Bloco quer acordo por escrito com o PS se houver novo Governo da esquerda

António Cotrim / Lusa

Catarina Martins, coordenadora do Bloco de Esquerda, afirma que o partido quer um acordo por escrito com o PS. “Tem de ter como base compromissos mais vastos, compromissos com o país, como recuperar as pensões ou baixar o número de alunos por turma ou ter mais manuais gratuitos.”

O Bloco de Esquerda diz que um acordo com o PS na próxima legislatura tem de ser escrito porque isso legitima a democracia e dá mais clareza às propostas de cada um.

“Não é novidade para ninguém que nós, no BE, gostamos de ter as coisas escritas e claras. É óbvio. Fizemos isso em 2015 e no acordo de Lisboa. O compromisso político não é só um problema de oportunidade, de conveniência momentânea. Tem de ter como base compromissos mais vastos, compromissos com o país, como recuperar as pensões ou baixar o número de alunos por turma ou ter mais manuais gratuitos”, afirma Catarina Martins, numa entrevista conjunta ao Público e à Renascença.

A líder do Bloco diz ainda que o acordo escrito dá mais clareza às propostas: “Os partidos têm de apresentar os seus programas e as pessoas têm de votar no programa em que se reconhecem. A ideia do voto útil ficou bastante destruída com as últimas eleições”.

Catarina Martins considera também que o país ficaria desiludido se o Governo não fizer, até final da legislatura, uma nova Lei de Bases da Saúde “que acabe com o princípio de que o Estado tem de financiar os privados”.

“Ninguém nos perdoaria se não fossemos capazes de acabar esta legislatura com uma lei de bases que proteja e salve o SNS”, afirma, reconhecendo que o Governo tem andado a atrasar o processo. “Foi uma das coisas que notámos na remodelação. Se esta remodelação for feita para o processo finalmente andar, é uma boa notícia”, disse.

Sobre a remodelação governamental, Catarina Martins defende que no Governo havia setores apagados, como o Ministério da Cultura, mas mostra alguma surpresa com as mudanças feitas pelo Governo na área da Energia, com um novo secretário de Estado, João Galamba.

“Tinha sido feito um trabalho com o BE e foram dados passos para combater rendas excessivas da EDP. É bom que a alteração da tutela não seja para recuar no caminho feito”, disse.

Catarina Martins diz ainda que a proposta de Orçamento do Estado para 2019 “está em linha” com as anteriores, mas sublinha que ainda há trabalho a fazer, em sede de especialidade na Assembleia da República, dando o exemplo do IVA na eletricidade.

“O Governo apresentou apenas a possibilidade de descida do preço do contador e para contadores até 3,45kW, o que é uma potência muito baixa, não atinge praticamente ninguém. Pelo que sabemos dos números do Governo, seria perfeitamente possível baixar o IVA do contador até, pelo menos, 6,9 kW, que é a potência de referência para a tarifa social da eletricidade”, defende.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

"Não acredito que cumpra as nossas leis". Trump diz que voto por correspondência é "inapropriado"

O Presidente dos Estados Unidos (EUA) disse que é "inapropriado" os estados levarem vários dias a contar os votos por correspondência, defendendo que o vencedor deve ser declarado na noite das eleições. "Seria muito, muito apropriado …

Reservas de sangue O+ e A+ com níveis críticos. Federação apela à dádiva

A Federação Portuguesa de Dadores Benévolos de Sangue (FEPODABES) alertou, esta terça-feira, que as reservas nacionais estão com níveis críticos dos tipos O+ e A+, apelando aos portugueses para darem sangue. Em comunicado, a FEPODABES refere …

Madeira quer visitantes infetados a ajudar nas despesas da estadia. "É aquilo que é justo"

O presidente do Governo madeirense anunciou esta terça-feira que decorrem diligências para encontrar mais uma unidade hoteleira para acolher doentes com covid-19, defendendo que os visitantes infetados devem ajudar a custear as despesas da sua …

Filhos de pais separados não podem circular entre concelhos no fim-de-semana

Os filhos de pais separados não poderão deslocar-se entre concelhos para efetuar trocas de residência entre os progenitores entre 30 de outubro a 3 de novembro, o próximo fim-de-semana que abrange o Dia de Todos …

Receita fiscal cai 2.822,7 milhões arrastada pela quebra do IVA e IRC

A receita fiscal do subsetor Estado registou uma redução de 2.822,7 milhões de euros até setembro, recuando 8,3% face ao mesmo período de 2019, refletindo os efeitos da pandemia, segundo a Síntese de Execução Orçamental. “No …

Novo Banco põe à venda carteiras de malparado (e têm nomes de jogadores de râguebi)

Depois de ter cancelado o projeto “Nata 3”, com crédito malparado no valor de 1,2 mil milhões de euros, o Novo Banco prepara agora a venda de carteiras de dimensões mais reduzidas. A revelação foi feita …

"Racismo cultural". Com França e Turquia em rota de colisão, Charlie Hebdo publica caricatura de Erdogan

Numa altura em que França e Turquia estão em rota de colisão, a publicação satírica Charlie Hebdo colocou o presidente turco Recep Tayyip Erdogan na capa a levantar as vestes de uma mulher. De acordo com …

Rui Pinto responde a Júdice: "Lidou durante décadas com ladrões e nunca se queixou"

O pirata informático respondeu, esta terça-feira, através do Twitter, às críticas do antigo sócio fundador da sociedade de advogados PLMJ que, em tribunal, lhe chamou "ladrão". Esta terça-feira, na 17.ª sessão do julgamento sobre o processo …

Leopoldo López admite que nunca quis fugir (e promete regressar para "libertar" a Venezuela)

O líder da oposição venezuelana Leopoldo López disse esta terça-feira, em Madrid, na primeira conferência de imprensa depois de ter saído do seu país, que nunca o quis deixar e que a intenção é "regressar …

É "tempo de unidade". Ex-ministro da Saúde apela a Marta Temido para deixar "retórica ideológica"

O ex-ministro da Saúde Adalberto Campos Fernandes afirmou esta terça-feira que é "tempo de unidade no país" e é preciso "falar verdade" quanto à pandemia da covid-19, considerando que um novo confinamento generalizado "seria devastador". Adalberto …