 394 novos casos. O menor número desde setembro

Portugal registou esta segunda-feira 394 novos casos de infeção por covid-19 e mais 34 mortes, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde. De acordo com o boletim epidemiológico divulgado pela Direção-Geral da Saúde (DGS), nas …

Nicolas Sarkozy condenado a três anos de prisão por corrupção

Nicolas Sarkozy foi esta segunda-feira condenado a três anos de prisão por corrupção e tráfico de influências, tornando-se o segundo chefe de Estado condenado em França, após Jacques Chirac em 2011. O ex-Presidente francês foi condenado …

Câmara de Lisboa oferece viagem de táxi a idosos que vão tomar a vacina

Os residentes em Lisboa com mais de 80 anos ou 50 anos e patologias associadas podem deslocar-se gratuitamente de táxi para tomar a vacina contra a covid-19. Os custos da viagem são assumidos pela autarquia …

Liquidez é "abundante" mas "é preciso fazê-la chegar" à economia, diz Centeno

O governador do Banco de Portugal, Mário Centeno, indicou que a crise de 2008 e de 2020 não são comparáveis devido à abundância de dinheiro disponível e que há liquidez para travar o impacto económico, mas …

Chega quer telefone e Internet pagos aos trabalhadores do Estado em teletrabalho

O Chega entregou no Parlamento, este domingo, um projeto de resolução no qual recomenda ao Governo que dê "o exemplo" e pague as despesas de telefone e Internet aos trabalhadores do Estado que estão em …