Agressões e ameaças de morte em mais de 20 escolas portuguesas

A Polícia de Segurança Pública (PSP) e a Guarda Nacional Republicana (GNR) são chamadas, em média, 17 vezes por dia às escolas e, só este ano letivo, já foram públicos 24 casos de agressões ou ameaças de morte.

No início do ano letivo, o professor Alexandre Henriques, especialista em gestão de conflitos e violência escolar, criou no seu blogue “Com Regras” um contador de ocorrências nas escolas portuguesas: em 18 semanas de aulas, 24 professores, funcionários e alunos foram agredidos ou ameaçados de morte, noticiou a agência Lusa.

Quando hoje se assinala o Dia Internacional da Não Violência e da Paz nas Escolas, as histórias relatadas aconteceram um pouco por todo o país. Os agressores são quase sempre alunos, mas, por vezes, também os pais tomam as dores dos filhos e decidem fazer justiça pelas próprias mãos.

Do outro lado da barricada, estão quase sempre professores e funcionários. Estalos, murros e pauladas são alguns dos ataques revelados no blogue, onde estão também relatos de agressões sexuais.

As vítimas são invariavelmente apanhadas de surpresa. As agressões acontecem dentro da sala de aula ou nos recreios, perante o olhar de todos. Além da agressão, há a humilhação pública, sublinhou Alexandre Henriques em declarações à Lusa.

Os números mostram que todas as semanas alguém é agredido ou ameaçado de morte. Mas, tanto professores como polícia, garantem que existem muitos mais casos que ficam dentro dos muros das escolas, sem nunca serem esquecidos pelas vítimas.

“Muitos preferem remeter-se ao silêncio para não colocar a imagem da escola em causa”, acrescentou Alexandre Henriques, que sabe de histórias que não aparecem no contador porque lhe pediram segredo.

Os últimos dados do Ministério da Administração Interna relevam que no ano letivo de 2017/2018 as equipas da Escola Segura registaram 6.422 ocorrências. Em média, PSP e GNR foram chamados às escolas 17 vezes por dia.

Há cerca de cinco anos, Alexandre Henriques fez dois inquéritos sobre indisciplina nas escolas, tendo respondido cerca de 5% dos estabelecimentos de ensino, frequentados por cerca de 30 mil alunos.

Naquelas escolas houve seis mil participações e, através desta amostragem, o professor fez uma extrapolação simples, concluindo que em todo o país poderia haver mais de 200 mil participações disciplinares por ano.

Para quem trabalha diariamente nas escolas, as diferenças entre os números podem ser facilmente explicadas: “A maior parte dos casos não é reportada” e as razões para o silêncio são várias.

A própria polícia sabe que alguns casos ficam dentro dos muros das escolas. “Todas as escolas têm problemas. Cabe às escolas reportar esses problemas, mas muitas vezes não passam cá para fora”, contou Antero Correia, agente da PSP da Escola Segura.

Existem situações em que é a própria direção da escola que pressiona para que não haja queixas. Teresa, nome fictício de uma diretora de turma de uma escola em Lisboa, contou à Lusa a história de uma colega que foi agredida, mas o caso foi abafado.

“O aluno empurrou-a e quando ela caiu ao chão partiu o pulso. A professora queria fazer queixa, mas a direção sugeriu-lhe que dissesse antes que tinha sido um acidente de trabalho, se não iria haver muitos problemas. E assim foi”, recordou.

Numas das suas turmas, também tem um menino bastante problemático que recentemente “agrediu um professor de manhã e ameaçou outro durante a tarde”, contou à Lusa. O docente agredido não quis apresentar queixa do rapaz de 13 anos.

“O professor disse-me que a família precisa de ajuda e não de mais problemas”, recordou Teresa, explicando que o pai abandonou a família, a mãe está sempre ausente e é a irmã, uma adolescente que já tem um filho, quem tenta cuidar dele.

Teresa também já foi ameaçada. “Uma rapariga do 9.º ano entrou na minha aula aos gritos e foi por um triz que não levei uma chapada. Senti que ia ser naquele dia”. Estava decidida a marcar falta disciplinar, mas quando soube que a mãe da aluna tinha uma doença oncológica optou por contactar a família para a informar do que se estava a passar.

A relação que se vai criando com os alunos e o conhecimento dos problemas familiares das crianças e jovens leva, muitas vezes, os agressores a recuarem. Às vezes, a indisciplina tem como objetivo chamar a atenção porque os alunos se sentem sozinhos ou porque estão com problemas, contou à Lusa a agente da Escola Segura Filipa Gomes.

Há quem acredite que fazer queixa pode ser pior para o futuro do aluno. “Há crianças que podem parecer terríveis, mas, quando conhecemos os pais, até nos questionamos como é que não são muito piores”, observou a agente, que há um ano faz policiamento no centro de Lisboa e diz ter “descoberto uma realidade muito difícil de digerir”.

Também há quem não avance com queixas por receio de represálias. Na maior parte das vezes, agredido e agressor têm de conviver no mesmo espaço até ao final do ano letivo. Os professores sabem que as probabilidades de não voltar a ter os alunos dentro da sua sala de aula são raras.

No blogue Com regras aparece o caso de uma professora que foi agredida por um pai dias depois de ter pedido a um aluno que mudasse de mesa no refeitório para acabar com a barafunda que estava a provocar.

Segundo o relato da docente, o aluno acatou a ordem sem contestar, mas, ao fim do dia, em casa, terá contado uma história diferente: a professora tinha-o arrastado pelos cabelos para uma outra mesa da cantina. O pai invadiu a escola e espancou a docente.

No contador está também a história de um assistente agredido quando tentava retirar o aluno da sala de aula por mau comportamento: “Mal o funcionário lhe tocou, levou um murro na cara”.

Os funcionários que separam os alunos que estão a lutar. São quem vai à sala retirar o aluno que se recusa a acatar a decisão do professor de abandonar a aula, quem primeiro avança em defesa dos professores agredidos e também a primeira pessoa que os encarregados de educação encontram pela frente quando vão à escola “ajustar contas”.

Lusa //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Um branco a molestar um preto e outro preto a fotografar o evento !…….. que dizer, Joacine ???..até os pretos são racistas entre Eles !…..Até onde chegamos !

RESPONDER

"Claramente abusivo". Isabel dos Santos contesta arresto de ações da NOS

As empresas da empresária angolana Isabel dos Santos que, em conjunto com a Sonaecom, controlam a maioria do capital da operadora NOS, consideraram que o arresto das suas participações na empresa é “abusivo” e “excessivo”. A …

Boris Johnson hospitalizado para fazer mais exames à covid-19

O primeiro-ministro britânico, que deu positivo para o novo coronavírus há dez dias, foi hospitalizado, este domingo, para novos exames. "A conselho do seu médico, o primeiro-ministro foi internado no hospital para exames esta noite", indicou …

Mistura de nanopartículas carregadas pode ser o cocktail fatal das células cancerígenas

Uma equipa de investigadores da Coreia do Sul descobriu que podem dar um golpe fatal nas células cancerígenas com uma cuidadosa mistura de nanopartículas carregadas. Os lisossomas são os caixotes do lixo das células. Contêm enzimas …

Diretora-geral da Saúde da Escócia demite-se após furar confinamento que impôs

A diretora-geral da Saúde da Escócia, Catherine Calderwood, anunciou na noite de domingo a sua demissão após ter desrespeitado as regras de confinamento que impôs, ao deslocar-se por duas vezes à sua segunda casa durante …

Maduro pede aos norte-americanos que impeçam "novo Vietname" perto de casa

O Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, dirigiu este domingo uma carta aos norte-americanos, apelando a que travem as alegadas intenções de Trump de avançar para um conflito armado com a Venezuela e impeçam "outro Vietname …

Apareceu um enorme buraco na camada de ozono por cima do Pólo Norte

O Arctic Ozone Watch da NASA relatou a formação de um grande buraco na camada de azono acima do Pólo Norte, que pode ser o maior já registado no norte. Em março, os relatórios de balões …

Descoberto novo candidato a superterra habitável a 12 anos-luz

Um sistema estelar recém-descoberto a 12 anos-luz inclui três mundos na faixa de tamanho entre a Terra e Neptuno, um deles na "zona habitável" da estrela, onde o calor do hospedeiro permite a existência de …

Na Terra ou em Marte: reator híbrido converte CO2 em produtos orgânicos

Uma equipa de investigadores desenvolveu um reator híbrido que utiliza bactérias "ciborgues" incorporadas em nanofios para produzir alimentos, combustível e oxigénio. Segundo o comunicado da Universidade da Califórnia, em Berkeley, este sistema é muito semelhante ao …

Já pode visitar o ponto mais profundo dos 5 oceanos (mas há um preço)

Graças a um explorador rico, em maio, alguns sortudos poderão escapar da pandemia de covid-19 durante um curto período de tempo, mergulhando ao ponto mais profundo conhecido dos oceanos da Terra. O Challenger Deep é o …

Os tubarões são mais fáceis de capturar em águas mais frias

As áreas equatoriais quentes são o local onde a vida marinha é mais biodiversa. No entanto, os navios de pesca são mais propensos a capturar tubarões e atum em regiões oceânicas frias. Vivem mais espécies perto do …