Ajudas públicas à banca portuguesa já vão em 14 mil milhões

Mário Cruz / Lusa

-

Desde o início da crise, em 2008, o Estado português já gastou mais de 14 mil milhões de euros em ajudas à banca – número que pode aumentar ainda devido à incerteza quanto à venda do Novo Banco e ao futuro da Caixa Geral de Depósitos.

Segundo a agência EFE, este valor, que se retira de dados do Tribunal de Contas e do Instituto Nacional de Estatística, representa quase 8% do PIB português – e não inclui as ajudas devolvidas por algumas das entidades apoiadas, nem os lucros obtidos com a cobrança de juros.

A agência Moody’s alertou recentemente para a fragilidade da banca portuguesa, uma das mais frágeis da Europa devido aos seus níveis de capital.

Mas esta fraqueza vem de trás: nos últimos 8 anos, três entidades bancárias foram resgatadas, e mais três receberam apoios públicos, realça a EFE.

O primeiro “buraco” aconteceu em 2008, quando o BPN – Banco Português de Negócios se tornou no primeiro banco a ser nacionalizado na democracia portuguesa, para evitar que as suas perdas contagiassem o sector.

Esta nacionalização representou em 2014 perdas para o Estado na ordem dos 2.7 mil milhões de euros. O banco foi depois vendido ao angolano BIC por 40 milhões.

Um ano depois, o BPP – Banco Privado Português entrou em falência e acabou por ser extinto, depois de o governo se ter recusado a injectar dinheiro na entidade – devido principalmente à sua ligação a suspeitas de falsificação de contas e branqueamento de capitais.

Mas uma garantia do Estado concedida antes da falência acabou por provocar perdas de mais de 650 milhões de euros.

O maior “buraco”, contudo, foi o do BES – Banco Espírito Santo, em 2014, depois da descoberta de que a maior entidade privada portuguesa tinha falsificado as contas e escondia perdas de mais de 3.5 mil milhões de euros.

A intervenção no BES implicou a criação do Novo Banco, o chamado “banco bom” com os activos não tóxicos do grupo, e a recapitalização com um crédito público de 3.9 mil milhões – a que se juntaram mil milhões do próprio sistema financeiro.

Um último contratempo no sistema bancário português aconteceria já em dezembro de 2015, quando se anunciou a intervenção do Banif, a menor das principais entidades financeiras portuguesas.

Para já, esta intervenção teve um impacto no défice nacional de quase 2.5 mil milhões – mas este valor ainda pode vir a aumentar.

O Banif foi liquidado e o seu negócio saudável vendido por 150 milhões ao espanhol Banco Santander, que, recorda a EFE, ainda recebeu 2 mil milhões em garantias.

Estas intervenções representam uma factura global de 14 mil milhões de euros que a banca privada passou ao estado.

Acresce ainda que algumas entidades, como o BCP, ainda não devolveram os empréstimos contraídos ao estado nos anos de resgate.

Se os empréstimos forem devolvidos, como aconteceu com o BPI, o estado não só recupera o investimento, como lucra com os juros cobrados.

Mas qualquer nova turbulência no sistema financeiro português parece fazer abanar as suas frágeis entidades bancárias – não só colocando em risco a devolução dos empréstimos como ameaçando a necessidade de novas intervenções.

E esse é o principal problema dos 14 mil milhões com que o estado já ajudou a banca: pode não ter ficado por aqui.

AJB, ZAP / EFE

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Há uma forma de reduzir erros na computação quântica (e já sabemos qual é)

Na computação quântica, assim como no trabalho em equipa, um pouco de diversidade pode ajudar a melhorar o resultado. Esta pode mesmo ser a chave para pôr fim aos erros na computação quântica. Ao contrário dos …

Coimbrões 0-5 FC Porto | Dragões goleiam e seguem em frente na Taça

O FC Porto venceu hoje o Coimbrões, por 5-0, em jogo da terceira eliminatória da Taça de Portugal que os «dragões» resolveram com três golos nos 12 minutos iniciais. Aproveitando a inexperiência e nervosismo da formação …

Produção de filmes em Hollywood é um inimigo silencioso do ambiente

Hollywood é casa para a maioria dos grandes filmes produzidos que estreiam nas salas de cinema espalhadas por todo o mundo. Contudo, consegue ser bastante prejudicial para o meio ambiente e, mais do que nunca, …

O escorbuto era uma doença comum entre piratas, mas pode estar de regresso

O número de casos de escorbuto no Reino Unido mais do que duplicou nos últimos anos. A desnutrição é um dos principais responsáveis pelo regresso desta doença. O escorbuto está em ascensão no Reino Unido e …

Dois veleiros robotizados vão medir alterações climáticas no Atlântico

Dois veleiros de navegação robotizada vão medir, durante os próximos quatro meses, a pegada das mudanças climáticas no oceano Atlântico e irão passar pela Madeira e Cabo Verde. A Plataforma Oceânica das Canárias (PLOCAN) libertou esta …

A educação científica está sob ataque legislativo nos Estados Unidos

São inúmeros os professores de ciências que trabalham diariamente nas escolas públicas dos Estados Unidos para garantir que os alunos estão equipados com o conhecimento teórico e prático necessário para enfrentar o futuro. No entanto, …

João Félix saiu lesionado com gravidade no jogo contra o Valência

João Félix, avançado português do Atlético de Madrid, saiu este sábado lesionado com "forte torção no tornozelo direito", ao minuto 78 do jogo contra o Valência, da nona jornada da Liga espanhola de futebol, disputado …

As traças ficaram mais escuras por causa da Revolução Industrial? Cientistas já sabem a resposta

No virar do século XIX, na Grã-Bretanha, traças de todo o país começaram a ficar gradualmente mais escuras em resposta à forte poluição provocada pela Revolução Industrial. A Revolução Industrial foi um período de grandes transformações …

Mais de mil médicos foram alvo de processos disciplinares. 45 foram condenados, nenhum foi expulso

Mais de 1.070 processos disciplinares a médicos foram abertos no ano passado pelos conselhos disciplinares da Ordem, tendo sido condenados 45, segundo dados este sábado divulgados. Segundo os dados da Ordem dos Médicos, os conselhos disciplinares …

Publicar no Instagram rende mais a Ronaldo do que jogar na Juve

As publicações pagas no Instagram rendem mais a Cristiano Ronaldo do que jogar na Juventus, revela um estudo do Buzz Bingo. O internacional português foi a personalidade mais bem paga neste rede social em 2018. De …