A paciência não é (só) uma virtude. Também depende de fatores biológicos

“A paciência é uma virtude”, lê-se no poema Piers Plowman, de William Langland. No entanto, ao contrário do que o poeta escreveu há mais de 600 anos, a paciência pode não depender apenas da virtude, mas sim de fatores biológicos.

Uma equipa de investigadores do Okinawa Institute of Science and Technology, no Japão, realizou uma experiência com serotonina: os cientistas injetaram a hormona em ratos e observaram que os animais se tornaram mais pacientes. Além disso, os investigadores verificaram que há duas áreas diferentes do cérebro responsáveis por avaliar separadamente os benefícios de aguardar pacientemente por uma recompensa.

Segundo o Inverse, a serotonina é um neurotransmissor, isto é, uma substância química que transmite impulsos nervosos entre as células nervosas. A hormona está relacionada com a capacidade de aprendizagem, humor, sono, ansiedade, dores de cabeça e falta de apetite.

Durante a experiência, os ratos tinham de colocar o nariz dentro de um buraco enquanto esperavam que os cientistas lhes dessem uma porção de comida. No entanto, a equipa só recompensava os animas em três quartos dos testes.

A equipa foi percebendo que o nível de serotonina injetado nos ratos, numa zona do cérebro chamada núcleo dorsal da rafe, aumentava o tempo que os ratos estavam dispostos a esperar pela recompensa.

“A serotonina é um dos mais famosos neuro moduladores de comportamento – ajuda a regular o humor, os ciclos de sono e o apetite”, explicou Katsuhiko Miyazaki, líder do estudo, concluindo que a paciência é mais um dos comportamentos afetados pelos níveis serotonina.

Isto significa que quanto maiores os níveis da hormona, mais paciência demonstraram os roedores. Os resultados da investigação foram recentemente publicados na Science Advances.

Impactos distintos consoante a zona cerebral

Os cientistas também analisaram o impacto da libertação de serotonina em diferentes áreas dos cérebros dos ratos, nomeadamente no córtex orbitofrontal e no córtex pré-frontal.

No primeiro córtex, a libertação da hormona resultou em maiores níveis de paciência, à semelhança da experiência original. No entanto, a libertação teve um efeito diferente no córtex pré-frontal só houve um aumento do nível de paciência quando o tempo de espera pela recompensa era variável.

A equipa concluiu, assim, que cada córtex cerebral calculou a probabilidade de uma recompensa de forma independente. Combinados, estes cálculos independentes determinaram quanto tempo é que os ratos estavam dispostos a esperar.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

As máquinas estão "muito longe" de serem mais inteligentes (mas muito perto de agir como pessoas)

A especialista em inteligência artificial Daniela Braga considera que as máquinas estão "muito longe" de substituírem totalmente os humanos ou serem mais inteligentes, mas estão "muito perto" de interagirem como as pessoas. "Acho que estamos muito …

Secreto e lucrativo, o mercado de venda de "fezes de cachalote" pode também ser violento

O âmbar cinza é altamente raro, mas também altamente valioso. Usada na indústria dos perfumes, o mercado deste material pode ser muito perigoso. Deixa na pele uma resina oleosa e tem um cheiro a tabaco, madeira, …

Empresa norueguesa garante que pode "parar" furacões antes que estes se tornam destrutivos

Especialistas ambientais advertem que o sistema de "cortina de bolhas" proposto pela empresa pode provocar efeitos indesejados. A OceanTherm, uma startup norueguesa, assegura que a sua nova tecnologia pode evitar que as tempestades tropicais se tornem …

Afeganistão: Familiares consideram "insuficientes" pedido de desculpas dos EUA

Familiares dos civis afegãos mortos por "engano" durante um ataque de um avião não tripulado 'drone' norte-americano no final de agosto em Cabul consideraram este sábado "insuficiente" o pedido de desculpas de Washington, numa entrevista …

Descoberta de pegadas fossilizadas em Espanha revela a existência de um "berçário" de elefantes

Pegadas fossilizadas foram encontradas numa praia no sul da Espanha e mostram o que pode ter sido o berçário de uma espécie extinta de elefantes. O local costeiro, situado na região de Huelva, estava normalmente coberto …

Morreu aos 98 anos o historiador, sociólogo e crítico de arte José-Augusto França

O historiador, sociólogo e crítico de arte José-Augusto França morreu este sábado, aos 98 anos, na casa de saúde de Jarzé, perto da cidade francesa de Angers, disse à Lusa a pintora Emília Nadal, sua …

Ventura: "Não vejo outra possibilidade senão a ministra da Saúde ou pedir desculpa ou ser afastada"

O Chega vai questionar formalmente o Governo pelo “facto de a ministra da Saúde ter utilizado um carro do Estado” para ir a uma ação de campanha no Porto na sexta-feira, anunciou este sábado André …

Ouvir 30 segundos de uma sonata de Mozart pode reduzir ataques de epilepsia

Ouvir a Sonata para Dois Pianos em Ré Maior (K448), de Wolfgang Amadeus Mozart, durante pelo menos 30 segundos, ajuda a reduzir a atividade elétrica cerebral associada à epilepsia resistente a medicação. Os resultados também sugerem …

Astrónomos resolvem mistério cósmico com 900 anos

Um mistério cósmico com 900 anos, em torno das origens de uma famosa supernova observada pela primeira vez na China no ano 1181, foi finalmente resolvido. Uma nova investigação, publicada dia 15 de setembro no The …

Bons hábitos alimentares podem reduzir a probabilidade de contrair covid-19

Um novo estudo indica que as pessoas que comem muitas frutas e vegetais podem ter menos probabilidades de contrair covid-19. Num pesquisa que envolveu 590 mil adultos, os investigadores descobriram que as pessoas que eram adeptas …